1. The WordReference Forums have moved to new forum software. (Details)

Novamente o diasistema galego-portugués. Diferencias.

Discussion in 'Português (Portuguese)' started by XiaoRoel, Mar 6, 2013.

  1. XiaoRoel

    XiaoRoel Senior Member

    Vigo (Galiza)
    galego, español
    No culture cafe hai un fío sobre as diferencias entre o galego e o portugués que pode ser de interese para os utentes deste foro e, en xeral, para estudantes de línguas románicas, hispánicas e, en especial, para os estudantes de filoxía galega ou portuguesa.
     
  2. Ruca Senior Member

    Grande Porto
    Português Europeu
    Olá XiaoRoel,

    Obrigado.

    Quando se compara o galego com o português, normalmente faz-se a comparação com o português padrão. Mas se se fizer a comparação com o português popular do norte de Portugal, as diferenças não não tão grandes. Recordo-me muito bem de ouvir, quando era criança, muitas pessoas mais velhas dizerem "auga", "onte", "escuita", "gardar", "home", "saudable" e muitas outras palavras muito mais próximas do galego do que as formas do português padrão.
     
  3. Vanda

    Vanda Moderesa de Beagá

    Belo Horizonte, BRASIL
    Português/ Brasil
    Só lembrando que o link do Xiao só é acessível a quem tem mais de 6 meses nos fóruns. :) Portanto, esses, que não têm acesso, podem comentar aqui se tiverem vontade.
     
  4. XiaoRoel

    XiaoRoel Senior Member

    Vigo (Galiza)
    galego, español
    Uma comparação (no nível padrão das línguas en questão, galego e, nesta ocasião, o portugués europeo). A comparação é sobre os titulares da imprensa, exactamente do Público de Lisboa:
     
  5. XiaoRoel

    XiaoRoel Senior Member

    Vigo (Galiza)
    galego, español
    O tipo de redação das notícias não é em muitos casos o que escreveria un periodista galego, pero procurei manter este tipo de redação para olharmos melhor as diferenças ('poucas) e as coincidências (muitas).
    No caso de -ut-/-uit-, a soluçao maioritária no galego é -oit-, pero na zona suroccidental e sudcentral (no territorio do Conventus Bracarensis que hoxe está nos límites administrativos da Galiza) a solución é -uit- e no oriente da Galiza (nos límites com o leonês) é, como en muitas palavras do português -ut-.
    Como comentei no CC, a maior diferença está na representação gráfica das fricativas (-s-, -z-, -ss-, ç, -g(e)-, -g(i)-, -j-, -x-, -ch-, em português, e mais reduzido em galego, -s-, -z-, -c(e)-, -c(i), x, en galego o grafema -ch- representa, como em portugal a norte do Douro, a africada [t∫]), nh, lh em português, pero em gallego ñ, ll, diferença jà existente na época medieval, desde o pulo que dom Dinís deu a esta grafia provençal, e a solucão na escrita das nasais (vogais nasais, diptongos nasais, finais com nasal) e tamén no sistema de acentuação.
    Como mui bem di Ruca, a norte do Douro e mais nas falas raianas de Tras-Os-Montes e Minho, as falas estão muito perto em vocabulario, construcão sintáctica, escolha vocabular, expresões típicas e, por suposto, na cultura material. A continuidade da antiga Gallaecia é evidente para o dialectólogo. E até o Douro as asiglosas e as isófonas são em vertical, a sul do Douro são horizontais, em respondência ao proceso da conquista (norte > sul) e a escolla vocabular e a pronúncia são muito diferentes do que as falas "galegas" (isto é muito evidente nas finas nasais, na clareza na pronúncia das vogais átonas, no mantemento do -ch- africado, e do -r- vibrante (não gutural, que é moda francesa muito modernas que escasamente atingiu a Galiza bracarense a norte do Douro).
    A comparacão com as falas brasileira têm outros parámetros jà que a língua levada com a conquista para o Brasil é uma língua padrao, uma lingua desprovista de riscos especiais, pero corresponde ao século XV, quando o galego e o portugués áinda eram dialectos da língua medieval, situação que se mantem até o 1550, data "pactada" entre os estudosos.
     
  6. patriota Senior Member

    São Paulo
    Português - Brasil
    :confused:
     

Share This Page