Você/ vocês

Discussion in 'Português (Portuguese)' started by Florzinha, Jun 29, 2006.

  1. Florzinha New Member

    Arizona/United States
    English/United States
    Bom día todos!

    Fiquei tão feliz ao achar este site no internet. Eu sou uma Americana que morava no Brasil--fiz um convênio na universidade de São Paulo 15 anos atrás. Também trabalhei em muitos projetos do governo brasileiro entre 1996 e 1999.

    Porque eu morava em São Paulo, claro que aprendi a falar português brasileiro....más hoje em día encontro mais portugueses (muitos europeos viajam por Arizona para ver o "Grand Canyon," e minha cidadezinha está no caminho). Como sabem vocês, português de Portugal é diferente do dialeto falado em Brasil. Por exemplo, a palavra "você." Em São Paulo, se fala de "você" e "seu." Não se usa "tu" muito, ou seja, não se conjuga verbos no caso de "tu." Se usa "te/teu" apenas entre amigos. Então nunca aprendi a conjugar verbos nesta maneira. Tenho certeza que os paulistas sabem conjugar verbos no caso de "tu." :) Más eu não... :) E se eu me lembro..."você" foi usado com os escravos, não foi? Significa para mim que você é super informal....

    Sendo que não quero ofender, e sendo que "você" é muito informal ou familiar, quería saber o seguinte: quê acham os Portugueses quando uma pessoa (óbviamente uma pessoa que fala português como língua estrangeira) fala de "você"? Será que me acham familiar demais?

    Não quero aparecer rude, nem familiar demais...quê acham vocês?

    Flor

    PS Peço desculpas pelo meu Português...como devem perceber, aprendi a falar Português informal...não aprendi a escrever muito bonito. Só escrevo como eu falo....
     
  2. MarcB Senior Member

    US English
  3. Outsider Senior Member

    Portuguese (Portugal)
    Olá, Florzinha, bem-vinda ao fórum.

    Não sei como eram tratados os escravos, mas eu esperaria que fosse por "tu", e não por "você". Era o "tu" que se costumava usar com "social inferiors". Aliás, já me perguntei várias vezes se não terá sido por isso que se abandonou o tratamento por "tu" na maior parte do Brasil e em muitos países hispanoamericanos...

    Florzinha, ao contrário do que a sua experiência no Brasil deve ter sugerido, o "você" começou como um tratamento formal. Em Portugal, ainda é meio formal tratar as pessoas por "você", se bem que o uso e a conotação desta palavra variem bastante por aqui. Algumas pessoas gostam de se tratar por "você", outras podem achar que não é suficientemente respeitoso.

    Mas, no seu caso, não se deve preocupar com o assunto. Continue a falar como aprendeu. Todos os portugueses entendem a maneira brasileira de falar. Explique que viveu em São Paulo, se quiser. Só gente muito mesquinha se incomodaria em ser tratada por "você" por um estrangeiro. Já é bem bom que faça o esforço de falar connosco na nossa língua! :)

    P.S. Se achar que lhe faz muita falta ser formal com as pessoas, diga "o senhor X / a senhora Y" em vez de "você". Também deve ter ouvido isto no Brasil, não?
     
  4. Vanda

    Vanda Moderesa de Beagá

    Belo Horizonte, BRASIL
    Português/ Brasil
    Oi Florzinha,

    O Outsider já deu uma bela explicação, mas Aqui você encontrará algo mais sobre a origem do você.
     
  5. sjofre

    sjofre Senior Member

    Portugal
    Portuguese, Portugal
    Eu acho que ninguém se ofenderá por um estrangeiro usar o você. Mas há, em Portugal, pessoas que, de facto, se ofendem com o tratamento você.
    No Brasil o "você" é informal, em Portugal acaba por ser um meio-termo que nem se entende muito bem onde usar, visto que para as pessoas com quem temos intimidade usamos o "TU", para as pessoas que querem um tratamente formal usamos o "o senhor X; a senhora Y", e o "você", que deveria ser um tratamento formal é, por vezes, entendido como ofensa. Já passei por situações desagradáveis por usar o você...
     
  6. Outsider Senior Member

    Portuguese (Portugal)
    De acordo. Mas depois há as "tias de Cascais", que até o caniche tratam por "você". ;)
    Independentemente da conotação que dêmos a "você" entre nós, porém, parece-me a maioria dos portugueses não se importa de ser tratada assim por estrangeiros. Há que entender que eles não conhecem os nossos costumes. Além do que este costume em particular é especialmente complicado.
     
