1. The WordReference Forums have moved to new forum software. (Details)

consigo/contigo/com você

Discussion in 'Português (Portuguese)' started by YALAK, Jul 18, 2008.

  1. YALAK Senior Member

    In Luanda-Angola
    Portuguese
    Caros amigos

    Li há anos, que, o uso de «consigo», quando nos dirigimos a alguém,está errado.É preciso intimidade para dizer «contigo».Como fica a questão?Porque estaria errado dizer «consigo»? Para não confundir com o verbo conseguir?
     
  2. Outsider Senior Member

    Portuguese (Portugal)
    Tradicionalmente, só se usava "consigo" quando significa "consigo mesmo/a(s)", isto é quando representa um pronome reflexivo. "Ela estava zangada consigo" (=com ela própria). Para dizer que ela estava zangada com a pessoa a quem nos dirigimos, usaríamos "contigo" ou "com você".

    Mas em Portugal, e presumo que também em Angola, está bastante generalizado o uso de "si" e "consigo" como forma de tratamento, de tal modo que já nem é criticado. No Brasil não o fazem.
     
  3. YALAK Senior Member

    In Luanda-Angola
    Portuguese
    Muito grato pela precisão e clareza das respostas.
     
  4. Dom Casmurro

    Dom Casmurro Senior Member

    Brazil Portuguese
    Interessante, Out. Não sabia que, em algum momento no passado, o "si" e o "consigo" foram condenados, em Portugal, como formas de tratamento. Hoje, sei que o seu uso, com essa função, generalizou-se entre os portugueseses - o que, como deve saber, causa estranheza a ouvidos brasileiros.
     
  5. Outsider Senior Member

    Portuguese (Portugal)
    Não sei se chegaram a ser condenados, mas creio que em português clássico essas palavras só se usavam em sentido reflexivo. Parece-me que a reanálise de "si" e "consigo" como sinónimos formais de "ti" e "contigo" deve ter tido origem no período em que o tratamento por "vós" caiu em desuso.
     
  6. Denis555

    Denis555 Senior Member

    Cracóvia, Polônia
    Brazilian Portuguese
    Gramáticos brasileiros condenam essas formas [consigo, si] quando não reflexivas mas condenam também começar uma frase com o pronome oblíquo (típicamente brasileiro). :confused:
     
  7. Kayumi New Member

    Portugal
    Portuguese - Portugal
    Ora bem, "consigo" não se usa em português de Portugal com amigos, com amigos e pessoal conhecido usa-se "contigo". Consigo é muito formal e é usado com pessoas de idade, chefes e etc.

    "Com você" é abrasileirado, mas creio que é informal.
     
  8. ticado New Member

    Belo Horizonte, Brazil
    Brazil - Brazilian Portuguese
    Olá,

    'com você' não é informal no português brasileiro. Essa forma é, de fato, a indicada nas gramáticas brasileiras.
     
  9. djlaranja

    djlaranja Senior Member

    Recife
    Brazil / Brazilian Portuguese
    Yalak,

    Acho que o uso exclusivamente como reflexivo tem a finalidade de evitar ambigüidades. No entanto, a ambigüidade não está relacionada com o verbo conseguir (como perguntou originalmente).

    O problema é que consigo poderia (além do uso do reflexivo, consigo mesmo), significar "com você" ou "com ele".

    O problema é que a lógica seria:

    * me, mim, comigo = 1ª pessoa
    * te, ti, contigo = 2ª pessoa
    * se, si, consigo = 3ª pessoa

    Além disto, há mais um complicador: na 2ª pessoa, o uso substituiu o tu pelo você (isto é verdade no Brasil). Então os correspondentes seriam se, si e consigo para a 2ª pessoa... o que complica tudo!

    Até os possessivos seu e sua, usados para a 2ª pessoa (significando que pertence a você), terminam obrigando o falante de português a usar dele (ou dela), em lugar dos possessivos naturalmente usados para a 3ª pessoa.

    Mas estes são outros quinhentos, embora eu ache que é mais uma ambigüidade que se tenta evitar.

    Abraços,

    Denilson Laranjeira
     
  10. Vós

    Vós Senior Member

    Bahia
    Portuguese
    Eu estava a assistir o filme 'O Último vôo do Flamingo' a localidade é Moçambique, todavia, o português falado pode-se considerar europeu.

