Começam novas forças a ir tomando,/torres, montes...

Discussion in 'Português-Español' started by Riverplatense, May 28, 2011.

  1. Riverplatense

    Riverplatense Senior Member

    German – Austria
    Hola,

    Estoy escribiendo una pequeña tesina sobre unas diferencias morfológicas entre el alemán y unos idiomas romances. Teniendo en cuenta que Os Lusíadas del De Camões son la obra más nota y más fácil accesible de la literatura lusa, quería tomar unos versos suyos para mostrar unos particularidades como, por ejemplo, la conjugación perifrastica que, en este ejemplo, aparece dos veces.

    Lamentablemente me parece un poco complicado el uso de ir + gerundio por la variedad de uso, e incluso más cuando se trata de un texto literario relativamente viejo como él de los Lusiadas.

    Podría, por tanto, alguien explicarme el significado de la frase citada en otras palabras, o en español o en portugués?

    La estrofa entera (VI, 106):
    Já lá o soberbo Hipótades soltava
    Do cárcere fechado os furiosos
    Ventos, que com palavras animava
    Contra os varões audaces e animosos.
    Súbito, o céu sereno se obumbrava,
    Que os ventos, mais que nunca impetuosos,
    Começam novas forças a ir tomando,
    Torres, montes e casas derribando.
    Obrigado!
     
  2. WhoSoyEu

    WhoSoyEu Senior Member

    Rio de Janeiro
    Español Latam, Português Br
    Nuevas fuerzas empiezan a tomar torres y cerros y a derribar casas.
     
    Last edited: May 28, 2011
  3. Carfer

    Carfer Senior Member

    Paris, France
    Portuguese - Portugal
    Concordo com o Who, salvo em que me parece que é 'a derribar cerros y casas'.
    Naturalmente, não sei qual o âmbito da tese de Riverplatense. Apesar disso, julgo que estará certamente ao corrente de que o português do século XVI está muito distante do actual e que o português camoniano, por necessidades e engenho do poeta, talvez nem ao português da época correspondesse.
     
  4. WhoSoyEu

    WhoSoyEu Senior Member

    Rio de Janeiro
    Español Latam, Português Br
    Eu optei (por lógica e pela colocação da vírgula e do "e", a derrubar somente as casas e a tomar os montes (dificilmente seriam derrubados) e as torres.
     
  5. Riverplatense

    Riverplatense Senior Member

    German – Austria
    Muito obrigado a vós os dois. Naturalmente o português camoniano é bastante distante do actual, coisa que também me impede de compreender a maioria dos versos… Não obstante, neste exemplo trata-se somente de demostrar o fenómeno da conjugação perifrástica como tal, nos exemplos mais específicos usei frases mais comuns e portanto mais compreensíveis.
     
  6. Carfer

    Carfer Senior Member

    Paris, France
    Portuguese - Portugal
    Espere, agora que você chama a atenção para isso, parece-me que, na realidade, não era uma nem outra.
    Bem vistas as coisas, julgo que é:
    'Começam a ir tomando novas forças (ou seja, os ventos começam a ganhar novas forças)
    e derribando torres, montes e casas' (derribar tem como objecto torres, montes e casas - na linguagem poética não existem as impossibilidades que a razão nos dita)
     
  7. WhoSoyEu

    WhoSoyEu Senior Member

    Rio de Janeiro
    Español Latam, Português Br
    Tem toda a razão, Carfer. Concordo plenamente, esse é o sentido.
     
  8. Riverplatense

    Riverplatense Senior Member

    German – Austria
    Novamente obrigado.
     
  9. chlapec aMODiño...

    Galicia, Spain
    Galician & Spanish-Spain
    A ordem lógica seria a seguinte:
    ...que os ventos (mais que nunca impetuosos) começam a ir tomando novas forças, derribando torres, montes e casas.
     

Share This Page