  7. NikaRasmussenWelling

    NikaRasmussenWelling Junior Member

    Lutselk'e, Territórios Noroeste, Canadá, X0E1A0
    Lutselk'e, Territórios Noroeste, Canadá,
    Não é somente o português brasileiro uso de `você' que pode por consequência confundir gente, mas encontrei que há uma diferença vasta entre as palavras usadas em Brasil àqueles de Portugal. Frequentemente, tenho ser cautelosa quando estou afixando a uma resposta em um português somente foro das celebridades devido aos significações das palavras. Por exemplo, em Brasil, uma determinada palavra pode significar uma coisa, contudo, ao contrário, aquela mesma palavra pode significação derrogativa em português europeu.

    Se ou não isto faz algum sentido, não sei. Estou indo somente pela experiência passada.
    Então, há questão dos dialetos. :confused:
     
  8. Tomby

    Tomby Senior Member

    Along the Via Augusta
    Spanish/Catalan
    Quando comecei a estudar português disseram na sala de aula que nunca devíamos usar o pronome de tratamento "tu" porque se trata de uma língua muito cerimoniosa comparada com o espanhol. De facto recebo cartas de Portugal que no sobrescrito diz "Excelentíssimo Senhor....". Também aconselharam-nos usar o imperativo só quando for preciso e outras dicas para que um luso-falante (principalmente português) não se zangue.
    Eu sempre trato por "Senhor/a" quando falo com uma pessoa desconhecida, por "você" quando o meu interlocutor me dá licença para este tratamento e o "tu" acho nunca o usei.
    Às vezes tenho ouvido, por exemplo, num restaurante que os turistas espanhóis dizem ao empregado de mesas "Eh! traz-me uma cerveja e um copo de vinho". Logicamente dito (e berrando) em espanhol, como se o empregado tivesse a obrigação de saber espanhol quando não custa nada incluir na frase um "por favor". No caso de saber algo de português, não custa nada dizer "O senhor pode, podia, poderia trazer...". Mas os espanhóis somos dessa maneira...
    Peço desculpa por me desviar um pouco do tema inicial.
     
  9. sjofre

    sjofre Senior Member

    Portugal
    Portuguese, Portugal
    Tombatossals,
    vou eu também desviar-me da discussão e ir para uma discussão que talvez devesse entrar num outro forum. Mas, os portugueses têm uma grande "mania da perseguição". São desconfiados, acham que tudo e todos está contra eles, em especial se se trata de espanhóis ;). Eu, pelo que tenho entendido do povo espanhol das várias viagens que já fiz a espanha (e não só a Badajoz por um dia ;) ), considero que os espanhóis não estão minimamente preocupados em "atacar" os portugueses, no entanto, e talvez desde o tempo de D. Afonso Henriques, ou dos Filipes, "temos" a mania que os espanhóis nos querem roubar e, como não podem, achamos que esses comportamentos que referes dos espanhois tratarem os empregados e outras pessoas por tu são, muitas vezes encarados pelos portugueses como afrontas exclusivas a nós porque "coitadinhos" somos portugueses... está tudo no "fado" ;)
     
  10. Outsider Senior Member

    Portuguese (Portugal)
    Deduzo que não tem amigos portugueses. Se os tivesse, acho que usaria o "tu". ;)

    Pois, realmente tratar por "tu" os empregados das lojas soa-me um pouco estranho, mas é apenas porque não estou habituado. De um modo geral, gosto da informalidade dos espanhóis. Fá-los parecerem amigáveis. :)
     
  11. Tomby

    Tomby Senior Member

    Along the Via Augusta
    Spanish/Catalan
    SJofre:
    Por essa razão disseram-nos que nunca usemos o "tu", cada vez mais usado, infelizmente, em Espanha em todos os ambientes. Eu nunca tive nenhum problema em Portugal. Tudo o contrário, quando balbucio algumas frases em português a gente fica contente e estranha à vez. Mas acontece que o idioma espanhol usa uns termos mais fortes do que o português. Por exemplo, o espanhol falado nas Caraíbas é um espanhol tão carinhoso que chega a ser chato demais. É demasiado doce, mas são costumes diferentes.
    Acontece o mesmo com o catalão e o valenciano, sendo este um dialecto do primeiro soa melhor graças ao grande uso dos diminutivos, contrariamente o balear (o outro dialecto do catalão) é muito fechado e soa quase agressivo.
    Sei dos problemas existentes entre Portugal e Espanha. Lógicos, nós (Portugal e Espanha), não vão ter problemas com a Letónia, por exemplo. Nós somos vizinhos e por essa razão existem e sempre existirão problemas, mas eu prefiro "estes problemas" do que os problemas entre Coreia do Norte e Coreia do Sul.
    Cumprimentos!
     