    Notei que o o modo de falar empregava o pronome consigo para segunda pessoa do singular.

    Até ai nada de anormal, porque, já tinha amigos portugueses.

    No Brasil para a segunda pessoa do singular utiliza-se o pronome contigo.

    Sendo em ambos os países o pronome consigo (para as terceiras pessoas) utilizado raramente pelas pessoas.

    Fazendo uma síntese disso tudo eu peguei várias dúvidas comigo.

    1- Em Portugal, utiliza-se consigo representando a terceira pessoa do singular ou terceira pessoa do plural, mesmo sendo raro?

    2- Gramaticalmente o pronome consigo funciona como segunda pessoa do singular ou é algo popular?

    3- O pronome contigo existe em Portugal?

    4- Agora, a utilização do pronome consigo nos países que falam um português europeu tem alguma relação íntima com o pronome você, pois, ambos os pronomes declinam na terceira pessoa, não é? Ou é algo bem mais antigo?

    5- Em Portugal é aceitável falarem contigo, em vez de, consigo, vós entederíeis?

    6- No Brasil, substitui-se muito o pronome consigo pelo "pronome com ele", (s) devido a nossa imperícia com os pronomes sem ser do caso reto. Por vício, eu também falo 'com ele', mas sei que deveria ser dito 'consigo', logo, muitas vezes eu fico receoso.

    Sempre pode-se substituir o "pronome com ele", (s) por consigo? (no Brasil)

    7- Como fica esta divergência no desacordo ortográfico?
     
  11. Vanda

    Vanda Moderesa de Beagá

    Belo Horizonte, BRASIL
    Português/ Brasil
    Vós, juntei a uma antiga discussão sobre o uso do consigo e contigo. Veja acima!
     
  12. Vós

    Vós Senior Member

    Bahia
    Portuguese
    Obrigado, Vanda!
     
  13. Alentugano

    Alentugano Senior Member

    Português - Portugal
     
    Last edited: Aug 9, 2011
  14. Vós

    Vós Senior Member

    Bahia
    Portuguese
    É informal e erradíssimo até onde eu sei.

    Claro que na língua falada é muito aceito.
     
  15. englishmania

    englishmania Senior Member

    Portugal
    European Portuguese
    Em Portugal, consigo=com você (forma de tratamento formal, que denota respeito, usada com pessoas desconhecidas ou com quem não temos muita confiança). Apesar de falarmos directamente com a outra pessoa, tratamo-la por você, o que também acontece no Brasil e usamos a 3a pessoa do singular (Precisa de alguma coisa?).
    Ex.: Está tudo bem consigo? / Pensava que ele tinha ido consigo.

    Contigo corresponde à segunda pessoa do singular (tu) e é uma forma de tratamento familiar, usada entre amigos/familiares, pessoas com quem temos algum grau de proximidade/amizade/confiança. Coloca-se o verbo na 2a. pessoa do singular (Precisas de alguma coisa?).
    Ex.: Está tudo bem contigo?/ Pensava que ele tinha ido contigo.


    Falei com ele/ela/eles/elas para mim é diferente de falei consigo.

    Diria apenas Ele(s) estava(m) desiludido(s) consigo (=com você).
    Ele(s) estava(m) desiludido(s) consigo mesmo(s)/próprio(s).
     
  16. Istriano

    Istriano Senior Member

    -
    Só uso com você.

    (Expressões cristalizadas fogem a minha regra: Estou contigo e não abro).
     
  17. Vós

    Vós Senior Member

    Bahia
    Portuguese
    Alentugano, obrigado pelas respostas.

    Pelas postagens anteriores, acho que minha dúvida na questão quatro foi clarificada.

    Eu apenas coloquei o verbo na questão cinco com o pronome vós, porque sou fã da declinação do verbo neste pronome, entretanto, não domino isto totalmente, já viste meu nome?

    Eu já sabia, que em Portugal, atualmente, vós usais o vocês, em vez de, vós.

    Alguém responderia a questão seis?

    Importante - Vós notastes que o fórum está rosado com a mensagem "this thread has been deleted"?
     
