Sobre a existência de [ɪ] no dialeto fluminense

Discussion in 'Português (Portuguese)' started by youkkai, Mar 5, 2014.

  1. youkkai

    youkkai New Member

    MG, BR
    pt-BR
    Eu já li em alguns lugares que [ɪ] existia, sim, no português: em alguns subdialetos do sul de São Paulo. São Paulo tem (sub)dialetos muito específicos, e por isso eu decidi "aceitar" a existência do fonema, apesar de que eu não me lembrar de já ter escutado ele. De qualquer forma, eu vi, aqui no fórum, uma discussão sobre os ditongos do RJ, e várias representações fonéticas tinham justamente o [ɪ] nelas, tanto nas vogais e.g. [ɪʃtu] em vez de [iʃtu] quanto nas semi-vogais e.g. [fɛɪʃta] em vez de [fɛjʃta].

    Isso me pareceu realmente muito estranho, mas só agora eu tomei coragem de criar um tópico sobre o assunto (tanto que eu nem lembro qual era o tópico sobre os ditongos e, por isso, não dá pra levantar essa questão lá mesmo). O "i" que o pessoal da Globo usa, por exemplo, não difere do meu (leste de MG) em nenhum grau, tanto em vogal quanto semivogal. Mas eu posso estar enganado (talvez os meus ouvidos estejam treinados pra sempre ouvir e [j] nesses casos).

    Enfim, alguém pode me ajudar com isso?
    Desde já agradeço ^^
     
  2. Ariel Knightly

    Ariel Knightly Senior Member

    Rio de Janeiro
    Brazilian Portuguese
    Desculpa, mas não tenho certeza se você chegou a perguntar alguma coisa. O que exatamente você quer saber?
     
  3. Alandria Senior Member

    Brasil - São Paulo
    Português
    Alongamento da vogai "e" nos gerúndios e no sufixo "ento(a)" é algo curioso e comum No Rio Grande do Sul, Paraná e Rio de janeiro. "Num to entendeeeeeeeeeeennndo". Totalmente diferente dos paulistas e catarinenses que diriam "inteindeindo". Seria a separação da vogal e reproduzindo o "n" sem necessariamente nasalizar o "e"?
    Gaúchos também puxam um "azinho" no final como os cariocas, néaaa? Taaaaá??????
     
  4. youkkai

    youkkai New Member

    MG, BR
    pt-BR
    Basicamente eu quero saber se [ɪ] existe no RJ
     
  5. Ariel Knightly

    Ariel Knightly Senior Member

    Rio de Janeiro
    Brazilian Portuguese
    Não sei exatamente o que você quer dizer com "[ɪ]". Apesar dos colchetes, acima você usou a palavra fonema, que é uma coisa diferente de um fone.

    Pergunta: Existe no Rio um fonema /ɪ/ se opondo ao fonema /i/?
    Resposta: Não. Nesse dialeto as formas [ɪ] e são alofones de um mesmo fonema, normalmente representado por /i/.
     
  6. makoto e toshio no rio Junior Member

    Around Rio de Janeiro
    BR Portuguese (dlt: flumi, acnt: krioca)
    Absolutamente não, Ariel. Pelo menos até onde eu consiga entender.

    A pronúncia carioca típica do e do é muito cardinal, aproximando o nosso sotaque daquele da língua japonesa, como tantas coisas no Brasil originárias do temperinho tupi (a pronúncia alvéolo-palatal para o x e o j, o ti e o di, e o nosso esse em coda, sendo o principal exemplo).

    O que varia bastante é o "a" (entre schwa e ä cardinal), o "e" (entre ê e o som inglês em cat, ocasionalmente com aquele famoso ditongo incluindo schwa) e o "o" (entre ô e ó, às vezes até um pouco mais aberto, e de novo ocasionalmente com a famosa ditongação).

    Até os nossos ditongos êi/éi e ou/óu são cardinalíssimos quando os fazemos caprichados, ao contrário de regiões mais meridionais e ocidentais do Brasil onde ele é mais parecido com aquele do inglês. O que é muito comum, é usarmos os monotongos [e:] e [o:] do alemão e do holandês mais que os ditongos em uma pronúncia casual.