  12. Tomby

    Tomby Senior Member

    Along the Via Augusta
    Spanish/Catalan
    Logicamente que soa estranho. Mais estranho soa tratar por "tu" o professor de Universidade ou de um Instituto de Ensino Secundário. E coisas piores, como responder "tu és um f. de p." ao guarda que verifica se os utentes compram o ticket para uma viagem de metro.
    Por outra parte usar "você" e "vocês" por "vós" simplifica as conjugações a quatro pessoas (1ª e 3ª singular e plural). Ou seja, como se diz por aqui, a lei do mínimo esforço para estudantes de português: mínimo esforço, máxima eficácia.:)

    P.S.- Alguém pode me dizer como é que se diz em português ticket? Obrigado!
     
  13. sjofre

    sjofre Senior Member

    Portugal
    Portuguese, Portugal
    Até dentro de Portugal, que é tão pequenino, temos "problemas" entre norte e sul, ilhas e continente... comparado com esses, os problemas entre Espanha e Portugal até são pequenitos :p
     
  14. Zézinha Junior Member

    Stuttgart, Germany
    Portuguese-Portugal
    Olá a todos! "Ticket" diz-se bilhete (de metro, de autocarro, de comboio, etc).
    Embore ache que voces (falta o acento circunflexo) já disseram tudo, gostaria de salientar que em Portugal as pessoas omitem quase sempre o voce (acento...) substituindo-o por o "senhor/a, o Miguel, a Ana, etc). Para um estrangeiro é um pouco estranho e difícil, as nossas formas de tratamento s~ao complicadas. Eu trato por tu os meus amigos, mas sei de muita gente que trata os amigos por o Manel, o Tucas, etc, porque que as pessoas "bem", de classe social superior, ou dita, ou pretensamente, só usam a segunda pessoa do plural, até para chamar os filhos "oh Jaime, venha cá por favor!", ou o caniche como já foi dito. Eu trato a minha filha por tu, mas além de ser meia espanhola (...), também nao venho da alta burguesia e n~ao sou fidalga.
    No geral, as pessoas tratam-se todas pela segunda pessoa do plural, nas lojas, na rua, nos empregos, quando n~ao se conhecem bem. Uma ex-professora minha da faculdade de quem sou hoje amiga já faz mais de vinte anos, continua a tratar-me pelo nome (segunda pessoa do plural), e é normal.
    Mas Florzinha, se tiver de tratar com portugueses, nao se preocupe com estas coisitas, trate as pessoas como quiser, os portugueses s~ao um povo bastante tolerante e aberto, que fica feliz quando um estrangeiro/a fala a nossa língua, o que n~ao é assim t~ao frequente, e é muito de louvar.
    Até breve!
     
  15. Vanda

    Vanda Moderesa de Beagá

    Belo Horizonte, BRASIL
    Português/ Brasil
    É uma pena que não possamos discutir aqui sobre as diferenças/igualdades de comportamento entre portugueses/brasileiros/espanhóis. Sempre senti falta disto. Lá no fórum cultural não seria a mesma coisa. O ideal seria misturarmos a discussão em português e espanhol aqui e tentarmos entender um pouco os mitos e estereótipos que temos uns dos outros. Uma coisa posso dizer com certeza, os brasileiros que vão para Espanha se identificam muito mais com o jeito dos espanhóis do que aqueles que vão para Portugal. Seria legal saber mais sobre isto. Contudo, antes que alguém me puxe as orelhas por estar off-topic ;) , voltemos ao tu/você.

    Achei mais isto sobre a história do Vossa Mercê de onde surgiu o você.
     
  16. moura

    moura Senior Member

    Lisbon
    Portuguese Portugal
    Mais uma achega sobre a utilização do Você em Portugal.