    Last edited: Aug 9, 2011
  18. englishmania

    englishmania Senior Member

    Portugal
    European Portuguese
    =
    É engraçado ler "vós notastes que...?" quando o normal seria dizermos "(vocês) repararam que...?"
    Reparei, sim, e não gosto lá muito de rosa. :D

    Quanto à pergunta 6, eu diria o seguinte:

    Está tudo bem consigo? (=com você)
    Ele não está satisfeito consigo próprio. (=com ele próprio)
    Falei com ele ontem.
     
  19. Denis555

    Denis555 Senior Member

    Cracóvia, Polônia
    Brazilian Portuguese
    "Com você" erradíssimo???

    De onde você tirou essa ideia?! Poderia nos prover alguma fonte?
     
  20. Vós

    Vós Senior Member

    Bahia
    Portuguese
    Até onde eu já li nas gramáticas, e pelo que já meus professores me disseram, falar "com você" seria o mesmo que falar "em +a cadeira" na cadeira.

    Os pronomes (eu,tu,você,ele, ela, nós, "a gente", vós, vocês, eles) que vêm precedido de com devem aglutinar e assim resulta: contigo, no caso no Brasil, (em Portugal é outra história) pois em teoria deveria ser consigo apesar de o você ser segunda pessoa do singular, o mesmo, funciona como a terceira pessoa do singular nas declinações, logo, deveria trabalhar para o pronome "com +você", não obstante, neste caso a preferência é do pronome mais clássico o tu.

    Tu que deverias prover uma fonte pois minha informação que é a padrão...
     
    Last edited: Aug 9, 2011
  21. Istriano

    Istriano Senior Member

    -
    É que você não é pronome e sim forma de tratamento, por isso podemos escrever: Vejo você (objeto direto), Vou com você mas não podemos escrever: Vejo tu; Vou com tu.
     
  22. Vós

    Vós Senior Member

    Bahia
    Portuguese
    Istriano gostei do seu argumento, mas, atualmente o você tem caráter pronominal, ou até mesmo, já seria um pronome derivado de uma forma de tratamento.

    Soa-me esquisito você como forma de tratamento, mas, vivendo e aprendendo, no entanto não perdi a preferência pelo contigo, já que, na prática, você sempre funcionou como um pronome de quando nasci até hoje.
     
  23. Denis555

    Denis555 Senior Member

    Cracóvia, Polônia
    Brazilian Portuguese
    http://www.brasilescola.com/gramatica/o-uso-consigocontigo.htm
     
  24. anaczz

    anaczz Senior Member

    À beira do Oceano Atlântico
    Português (Brasil)
    Não creio que o caso deva-se à nossa imperícia com pronomes; penso que a mensagem do DJLaranja dá uma pista melhor sobre o porquê.
    Isso é porque a Vanda incorporou a nova discussão a este thread sobre o mesmíssimo assunto.
     
  25. Vós

    Vós Senior Member

    Bahia
    Portuguese

    Istriano já revelou eu penso o motivo, mas, se queres saber a comparação da explicação no artigo deste link é deverás infeliz, numa dada parte, pois, não se compara "Quero falar consigo!" (Quero falar com ele ou Quero falar com ela!) como se fosse, "Quero falar com você!

    Mesmo porque, não precisaria dizer, que, "com você" não se aglutina para "consigo", já que, isso, apesar de ser lógico não é, muito menos comum (como em Portugal) ou gramatical.

    Era só dizer como Istriano me disse é uma forma de tratamento por isso poderia.

    Pela explicação deste artigo parece-me que deveria ser explicado que:

    O pronome consigo é reflexivo então tu não podes dizer como se fosse para alguém: (Exemplo)

    (Detetive) - Oi, eu estou procurando uma pessoa, e quero falar consigo. (O certo pelo entendimento da explicação do artigo seria, "Oi, eu estou procurando uma pessoa, e quero falar com ele."
    (Borracheiro) - Eu não o conheço, desculpe-me.


    Sintetizando, está mal explicado este artigo e não caracterizaria um bom argumento, já que, ele parece misturar as vertentes da língua portuguesa européia com a língua portuguesa brasileira, no mínimo bem ambüigo.

    Acrescentando: Isso me responderia a questão seis, e então, o pronome ele ou ela precedido de com não deveria aglutinar para consigo a não ser se tivesse função reflexiva.

