1. The WordReference Forums have moved to new forum software. (Details)

rapar a moleirinha

Discussion in 'Português (Portuguese)' started by zizie, Dec 2, 2012.

  1. zizie Junior Member

    english - uk
    Boa tarde!

    Tenho algumas dificuldades com essa expressão. Eis a frase:

    Nest país, o fascismo não está no Governo, na Economia nem na Justiça. Não estica o braço nem rapa a moleirinha. O fascismo não tem rosto.

    Minha tentativa de tradução: In this country, fascism isn't in the government, in the economy or in the courts. It doesn't (stretch out it's arms ??) or ??. Fascism doesn't have a face.

    O que acham? Penso que rapar = scrape / scratch e uma moleira é uma mulher quem trabalha num moinho... Tudo isso me parece bem abstrato! :confused: Assim se têm algumas explicações, seriam muito úteis para mim!

    Muito obrigada!
     
  2. Vanda

    Vanda Moderesa de Beagá

    Belo Horizonte, BRASIL
    Português/ Brasil
    This is from Portugal, right? I am pretty sure that is an expression. We'll need to wait for the Portugueses to help us.
     
  3. alFarrob

    alFarrob Senior Member

    Algarve, Portugal
    Português (Portugal)
    Não sei se era a intenção do autor, mas em Portugal, segundo o link que se segue será regionalismo da Beira e Trás-os-Montes, mas eu sou algarvio e sempre me lembro de ouvir falar na moleirinha. Por exemplo: "Cuidado com a moleirinha do bebé!". Por extensão, e de maneira mais ou menos familiar ou depreciativa, também se aplica a adultos. Rapar a moleirinha seria rapar o couro cabeludo. Uma pessoa com a moleirinha rapada será um "cabeça rapada".

    http://www.priberam.pt/dlpo/default.aspx?pal=moleirinha

    moleirinha 3. [Portugal: Beira, Trás-os-Montes] A grande fontanela (especialmente nas crianças).
    fontanela | s. f. 2. [Anatomia] Cada uma das partes membranosas do crânio do recém-nascido, destinadas a ossificarem-se com o tempo.
     
  4. Vanda

    Vanda Moderesa de Beagá

    Belo Horizonte, BRASIL
    Português/ Brasil
    Também dizemos moleira., mas eu não entendi que sentido pode ter ''rapar a moleirinha', pra quê?
     
  5. alFarrob

    alFarrob Senior Member

    Algarve, Portugal
    Português (Portugal)

    Porque alguns grupos neo-nazis e quejandos usam fazer isso mesmo, rapar o couro cabeludo. Embora essa moda de rapar o couro cabeludo se tenha generalizado, e e nem todos os neo-nazis o façam, ainda existe no imaginário popular a associação dessas ideologias aos "cabeças-rapadas".
     
  6. zizie Junior Member

    english - uk
    Muito obrigada! Entendo bem melhor assim! Então as 'cabeças rapadas' seriam como os 'skin-heads', não é? Rapar significa aqui raspar? E 'esticar o braço' significa aqui a continência de Hitler? Então o autor descreve os neo-nazis, e queria dizer que o fascismo não é sempre reconhecível, acho...
     
  7. alFarrob

    alFarrob Senior Member

    Algarve, Portugal
    Português (Portugal)

    Precisamente!


    Com o evoluir da conversa até me esqueci de responder à pergunta original, mas penso que deu para entender :)
     
  8. marta12 Senior Member

    Portugal
    português
    Não, penso que não tem a ver com os 'skin-heads', nem tem a ver com o neo-nazis.
    Não sei quem é o autor, nem que idade terá, mas penso que o sentido de 'rapar a moleirinha' no contexto de uma ditadura, tem a ver com o rapar dos cabelos a todos os que colaboraram com o Nazismo, no fim da 2ª grande guerra e 'esticar o braço' terá a ver com a saudação Hitleriana.
    No fundo, são as marcas de uma ditadura, apesar de ser simbólico.

    Edite. o que o autor quer dizer é que essa ditadura não tem marcas próprias e por isso não tem rosto, o que diga-se de passagem é bem mais aterrorizante, visto não se poder identificar e por isso ser mais difícil de combater.
     
    Last edited: Dec 2, 2012
  9. Vanda

    Vanda Moderesa de Beagá

    Belo Horizonte, BRASIL
    Português/ Brasil
    Ah!!! Sim.
     
  10. alFarrob

    alFarrob Senior Member

    Algarve, Portugal
    Português (Portugal)
    Estamos de acordo com tudo, a única dúvida é se com o "rapa a moleirinha" o autor está a pensar nos cabeças rapadas actuais, se nos antigos, se em ambos, se em nenhum deles e antes noutra coisa qualquer. Seja como for, esse rapar de moleirinha, tal como o esticar do braço, seria um sinal exterior, que por deixar de ser usado, ou de ser substituído por outros que não conhecemos, não nos deve adormecer e deixar enganar.
     
  11. Carfer

    Carfer Senior Member

    Paris, France
    Portuguese - Portugal
    Acho que ambos têm e não têm razão ao mesmo tempo, e não me levem a mal dizê-lo assim. De facto não é aos neo-nazis que se refere, embora sejam eles quem hoje exibe abertamente os sinais exteriores mais emblemáticos do fascismo: a saudação de braço ao alto (chamem-lhe romana, hitleriana ou o que queiram) e as cabeças rapadas ou os cortes de cabelo militares. Mas também não me parece que se refira ao rapar da cabeça aos colaboracionistas, porque essa não foi uma prática dos fascismos mas das populações dos países que estes ocuparam ao dominaram, ou seja, não é uma prática que se identifique com o fascismo, mas precisamente com o anti-fascismo da época, pelo que estaria em contradição com o resto da frase. Creio que o que o autor quer dizer é que o fascismo actual não tem rosto, não se exterioriza pelos seus sinais mais óbvios como são a saudação e a cabeça rapada ('moleirinha' significa cabeça, especificamente uma parte da cabeça dos bebés, e é usado ironicamente em boa parte de Portugal como sinónimo de 'cabeça' dos adultos), é um fascismo mais discreto, mais difuso, nada aparente e, por isso, mais dificilmente identificável como tal.
     
  12. alFarrob

    alFarrob Senior Member

    Algarve, Portugal
    Português (Portugal)

    Completamente de acordo.
     
  13. marta12 Senior Member

    Portugal
    português

    Também estou de acordo, Carfer!
     

Share This Page