    Em termos profissionais - quando se dirige qualquer coisa por escrito, mesmo que seja o mais informal e-mail, e quando se fala - é incorrecto, pelo menos de acordo com a regra vigente utilizar Você.
    Por isso dizemos "o senhor", "a senhora", o João, a Ângela, etc.

    Fora da área profissional, também não se usa muito tratarmos alguém por você, salvo quando já existe uma grande proximidade e mesmo aí, nem toda a gente o faz.

    O engraçado é quando passamos para a publicidade. Aí o "você" é utilizado preferencialmente. Mesmo quando o produto é "sério". "Você já foi ao Totta?" dizia um slogan há tempos atrás.
    Não está cientificamete provado mas a introdução do "você" nesta linguagem data da chegada de Nelson Athaíde, um famoso publicitário brasileiro a esta área há para aí + ou - 2 décadas. Com ele, o "você" veio para ficar.
     
  17. Florzinha New Member

    Arizona/United States
    English/United States
    Olá gente. Desculpem o atraso em responder. Vou ter que jogar fora meu modem, que não me deixou entrar no internet por dois días....

    Achei interessantíssimo a discussão sobre o uso de "você em Portugal." Até aprendi muitas coisas novas, inclusive umas palavras que nunca encontrei. O quê significa 'caniche'? 'Até o caniche?' Mesquinho? Uma tradução pelo inglês seria ótima, ou uma explicação em português serviria.

    Fiquei sabendo, então, que o assunto de 'você' é muito complicado, mesmo. E o Outside tinha razão quando disse que a maioría dos portugueses que já encontrei aqui estavam muito felizes ao ouvir a língua deles falado por uma Americana...até ficaram surpreendidos, sendo que nós Americanos temos a fama de ser tão chatos que achamos que todo o mundo fala inglês :) Eu gosto muito surpreender os luso-falantes com meu português bonitinho. Não é que eu o acho bonitinho--são os portugueses que me disseram isto. Eles ficam encantados, me disseram, ao ouvir um sotaque tão brasileiro saír da boca de uma pessoa com aparência tão gringa quanto eu--com sardas e tudo. Um amigo português me explicou que seria equivalente a um Americano ouvir o sotaque de um irlandês ou escocês. Nós achamos lindíssimos estes sotaques--ao contrário do sotaque dos britânicos, que pode soar meio chato ou 'snobbish' ao Americano sem muita educação. (E tenho certeza que os britânicos vão me dizer em resposta que nós Americanos temos um sotaque caipira para eles ;) )

    Me parece que o Brasil é muito mais informal em questões de língua e de comportamento social. Como disse o autor do primeiro link que notou MarcB, os brasileiros estão perdendo a formalidade até em termos da gramática. Por exemplo, ouvi na linguagem cotidiana muitas frases como 'eu vou dar o livro pra você, tá?' Nem sei que diria um Português ao escutar isto....más estas diferênças nos dão algo para discutirmos, né?

    De qualquer forma, obrigada pelos links para outros sites com explicações deste fenómeno linguístico, 'você'. Adorei ler os artigos. Na verdade, o Português do Brasil é muito diferente dos dialetos falados em outros países, e até o Brasil tem vários idiomas nos estados diferentes. Por exemplo, não ouvi nada de 'tu' até que viajei para Blumenau em Santa Catarina (Octoberfest, anyone?) e Pôrto Alegre no estado de Rio Grande do Sul. Más nem os sulistas conjugaram 'tu' corretamente--falaram de 'tu sabe' e 'tu fala' numa situação de familiaridade. E numa situação mais formal, falaram do 'Senhor/da Senhora,' do 'professor ou doutor', de 'dona Flor' ou 'dona Heather.' Heather é meu nome dado--e podem ter certeza que eles brincaram muito com o título 'Dona Flor' quando me conheceram melhor!

    Com um homem muito velho, falaram de 'Seu X' na frente dele. Não entendi isto direitinho até meus últimos meses no país. Meu vizinho velho, quem foi me apresentado pela jovem prima dele como 'Seu Maranhão,' no começo achei que ele foi chamado 'Seu' pela mãe dele! Como se fosse o nome dado dele, que nem "João." Que engraçado, não é?