    Vou dá uma pesquisada neste ponto e perguntar ao meu professor de gramática. :)
     
    Last edited: Aug 10, 2011
  26. Vós

    Vós Senior Member

    Bahia
    Portuguese
    Retiro o que disse, foi um equívoco.
     
  27. ZangiefZangado Junior Member

    Brazil
    Portuguese (Brazilian)
    Qual o embasamento para os portugueses dizerem "Concordo consigo, João"?
    Se em Portugal, até onde sei, não se usa o "você", não faria mais sentido dizer "Concordo contigo"?

    Em tempo, como é a questão dos pronomes pessoais em Portugal? O "vós" pode ser usado para o singular também?
     
  28. Vanda

    Vanda Moderesa de Beagá

    Belo Horizonte, BRASIL
    Português/ Brasil
    Juntei a uma discussão (vide acima) onde vários portugueses falam sobre o uso de'consigo'.
     
  29. anaczz

    anaczz Senior Member

    À beira do Oceano Atlântico
    Português (Brasil)
    Em Portugal não se usa você, relativamente!
    Muitos portugueses recomendam que não se use a forma de tratamento "você", pois pode ser considerada ligeiramente ofensiva para alguns grupos, mas as formas da terceira pessoa são largamente usadas, omitindo-se o "você".
    Em geral, não se usa a segunda pessoa com desconhecidos, com pessoas mais velhas, autoridades, etc. Chega a ser considerado, por alguns, um desrespeito uma pessoa que mal o conheça tratá-lo por tu e, portanto, usar os verbos na 2ª pessoa do singular.

    Mas, como em tudo, há quem aplique o "consigo" mesmo tratando o interlocutor na segunda pessoa. Tive a impressão de que o "consigo" é meio generalizado e raras vezes ouvi "contigo", até evitava falar. Mas se perguntarmos às pessoas, todas são unânimes em dizer que quando trata uma pessoa por tu, o pronome deveria ser contigo.
     
  30. J. Bailica Senior Member

    Portugal
    Português - Portugal
    É bom juntar as fiadas (discussões), mas não sei se se pode obter uma resposta imediata à questão específica, lendo as postas (mensagens) antigas.
    É assim: nós usamos o 'você', com bastante frequência, ainda que menos do que no Brasil. 'Quem é você?', 'Você não merece o meu apreço!', etc.
    Entre pessoas que não são, entre si, de cerimónias (amigos, jovens, um casal, etc.) usamos o 'tu'. E entre pessoas de grande respeito e cerimónia usamos 'o senhor'; 'o doutor'; 'o meu amigo'; o nome próprio ('o Joaquim não merece o meu apreço!', diz-se, sendo a frase dirigida ao próprio Joaquim). Ou seja, do mais informal para o mais formal (embora haja exceções e nuances aqui), fica: 'tu'; 'você'; e 'senhor' (ou uma das outras formas equivalentes)


    O que nós tendemos a não dizer, ou pelo menos algumas pessoas alegadamente mais 'bem-falantes', é: "eu já falei com você sobre o assunto", e sim "eu já falei consigo sobre o assunto". Sendo pessoa a quem tratamos por 'tu', usamos 'contigo', e não 'consigo'.



    Sobre o 'vós': ele quase não se usa no plural (exceto nalgumas zonas) , portanto muito menos para a 2ª pessoa do singular. Talvez um bispo trate o papa por 'vós', ou coisa assim.

    Ah, e isto foi escrito antes de haver a posta da Anaczz. Ela tem razão nalgumas coisas, mas outras não são bem assim (desculpe, Czz...)
     
  31. Carfer

    Carfer Senior Member

    Paris, France
    Portuguese - Portugal
    Já agora seria interessante saber quais, J.Bailica. Parece-me que o que a anaczz diz está certo e o que você diz também. Se há alguma contradição, será mais aparente do que real ou poderá corresponder às nuances que referiu. Suponho que não perderemos nada em clarificar isto, no interesse dos não nativos e dos que o são mas têm outros usos.
     
