1. The WordReference Forums have moved to new forum software. (Details)

Objeto Indireto - Polêmica!

Discussion in 'Português (Portuguese)' started by edraganov, Oct 18, 2013.

  1. edraganov

    edraganov Junior Member

    Portuguese
    Olá pessoal!

    Realmente o português é uma língua com muitas facetas a serem discutidas. Estava lendo o livro do mestre "Bechara" e, mais especificamente no capítulo cujo tema é o Objeto Indireto, me deparei com a seguinte construção:

    Alguns alunos compraram flores para a professora.

    Segundo Bechara, a construção "para a professora" é um dativo livre e não um objeto indireto. Caso a oração fosse composta por um objeto indireto, o correto seria:

    Alguns alunos compraram flores ao florista para a professora.

    Embora eu entenda a argumentação do autor quanto ao termo "para a professora", não entendi como o sintagma "ao florista" pode ser classificado como um objeto indireto. Quando você compra, você compra DE ALGUÉM e não A ALGUÉM, não?

    Se alguém puder me ajudar, ficarei extremamente grato.

    Obrigado,
    Erik
     
  2. Carfer

    Carfer Senior Member

    Paris, France
    Portuguese - Portugal
    No português de Portugal 'compra-se alguma coisa a alguém' não 'de alguém'. Nesse sentido, para nós não há nenhuma dúvida de que é um objecto indirecto. Já ouvi brasileiros usar a construção 'comprar de alguém', por isso imagino que se trate de uma particularidade do português do Brasil, mas a diferente regência não acarreta uma alteração da função sintática, continua a ser objecto indirecto.
     

Share This Page