    Eu já fiz muitos erros assim no processo de aprender português--tenho certeza que continuo fazendo. Quando eu conheça vocês melhor, tal vez eu conte para vocês a história do dia que pedi 'green coconut' ou coco verde de um vendedor de rua em Belem do Pará. Foi a primeira vez que entendí direito a importância do acento certo...da diferença entre coco e....bom, outra palavra bem parecida...que vergonha! Sabem, não é possível morrer de vergonha, mesmo se queira muito.

    Vanda, nuncar iria puxar a orelha por estar 'off topic,' pois acho este tipo de desvio sempre interessante. Se vocês querem explorar aquí os mitos e estereótipos dos portugueses/espanhóis/brasileiros/americanos, não teria nenhum reclamo. Sempre tenho pensado que são muito parecidos aos mitos/estereótipos dos ingleses e americanos. Deve ter algo a ver com uma história semelhante das relações entre colonizador e colônia, que o Brasil e os EUA, por exemplo, têm em comum com Portugal e Inglaterra.

    Flor

    PS Nika, tem razão quando fala das diferenças entre o vocabulário dos portugueses e dos brasileiros. Existem muitas palavras usadas na vida cotidiana que são completamente diferentes entre o português europeu e o brasileiro. Por exemplo, minha palavra preferida no Brasil é 'abacaxi.' Adoro esta palavra--tem um som tão lindo e sensual e exótico para mim. Más no meu entender, a palavra não existe em Portugal! Penso que lá se usa 'ananas.' Então eu tinha que aprender duas palavras diferentes para expressar a mesma coisa--um gostosa fruta tropical. E não esquecem que para uma pessoa que fala inglês 'ananas' dá ainda mais confusão por ser parecida com 'bananas,' outra fruta tropical....que dor de cabeça!
     
  18. Florzinha New Member

    Arizona/United States
    English/United States
    Outra dor de cabeça: ter que lembrar as diferenças entre os acentos escritos em Português e Espanhol...me desculpem todos os 'días.' Como sempre falava meu primeiro professor de Português "devem ser días espanholas, não é, Flor?"

    Pior ainda é que estou ficando velha demais para achar e corregir as palavras com acentos escritos na tela do meu laptop!

    Flor
     
  19. sjofre

    sjofre Senior Member

    Portugal
    Portuguese, Portugal
    Olá Florzinha,

    Caniche é um Pudl em inglês ;)

    E sim, os portugueses são muito mais formais com a língua, mas não estranhamos coisas como "eu vou dar o livro pra você, tá?", visto que a nossa televisão é invadida por telenovelas brasileiras onde ouvimos tudo isso e muito mais ;) como tal já estamos habituados ao sotaque e expressões brasileiras. Algumas consideramos incorrectas e, como tal, não as usamos, a outras achamos graça e muitas já entraram de mansinho (como este "de mansinho" ;) ), ao longo dos últimos 30 anos (altura em que as telenovelas começaram a passar por cá), no vocabulários dos portugueses.
     
  20. Outsider Senior Member

    Portuguese (Portugal)
    Não se preocupe. Se tiver dúvidas acerca dos acentos, pergunte-nos. :)
     
  21. DrLindenbrock Senior Member

    Italy
    Italy; Italian & Am. English
    Hi everybody,
    sorry if I don't continue with Portoguese....I manage to read it thanks to my Romance languages background, but don't speak it.

    So, to summarize, referring to Portugal:
    - Portoguese are very formal, more than Brazilians
    - Tu is very informal
    - Você isn't very common and it isn't clear when and with whom it should be used
    - It is common to call people by their first name preceded by the article
    - If one doesn't want to use the first name a thousand times, he must use vós

    Es. A student refers to a professor with vós
    Two young friends use tu
    Two old ladies, although friends, would use vós
    A journalist interviewing a politician would use vós, not você and obviously not tu

    Questions: would a 50 year-old professor call a 20-year old student with tu or vós?

    Referring to Brasil:
    - tu is never used, and if used the verb is still conjugated as if it where você - a clear indicator of the scarce use of tu
    - você is used in more or less any situation

    Questions:
    - is vós preferred to você when wanting to show deference? What would two adult men use when meeting for the first time? And once they become acquaintances? (I imagine they would use você if they were close friends)

    Do you agree with this scheme?
    Thank you for all the above information, and sorry again for the language switch :)

    Obrigado :)
     
  22. Outsider Senior Member

    Portuguese (Portugal)
    You got much right, but one thing wrong: "vós" is not used at all by most Portuguese.

