1. The WordReference Forums have moved to new forum software. (Details)

Ambiguidade do pronome possessivo "seu"

Discussion in 'Português (Portuguese)' started by Eduardo Rodrigues, Dec 23, 2012.

  1. Eduardo Rodrigues

    Eduardo Rodrigues Senior Member

    Brazil
    Portuguese (BR)
    A frase original é a seguinte: "Prefeito cumprimenta governador em seu aniversário."

    O autor nota que uma das maneiras de eliminar-se a ambiguidade é por meio de se cambiar "seu" por "dele". Contudo, essa alternativa não é válida para a frase em questão, uma vez que a ambiguidade persistiria da mesma forma, tal como o próprio autor nota: "Prefeito cumprimenta governador no aniversário dele."

    Então, o autor sugere duas alternativas com a finalidade de se eliminar a ambiguidade:
    a) Se o aniversário for do prefeito: "Em seu aniversário, prefeito cumprimenta governador."
    b) Se do governador: "Prefeito cumprimenta governador pelo aniversário."

    A minha dúvida a respeito dessas alternativas se resume em:

    1. Em "a", apesar de ter sido feita a inversão, não pareceria a ambiguidade persistir, uma vez que "seu" se poderia referir tanto ao prefeito quanto ao governador?
    2. Em "b", não pareceria um tanto vago "pelo aniversário", quero dizer, a pergunta que se segue é "de quem?", poderia ser da filha, da mãe, da esposa, enfim.

    Muito obrigado pelas suas respostas e feliz natal a todos vocês!
     
  2. englishmania Senior Member

    Portugal
    European Portuguese
    Acho que as frases seriam sempre ambíguas. No entanto, o leitor consegue inferir que o prefeito cumprimenta alguém porque essa pessoa faz anos. Normalmente, o aniversariante não se dirige às pessoas, cumprimentando-as. Pelo contrário, as pessoas é que se dirigem ao aniversariante / cumprimentam o aniversariante para o felicitar.

     
  3. PTlusitano Junior Member

    Português
    Há algumas alternativas que podem ser adoptadas de modo a não deixar espaço para incertezas:


    - Prefeito cumprimento governador no aniversário deste.

    - Governador é/foi cumprimentado no seu aniversário pelo prefeito.


    Cumprimentos
     
  4. Vanda

    Vanda Moderesa de Beagá

    Belo Horizonte, BRASIL
    Português/ Brasil
    Ótimas soluções. Nesses casos, o recurso é lançar mão dos 'deste-desta-esse(a)- o último- aquele'... ou 'revirar' a frase conforme sugerido acima.
     
  5. William Stein Senior Member

    San Jose, Costa Rica
    American English
    Don't you have "éste" and "aquello" in Portuguese?:
    el prefecto felicita al gubernador en el aniversario de aquello/de éste.
    Sorry, I just saw Wanda already said that.
     
  6. Alandria Senior Member

    Brasil - São Paulo
    Português
    Existe, porém não se usa muito no sentido de pronome possessivo; mas, sim, demonstrativo.
     
  7. Eduardo Rodrigues

    Eduardo Rodrigues Senior Member

    Brazil
    Portuguese (BR)
    Muito obrigado a todos!
     
  8. Krystoffer

    Krystoffer Junior Member

    Rio Grande do Sul, Brazil
    Portuguese - Brazil
    De fato, a concisão típica (e necessária) de manchetes ou títulos de textos jornalísticos abre muito espaço para ambiguidades e interpretações errôneas.

    Mas creio que, pelo menos na frase "b", a simples introdução de "seu" ["pelo seu aniversário"] já dirimiria qualquer dúvida quanto a quem é o aniversariante.
     
  9. William Stein Senior Member

    San Jose, Costa Rica
    American English
    It's true that the with the verb "cumprimentar", the sentence is like "A wishes B a happy birthday" so it's obviously B's birthday. Eduardo didn't choose a very good example but he's making a good point about the ambiguity of "seu".
    A better example would be "O Prefeito perguntó ao Gobernador sobre o seu amigo" -- O amigo de quem?
     
  10. Eduardo Rodrigues

    Eduardo Rodrigues Senior Member

    Brazil
    Portuguese (BR)
    Obrigado a todos pelas respostas!

    Hello, William Stein. First things first: let me correct "perguntó/gobernador" to "perguntou/governador". Then, take a look at the following sentences:
    I. Eu gostaria que você fizesse o seu dever de casa. = ... que tu fizesses o teu dever de casa.
    II. Eu gostaria que ele fizesse o seu dever de casa. (o próprio dever de casa)
    III. Eu gostaria que ele fizesse o seu dever de casa. (o dever de casa da pessoa com quem se fala, "você")
    IV. Eu gostaria que ele fizesse o seu dever de casa. (o dever de casa da pessoa de quem se fala, "ele/ela")

    The proper English translation to each of these sentences, in accordance with their intended meanings, as they were made explicit, is:
    I. I'd like you to make your homework.
    II. I'd like him to make his homework.
    III. I'd like him to make your homework.
    IV. I'd like him to make his/her (someone else's) homework.

    Further on, let's look again at "my" (it actually isn't...) example:
    "Prefeito cumprimenta governador em seu aniversário."
    It's a typical newspaper headline. From it, we could consider a few possibilities (in English they'd simply not exist):
    1. "A filha do governador, Letícia, comemora hoje 7 anos de idade, uma semana somente após ter sido submetida a um implante coclear no ouvido esquerdo. À festa familiar compareceram um pequeno grupo de imprensa e alguns parceiros políticos, entre eles o prefeito Augusto Campos, o qual o cumprimentou pelo seu aniversário." (isto é, o aniversário de sua filha)
    2. "Hoje, o governador comemora 58 anos, e o prefeito o cumprimentou em seu aniversário preparado pelos colegas de partido no palácio municipal."
    3. "Hoje, o prefeito comemora 46 anos, e, em seu aniversário, coincidentemente também em ocasião da posse do governador, ele o cumprimenta."

    More random variations of these three possibilities could easily pop up. But I think I've made the ambiguity of the original sentence evident for you to take notice of it.
     
    Last edited: Jan 3, 2013
  11. William Stein Senior Member

    San Jose, Costa Rica
    American English
    It's strange because i already corrected "perguntó'" to "perguntou"and put "spelling" in the reasons but it didn't come through.
    I'm on your side about the ambiguity of "seu", I just don't think your example is very good.
    Your sentence might posssibly be considered ambiguous but it's not very likely (as shown by the fact that even native speakers think it isn't). My example makes the point much better:
    "O Prefeito perguntou ao Gobernador sobre o seu amigo" -- O amigo de quem?
     
    Last edited: Jan 3, 2013

Share This Page