    Eu tenho muita dificuldade em pronunciar os sons em "put" e "kit", tal como a maioria dos cariocas que tenta aprender inglês.

    Em São Paulo o e o átono padrões são bem mais centralizados e mais abertos que os daqui. A nossa pronúncia tem um q mais fundo. ;)
     
  7. makoto e toshio no rio Junior Member

    Around Rio de Janeiro
    BR Portuguese (dlt: flumi, acnt: krioca)
    Inclusive, o u e o i daqui são tão fechados que quando as pessoas transcrevem nossa alofonia pra escrachar mesmo (rsrs), eles transcrevem os sons finais como "uo" e "ie". A pronúncia de São Paulo, do Sul, do Centro-Oeste, etc. dá uma impressão mais "smooth" (pros ouvidos de seus nativos) porque não chega a ser tão cardinal, pra nós dá uma sensação muito ligeiramente mais apagadinha, ao contrário da de Portugal que às vezes é sem som ou falada na velocidade da luz mas a "fundura" vocálica é a mesma.
     
  8. Ariel Knightly

    Ariel Knightly Senior Member

    Rio de Janeiro
    Brazilian Portuguese
    O alofone [ɪ] de fato existe no dialeto carioca. Eu não neguei isso. O que não existe é um fonema /ɪ/.
     
  9. Nino83 Senior Member

    Italian
    Tem dialetos com um fonema /ɪ/?
     
  10. Alandria Senior Member

    Brasil - São Paulo
    Português
    COncordo com tudo o que foi colocado, é bem isso mesmo.

    Agora, poderiam responder a minha questão?
    Aproveitei o tema do tópico para tirar essa minha dúvida também. O que acham da questão que levantei?
     
  11. makoto e toshio no rio Junior Member

    Around Rio de Janeiro
    BR Portuguese (dlt: flumi, acnt: krioca)
    Mas o que eu estou dizendo é que eu NÃO acho que usamos alofone [ɪ].

    Nossa pronúncia é como a portuguesa no u e a japonesa no i. Absurdamente cardinal. Pelo menos aos meus ouvidos.

    Quem tem pronúncia menos cardinal costuma falar outro dialetos brasileiros.
     
  12. youkkai

    youkkai New Member

    MG, BR
    pt-BR


    Não sabia disso (fone/fonema). Brigado pela informação! :D
     
  13. Ariel Knightly

    Ariel Knightly Senior Member

    Rio de Janeiro
    Brazilian Portuguese
    Creio que usamos sim.
    Não que eu saiba.
     
  14. makoto e toshio no rio Junior Member

    Around Rio de Janeiro
    BR Portuguese (dlt: flumi, acnt: krioca)
    Ah, então depende do idioleto/socioleto e não do dialeto.

    Por exemplo, nosso x/j/ti/di/esse coda dominante é definitivamente, a literatura constando isso ou não eu pouco me importo, alvéolo-palatal laminal (representação: palato-alveolar + palatalização), como as consoantes do catalão. Mas embora não na mesma frequência que num Rio Grande do Sul ou Paraná da vida, você vai encontrar gente usando palato-alveolar. E no coda e no ti, o meu dominante é tão "úmido", que acho que uso o alvéolo-palatal dorsal do mandarim e do japonês (representação: aquele usado no AFI moderno para o alvéolo-palatal, desde sempre).

    Daí enquanto você usaria esse alofone, eu não uso e ele também não consta muito no meu círculo familiar e social.

    Até porque existem váááááárias formas de se usar o sotaque do Rio de Janeiro, varia sim com região da área metropolitana, classe social, gênero, idade e subcultura, daí não dá pra afirmar. Existe gente que não usa vibrante uvular e têm a fricativa uvular como minoritária, eu uso elas mais do que os outros fones pra "rr" mesmo no ataque silábico. Não é uma coisa monocrômica. :p

    A única coisa que nunca vi carioca da gema fazer, foi pronunciar ti, di, li e ni feito ítalo-paulista, sulista das antigas e nordestino. ^^
     
  15. Alandria Senior Member

    Brasil - São Paulo
    Português
    Os elementos LI e NI são mais restritos ainda, se não me engano, em Minas não se palatalizam esses elementos, nem em Goiania.
     

Share This Page