    Repeating the first name of a person is not much of a problem in a null-subject language like Portuguese, where subjects can more often than not be inferred from the context.

    Never "tu" and never "vós". "Você" is possible if they are good friends and the conversation is relatively informal, but usually it would sound too forward for the journalist to address a politician that way. Normally, they will use the politician's title, in this case:

    - o senhor ministro
    - o senhor secretário
    - o senhor professor (If he is a professor.)
    - o senhor engenheiro (If he is an engineer.)

    Not "vós". Addressing students as "tu" is common until high school (while the students are still teenagers), although addressing them in the third person is also possible. At university, when most students are already adults, teachers usually address them in the third person -- but there may be exceptions, for example if both the teacher and the students are young people.
     
  23. DrLindenbrock Senior Member

    Italy
    Italy; Italian & Am. English
    Muito obrigado, Outsider :)
    That was very helpful!
    :)
     
  24. luis masci

    luis masci Senior Member

    Córdoba
    Argentina-español
    Te tomo la palabra Vanda.;)
    Es curioso el paralelismo existente entre el origen de “você” y “usted”. Ambos parecen tener un origen común (o al menos similar).
    Sin embargo, el uso que tienen hoy estas expresiones en ambos lenguajes son un tanto diferentes. En español el trato de “usted” viene a ser el equivalente de “o señor/a”.
    Cuando empecé aprender portugués (el de Brasil) encontraba sumamente extraño que la gente se tratara de “você” (y usando la tercera persona) como trato informal. Me daba la impresión que se trataban de “usted”.:p
     
  25. AGATHA2 Senior Member

    Wien, Austria
    german Austria
    Ah Outsider, que fonte de informaçôes é você (o senhor ?? ) Muito util !! Mas há ainda um problema: que faço quando não sei o nome duma pessoa ?
    Se é um adulto imagino que digo o senhor / a senhora, mas se é um menino /uma menina um/a adolescente ?
     
  26. Vanda

    Vanda Moderesa de Beagá

    Belo Horizonte, BRASIL
    Português/ Brasil
    Se entendi seu questionamento, é menino/a mesmo.
    Exemplo:
    Oi menina, você esqueceu sua bolsa na mesa!
    Menino, que rua é esta?
     
  27. Lusitania Senior Member

    Lisbon
    Portugal Portuguese

    Eu também gostava Vanda. Se a "barraca" não viesse abaixo. :)

    Gostaria de entender melhor algumas coisas e nunca consegui ver o assunto debatido de uma forma

    Tombatossals,

    Adoro a informalidade dos espanhois, adorava que em portugal fossemos assim um poquinho mais descontraídos, divertidos e cachondos. :D
     
  28. Opera fan Senior Member

    Portuguese, Portugal
    Hi Florzinha:
    You should'nt apologize for your Portuguese, it's fine! When it comes to "você" it is a bit tricky - you may use it to address people not too old (acquaintances, not friends) without much trouble, but not to total strangers if you want to cause a better impression. Not that they should resent the "você" - if they had to speak a foreign language, most of them would be much worse than you! For older people, "o senhor" and "a senhora" are highly recommended and it sounds very natural and proper. However, "tu", "você", "senhor" can be entirely avoided with a bit of practice. You do this by speaking directly to the person without using any of these words. But you have to forget about the English "you"! For example:
    (Você) Foi ontem ao cinema?
    (Os senhores) Quando chegaram? Fizeram boa viagem?
    Gostaria de lhes mostrar as coisas lindas da minha cidade (Note the use of "lhes" instead of "vocês" ou "senhores").
    Mande sempre!
     
  29. Outsider Senior Member

    Portuguese (Portugal)
    Não tinha visto esta pergunta... :)

    Se for uma criança, não tenha problemas em usar "tu".

    Se for um adolescente, pode usar "tu" ou a terceira pessoa. Como é estrangeira, acho que seria mais adequada a terceira pessoa.

    "Menino/a", como a Vanda sugeriu, também está bem.
     
  30. kurumin

    kurumin Senior Member

    salvador bahia brasil, brazilian portuguese & tupy
    Eu acho menino/a muito informal.
    Aqui a gente usa mais moço/moça.

    :)

    Oi moço, pode me dizer....?
     
  31. MOC Senior Member

    Portugal
    Portuguese
    Já que o tópico foi reaberto mesmo, vou voltar a "bater na mesma tecla". O "vós" não desapareceu. Ainda ontem se dirigiram a mim e a um colega meu da seguinte forma "vós sois...". Não foi em tom de brincadeira nem num ambiente formal.

