Conjuntivo: pudessem/ tenham podido/ tivessem podido vir ontem a festa

Discussion in 'Português (Portuguese)' started by Magda M., Dec 2, 2012.

  1. Magda M. New Member

    Olá a todos!

    Tenho uma pergunta para os nativos de português. Qual seria uma opção que ao vosso parecer, convêm melhor? O exemplo problemático é o seguinte:



    • Foi pena que os teus irmãos não pudessem/ tenham podido/ tivessem podido vir ontem a festa.

    Dependendo do contexto, podem todas as formas ser corretas?


    Seria muito obrigada pela vossa ajuda!
     
  2. anaczz

    anaczz Senior Member

    À beira do Oceano Atlântico
    Português (Brasil)
    As duas primeiras me parecem mais adequadas:

    Foi pena que os teus irmãos não pudessem vir ontem à festa. (não podiam ontem)
    Foi pena que os teus irmãos não tenham podido vir ontem à festa. (não puderam, fato consumado)

    Já a terceira forma fica melhor aplicada em frases onde há uma hipótese sobre algo que não ocorreu no passado (difícil explicar...)
    por exemplo:
    Se os teus irmãos tivessem podido vir ontem, a festa teria sido mais divertida.
     
  3. Guigo

    Guigo Senior Member

    Rio de Janeiro
    Português (Brasil)
    Ana, eu fico pensando se, aqui no Brasil, não usamos outras maneiras:

    - Foi pena que teus irmãos não vieram à festa ontem. (não quiseram vir, não lembraram da festa ou não foram convidados);
    ou
    - Foi pena que teus irmãos não puderam vir à festa ontem. (tiveram algum contratempo).

    :)
     
  4. Carfer

    Carfer Senior Member

    Paris, France
    Portuguese - Portugal
    Acho que as três podem ser correctas, dependendo, de facto, do contexto. Para além do que disse a anaczz, a terceira costuma ser usada em situações em que houve uma expectativa de algum bem que foi frustrada pela ausência dos irmãos. No fundo, a mesma ideia, expressa de outra forma, de 'Ah! que bom que teria sido se os teus irmãos tivessem podido vir ontem à festa'
     
  5. anaczz

    anaczz Senior Member

    À beira do Oceano Atlântico
    Português (Brasil)
    Pois é, Guigo, depende do contexto, e de com quem você fala. Mas parece que a dúvida é sobre o uso do subjuntivo/conjuntivo.
     
  6. XiaoRoel

    XiaoRoel Senior Member

    Vigo (Galiza)
    galego, español
    En galego é a mesma cousa que en portugués. Pero en vez de foi pena que (que tamén se usa) preferimos mágoa: mágoa/foi pena/foi mágoa que os teus irmáns/irmaos non pudesen/teñan podido/tivesen podido vir onte á festa. Moi coloquial e expresiva é esta construción: (foi) mágoa non viren os teus irmáns/irmaos onte á festa, co infinitivo conxugado como suxeito de foi (ou, sen foi, como núcleo dun sintagma nominal do que mágoa sería o adxacente adxectivo).
     
  7. Carfer

    Carfer Senior Member

    Paris, France
    Portuguese - Portugal
    Que também se usa em português, pelo menos no de Portugal.
     
  8. uchi.m

    uchi.m Senior Member

    Redeeming limbo
    Brazil, Portuguese
    Esse exemplo não é muito feliz. Vou dividi-lo em duas orações no modo indicativo:
    1. Foi pena.
    2. Os teus irmãos não puderam vir.
    Veja que as duas orações foram realizadas; portanto, são fatos e devem estar no indicativo mesmo: Foi pena que os teus irmãos não puderam vir.

    Já agora, vejamos orações que ainda não foram realizadas:
    1. Seria pena.
    2. Os teus irmãos não poderão vir.
    Nesse caso, a primeira oração está no tempo condicional, também chamado de futuro do pretérito; a segunda oração deve subjazer a realização da primeira. Portanto, nesse caso, o conjuntivo poderia ser utilizado. Entretanto, conforme exposto por Magda M., existem três possibilidades para o verbo na segunda oração:
    1. não pudessem
    2. não tenham podido
    3. não tivessem podido
    O verbo 2 não poderia ser usado, porque uma oração no presente do conjuntivo não pode estar sujeita a uma oração principal no pretérito. Sobram os verbos 1 e 3.

    O verbo 1, não pudessem, exprime que há possibilidade de não poder. O verbo 3, não tivessem podido, exprime que há possibilidade de poder. Portanto, o verbo 1 combina com a oração 2: Seria pena que os teus irmãos não pudessem vir.

    O verbo 3 funcionaria bastando apenas modificar a oração 1 para teria sido pena se: Teria sido pena se os teus irmãos não tivessem podido vir. Veja que esta oração também retrata um fato consumado: o de que os irmãos vieram à festa, portanto, está num tempo pretérito, o que não ocorre logo acima, na frase em verde.