  32. J. Bailica Senior Member

    Portugal
    Português - Portugal
    Tem razão, Carfer. Vou então clarificar. Eu pessoalmente não recomendaria o não uso de 'você' - ou não necessariamente. O uso de ''você' pode ser na verdade, enfim, inadequado. OK. (Ou mesmo ofensivo, pronto). Mas depende das circunstâncias. Por isso, talvez tentasse explicar como, ou quando, se pode usá-lo, se quem escutasse os meus conselhos já tivesse proficiência suficiente na língua para tal. E, a novatos no português, talvez até recomendasse o uso de 'você' sempre; simplifica a vida a quem se perderia entre as conjugações na 2ª pessoa, com o 'tu', e as da 3ª pessoa, que, para maior confusão, podem empregar-se tanto com 'você' como com 'o senhor, etc,'. E depois, pela boca de um «gringo» - enfim, um ser de outro habitat! - ninguém, mas ninguém, me parece que leve a mal o 'você'. Em todo o caso [lá está outra vez o editor a não me permitir parágrafos!], mesmo entre portugueses não há propriamente uma redonda ofensa, diria eu, em usar essa forma de tratamento, a não ser que se faça de forma ostensiva e propositada. De resto, mais depressa revela ignorância ou desmazelo do que injúria. Outra coisa em que não concordo muito com a quase sempre certeira Anaczz é no uso do 'contigo'. Ele é usado sempre que tratamos o interlocutor por 'tu'. Exemplo: «Tu já sabes que eu só vou a essa discoteca contigo». Ora, nesta fase da minha vida, acho que trato mais de 50% das pessoas com as quais 'tenho trato', com as quais comunico diariamente, por 'tu'. E isto até não anda muito longe, provavelmente, do que acontece com a generalidade da população.
     
  33. Carfer

    Carfer Senior Member

    Paris, France
    Portuguese - Portugal
    Para mim (no meu uso, quero eu dizer) 'você' é um meio-termo entre a familiaridade do 'tu' e a cerimónia do 'senhor/minha senhora'. Há quem advirta contra o uso de 'você' por causa do risco de ser entendido como desrespeitoso. Bem... a mim parece-me que qualquer tratamento pode ser desrespeitoso, até o próprio 'senhor'. Depende do contexto e do tom em que se diz. Não é isso que acontece quando um superior hierárquico interpela, em tom sarcástico ou de mofa, um subordinado que habitualmente trata por 'tu' dizendo 'Então você/o senhor não sabe que...', censurando-lhe algo que fez mal? E também não sucede o mesmo quando alguém espera uma tratamento de deferência, como, por exemplo, 'senhor' e alguém se lhe dirige com um 'você'? É óbvio que, em tais casos, o 'você', mesmo estando a meio da escala da formalidade, pode ser inconveniente. Em geral, penso que não é o caso. Eu trato por 'você' as pessoas com quem não tenho familiaridade mas com as quais também não tenho motivo para ser deferente. Creio que esta é a regra do uso do 'você' em Portugal. Mas, sendo regra, está muito longe de ser absoluta. Sucede que posso tratar alguém por 'você' num contexto informal e usar outro tratamento onde ele não caiba. Fora da sala de audiências, num qualquer encontro informal, posso tratar por 'tu' um juiz que foi meu colega de faculdade, ou por 'você' se não o conheço muito bem. Dentro da sala é outra música, o 'Vossa Excelência' é de regra, seja amigo ou não. O problema de ensinar o uso de 'você' a um estrangeiro não é, pois, uma questão estritamente linguística. O que ele tem que aprender, sobretudo se provier de uma sociedade menos formalista do que a nossa, são os nossos usos e costumes na matéria. Sem isso, não adianta muito explicar-lhe regras, que são eminentemente falíveis quando confrontadas com contextos que ele desconhece.

    P.S. Há, no entanto, uma maneira de contornar essa dificuldade, que penso que é o melhor conselho que posso dar a quem queira saber como se mover nestes nossos meandros: é usar sempre o verbo na terceira pessoa omitindo o uso expresso de 'você' ('[Você] acha que...', 'Peço-lhe que...'.) em todas as situações em que não seja adequado o 'tu'. É que a terceira pessoa, servindo para ambos os tratamentos formais, é suficientemente ambígua para evitar melindres.

    Relendo o tópico, venho que a anaczz já tinha dado tal conselho. Chovi no molhado, mas fica como reforço.
     
    Last edited: Jul 1, 2013
  34. J. Bailica Senior Member

    Portugal
    Português - Portugal
    Você e eu ainda nos vamos ofender com esta conversa do você. :)
     

Share This Page