    Eu sei que devo estar a parecer chato com isto mas parece-me errado dizer a um estrangeiro que essa forma já não existe em Portugal. Digam que se usa pouco, mas não que não se usa "at all".
     
  32. olivinha Senior Member

    Los Madriles
    Português, Brasil
    Se um brasileiro, em Portugal, se dirigir a um português e utilizar você, o português se ofenderia? Seria melhor utilizar senhor/senhora (just to be on the safe side)?
    O
     
  33. Vanda

    Vanda Moderesa de Beagá

    Belo Horizonte, BRASIL
    Português/ Brasil
    Olivinha, sei que este tópico é qui-lo-mé-tri-co :D, mas em algum lugar dele tem a resposta à sua pergunta.
     
  34. MOC Senior Member

    Portugal
    Portuguese
    Acho que isso depende de cada pessoa. Eu não ficaria minimamente ofendido. Até porque tenho amigos brasileiros que cá vivem e que me tratam por você.

    Mas se calhar para evitar a reacção de algumas pessoas era preferível tratar por "o senhor" ou "a senhora". Em algumas ocasiões pode não usar pronome desde que fale na terceira pessoa. ex: Podia-me dizer as horas?

    A mim tanto faz desde que eu não seja insultado. :D
     
  35. kurumin

    kurumin Senior Member

    salvador bahia brasil, brazilian portuguese & tupy
    Que eu saiba, os portugueses traduzem, automaticamente, o você brasileiro como tu. ;)
    Isto é, o você em Portugal é mais informal que formal. Usam nas tvs portuguesas numa boa.
     
  36. Outsider Senior Member

    Portuguese (Portugal)
    É intermédio.
     
  37. olivinha Senior Member

    Los Madriles
    Português, Brasil
    Então eu peço desculpa pela pergunta redundante. :eek:
    Mas eu te juro que eu tinha lido tudo, post por post, e terminei sem saber se era informal ou formal (afinal é um intermédio), se ofende ou se não ofende, se é próprio ou imprópio, etc. Enfim, fico com a resposta do MOC.
    Obrigada.
    O
     
  38. Alentugano

    Alentugano Senior Member

    Português - Portugal
    Sim, mas o "vós" apenas sobrevive na metade norte do país. No sul, nunca assisti ao uso deste pronome. No Alentejo, "vosso/vossa" e também "vos" ainda se usam, mas também é possível ouvir com alguma frequência algo como, por exemplo, "...já lhes disse" a par com "...já vos disse" e os/as seus/suas a par de os/as vossos/vossas.
     
  39. MOC Senior Member

    Portugal
    Portuguese
    E porque desapareceu do sul significa que se pode dizer que não é usado em Portugal?

    Por algum motivo eu disse para se dizer que se usa pouco. Nunca disse para se dizer que se usa muito. Só contestei o seu desaparecimento.
     
  40. Minimagpro Junior Member

    Cádiz España
    English
    Tenho o mesmo coisa! Estava na Lisboa pela competição do jiu jitsu brasileiro e não podia entender-lhes!!

    Uma coisa muito difícil é quando vocês falam com o sotaque <os> é <osh>...Mais ou menos o mesmo do Rio <carioca> mas é diferente!

    O sotaque brasileiro> O sotaque português
     
  41. Alentugano

    Alentugano Senior Member

    Português - Portugal
    Eu não afirmei isso. Nada tenho contra o seu "vós". Por quem sois! ;)
     
  42. kurumin

    kurumin Senior Member

    salvador bahia brasil, brazilian portuguese & tupy
    Muitas formas do VÓS ainda são usadas no Norte do Brasil (e no Sul também)

    TU SOIS.
    TU FALASTES.

    Raramente se usa o tu com as formas *certas*
    Pode escolher entre Tu sois/falastes e Tu é/falou ;)
    Por isso muitas pessoas do Sul e do Norte do país evitam o tu
    quando falam com as pessoas de outras partes do Brasil (mesmo
    em um papo informal). Eles consideram o tu uma gíria.
    Só no Rio Grande do Sul eles usam o tu (mesmo falando: tu foi, tu viu) sem vergonha.