    A frase em azul, portanto, é a antítese da frase em vermelho e vice-versa.
     
    Last edited: Dec 4, 2012
  9. Carfer

    Carfer Senior Member

    Paris, France
    Portuguese - Portugal
    Percebo a lógica, mas no português de Portugal, pelo menos, ninguém diria isso assim. Essa construção soa até mesmo muito estranha. Diria que, para nós, o uso do conjuntivo é obrigatório nesse caso. O facto de estar em causa uma avaliação, um sentimento, não terá aí influência?
     
  10. uchi.m

    uchi.m Senior Member

    Redeeming limbo
    Brazil, Portuguese
    Penso que sim, Carfer; não sabia como era usada a expressão em Portugal. No Brasil, acredito, usamos o modo indicativo, mas posso estar enganado.
     
  11. anaczz

    anaczz Senior Member

    À beira do Oceano Atlântico
    Português (Brasil)
    É a história de sempre...
    Creio que, aqui, o mais natural, realmente, é dizermos: "Pena que teus irmãos não puderam vir."
    Mas a prescrição é como o Carfer diz, o "foi pena que" requer um subjuntivo.
     
  12. Ariel Knightly

    Ariel Knightly Senior Member

    Rio de Janeiro
    Brazilian Portuguese
    Existe mesmo prescrição para isso? Aliás, alguém, no Brasil, realmente diz Foi pena que? As únicas formas que eu conheço são Pena, Que pena, É uma pena e Eu acho uma pena.

    1) É uma pena que os seus irmãos não tenham podido vir. --> Formal por conta (1) do particípio de poder - que é raramente usado por aqui - e (2) da estrutura "ter + particípio + infinitivo", que não é tão comum na fala natural.
    2) (Que) pena que os seus irmãos não vieram! --> Natural.
    3) Eu acho uma pena os seus irmão não terem vindo. --> Natural.
     
  13. Carfer

    Carfer Senior Member

    Paris, France
    Portuguese - Portugal
    Em Portugal, mesmo só 'Pena' ('Pena que os seus irmãos não tenham vindo/não viessem/não tivessem podido vir') pede conjuntivo
     
  14. anaczz

    anaczz Senior Member

    À beira do Oceano Atlântico
    Português (Brasil)
    Bem, eu digo "foi pena" e conheço muita gente que também diz.

    Ainda bem que eles vieram, só foi pena eles não chegarem a tempo para a festa!
    É, foi pena mesmo.
     
  15. Easygoing Junior Member

    Brasília, Brazil
    Brazilian Portuguese
    Magda M., muita gente já se manifestou com propriedade sobre sua dúvida, mas, mesmo assim, eu gostaria de deixar aqui minha opinião.

    O contexto é aquele em que a festa efetivamente ocorreu e em que os irmãos realmente não se fizeram presentes, não é? Nesse caso, cabe a opção do meio: "... QUE teus irmãos não tenham podido vir ...".

    A primeira opção poderia ser usada na seguinte estrutura: Seria uma pena SE teus irmãos não pudessem vir à festa. Nesse caso, a festa ainda não ocorreu e a presença dos irmãos é esperada.

    A última opção poderia ser usada na seguinte estrutura: Teria sido uma pena SE teus irmãos não tivessem podido vir à festa ontem. Nesse caso, a festa efetivamente ocorreu e os irmãos realmente se fizeram presentes. Nele, o falante apenas conjectura a respeito da possibilidade de eles não terem comparecido. Conjectura esta que seria mais objetivamente veiculada com o seguinte período: Teria sido uma pena SE teus irmãos não tivessem vindo à festa ontem.
     
    Last edited: Dec 9, 2012
  16. Douglas de Macedo Junior Member

    português
    O subjuntivo é usado quando não há certeza. Talvez “pudessem” estar na festa, mas não os procuramos direito, então não sabemos…

    Quem sabe “tenham ido”, em vez de quem sabe “foram”. Quem sabe tenha podido ir à festa, mas…

    Eles não “puderam” (na certeza usa-se o indicativo) vir ontem à (crase “ao” baile) festa, que pena!

    Se subtendesse uma indefinição, a crase seria desnecessária. O garoto vai a (este “uma” (neste caso) poderia ser invisível) festa sem sua mãe.

    “Tenham podido” está no pretérito “perfeito” do subjuntivo.
    O garoto foi. Pretérito “perfeito” do indicativo (ação acabada). (verbo ser: “foi”)

    “Pudessem” está no pretérito “imperfeito” do subjuntivo.
    O garoto ia. Pretérito “imperfeito” do indicativo (impressão de continuidade). (verbo ser: “era”)
     

Share This Page