    No Rio Grande do Sul: EU FALEI, TU FALOU, ELE FALOU, NÓS FALEMO, CÊIS FALARO/FALARAM, ELES FALARO/FALARAM
    ;)
     
  43. Outsider Senior Member

    Portuguese (Portugal)
    Acho que nem sequer chega a metade. Mas o MOC tem razão em notar que algumas pessoas ainda o usam.

    Também os padres usam frequentemente a segunda pessoa do plural na missa. Suponho que é por isso que ela ainda não nos soa completamente estranha.
     
  44. Pedrovski Senior Member

    English, Portuguese

    Eu não ficaria nada ofendido pessoalmente, nem sequer acharia invulgar. Tenho uma certa resistência a demasiado formalismo e frescuras como "excelentíssimo senhor", "o/a senhor(a)", etc. à la "tia de Cascais", como o Outsider disse bem.

    Sou forçado por questões de pragmatismo de em certas circunstâncias não usar o "tu" mas nunca uso "o senhor", ocultando o sujeito sempre. Aliás, nem o "tu" uso a maioria das vezes, oculto quase sempre o sujeito, seja por achar o "tu" demasiado frontal e achar o "você" uma palavra um bocado feia pessoalmente.

    Tenha esperanças que com esta nova geração mais no estilo do relax, esses formalismos todos possam entrar em desuso e possamos finalmente falar sem constrangimentos uns com os outros.
     
  45. MOC Senior Member

    Portugal
    Portuguese
    Ao ler o comentário do Pedrovski cheguei à conclusão que eu raramente uso qualquer pronome pessoal. As excepções serão "ele/ela" e "eles/elas".

    Vou a Espanha?
    Vais a Espanha? = informal. Vai a espanha? = formal (vem de "O senhor vai a Espanha?")
    Ele/O Firmino Bernardino vai a Espanha? Ela/A Jessica Daniela vai a Espanha?
    Vamos a Espanha?
    Vão a Espanha?
    Eles vão a Espanha?

    Creio que seja algo assim.
     
  46. Vanda

    Vanda Moderesa de Beagá

    Belo Horizonte, BRASIL
    Português/ Brasil
    Atenção foliões! O título do tópico é A palavra você em Portugal e não tu e você no Brasil, que por falar nisso tem não sei quantos tópicos a respeito!!:( :D

    Posts transferidos para cá.
     
  47. Opera fan Senior Member

    Portuguese, Portugal
    Por que copiar o modo de falar de quem parece nunca ter ido à escola, e provavelmente nunca foi, e não daqueles que sabem falar "bonito".
    Como se fosse uma vergonha falar-se uma lingua, qualquer lingua, como ela deve ser falada!
    O "falar bonito" só parece estranho àqueles que, coitados, não sabem falar melhor.
     
  48. uchi.m

    uchi.m Senior Member

    Redeeming limbo
    Brazil, Portuguese
    Uma vaidade que eu tenho é preferir falar gostoso a falar bonito... :)
     
  49. edupa Senior Member

    Brazil Portuguese


    Parafraseando Martin Luther King, não julgue um homem pelo registro de sua língua, mas pela força de seu caráter...
     
  50. kurumin

    kurumin Senior Member

    salvador bahia brasil, brazilian portuguese & tupy
    Esse falar-se faz parte do ''falar bonito''

    Em uma fala mais neutra, se falaria:
    ''Como se fosse uma vergonha falar uma lingua, qualquer lingua, como ela deve ser falada!''

    Não entendi essa de ''a língua como ela deve ser falada''.

    Ningém deve falar nada.
    A gente sempre falou como falou.

    Nunca se falou VIRAM-NA, CHEGUEI A CASA ou AMO-TE no Brasil. [1]
    Sempre se falou só VIRAM ELA, CHEGUEI EM CASA, TE AMO (ou AMO VOCÊ). [2]
    Nós não nos identificamos com Portugal p/usar ''a norma lusitana'' na fala.
    Somos um país livre e não temos a vergonha de falar do jeito que a gente fala.

    Por isso essa de ''como deve ser falada uma língua [1]'' não corresponde com a situação lingüística brasileira. Como Vanda falou: ''a gente não pôde escolher a língua, mas pelo menos podemos escolher o jeito de falar'' ;) E esse jeito é bem nosso.[2]

    Alías, ninguém considera as formas [1] ''bonitas'', mas sim ''chatas, artificiais..''
     

Share This Page