Aproximar-se a / de alguma coisa

Gamen

Banned
Spanish Argentina
Buenas tardes.

¿El complemento del verbo "aproximar-se" puede llevar tanto la preposición "a" como "de" en portugués?

Ejemplos:
Aproxime-se de mim / aproxime-se a mim. Vou lhe/te contar um segredo e não quero que mais alguém ouça.

Quando estava me aproximando da / à reta final um cara me ultrapassou colocando todo o seu corpo e nâo pude lhe ganhar.

Por favor, tenha a gentilza/amabilidade de aproximar seu cartão da leitora / á leitora para poder ingressar no prédio. Muito obrigado.

Agradezco sus comentarios.
 
Last edited:
  • mexerica feliz

    Senior Member
    português nordestino
    É

    se aproximar de alguém/algo

    se aproximar a soa arcaico ou regional.

    Veja como foi usada a preposição no dicionário Houaiss (versão 3.0, de 2009):


    aproximou os lábios do rosto da amada
    a reflexão nos aproxima da maturidade
    aproximar o eleitor de seus representantes
    procura a.-se dos poderosos
    a cor da cortina aproxima-se da usada no sofá
     
    Last edited:

    paganicum

    New Member
    Portuguese - Brazil
    Buenas tardes.

    ¿El complemento del verbo "aproximar-se" puede llevar tanto la preposición "a" como "de" en portugués?

    Ejemplos:
    Aproxime-se de mim / aproxime-se a mim. Vou lhe/te contar um segredo e não quero que mais alguém ouça.

    Quando estava me aproximando da / à reta final um cara me ultrapassou colocando todo o seu corpo e nâo pude lhe ganhar.

    Por favor, tenha a gentilza/amabilidade de aproximar seu cartão da leitora / á leitora para poder ingressar no prédio. Muito obrigado.

    Agradezco sus comentarios.



    Sou do Rio de Janeiro, a segunda maior cidade do país e que já foi a capital federal. Posso afirmar COM CERTEZA que "APROXIMAR DE" e "APROXIMAR A" estão corretos e não tem AQUI nenhuma conotação arcaica. A regência verbal está corretíssima! ;)
     

    paganicum

    New Member
    Portuguese - Brazil
    Buenas tardes.

    ¿El complemento del verbo "aproximar-se" puede llevar tanto la preposición "a" como "de" en portugués?

    Ejemplos:
    Aproxime-se de mim / aproxime-se a mim. Vou lhe/te contar um segredo e não quero que mais alguém ouça.

    Quando estava me aproximando da / à reta final um cara me ultrapassou colocando todo o seu corpo e nâo pude lhe ganhar.

    Por favor, tenha a gentilza/amabilidade de aproximar seu cartão da leitora / á leitora para poder ingressar no prédio. Muito obrigado.

    Agradezco sus comentarios.



    Apenas um erro!
    No trecho: "aproximar seu cartão da leitora / á leitora"

    "á leitora" não tem acento agudo e sim acento grave! o certo é "à leitora", ok? Abraço!

    :D
     

    Marcio_Osorio

    Banned
    Portuguese
    Alguns exemplos com o verbo aproximar e a regência a:

    'A ideia de registro vincula-se à produção de Madalena Freire, e faz referência à ação de escrever, narrar e refletir sobre a prática pedagógica, pensar sobre a ação em um momento posterior a ela. Tem como foco, portanto, o educador e sua prática, aproximando-se à ideia de autoavaliação'. - Arquivo .pdf (Brasil)
    'Um dos pontos remarcáveis do projeto original do Conjunto JK, e onde aparece um dos pontos mais propositivos, é precisamente na parte habitacional, que era servida por um conjunto de equipamentos complementares; desde lavado de roupa, restaurante, até subministro de almoços, aproximando-se a um modelo hoteleiro'. - Arq. .pdf (Brasil)
    'A Grécia, por exemplo, partiu de um nível de produtividade baixo mas aproximou-se a um ritmo acelerado dos outros países.' - http://eur-lex.europa.eu/LexUriServ/LexUriServ.do?uri=OJ:C:2006:324:0049:0056:PT:PDF
    'Os militares do Exército aproximaram-se a ver o aparato da nossa tropa, alguns encontraram amigos ou conhecidos das suas terras'. - www.operacional.pt/a-guerra-do-ultramar-escrita-por-quem-a-combateu-vi/
    'O que Pardo consegue na realidade é aproximar-se ao estado de mal-estar de nosso tempo'. - miradaglobal.com

    Com o rudimentar conhecimento linguístico de que disponho, suponho que a regência com a ocorra mais em Portugal do que no Brasil, não?
     

    paganicum

    New Member
    Portuguese - Brazil
    Sou do Rio de Janeiro, a segunda maior cidade do país e que já foi a capital federal. Posso afirmar COM CERTEZA que "APROXIMAR DE" e "APROXIMAR A" estão corretos e não tem AQUI nenhuma conotação arcaica. A regência verbal está corretíssima! ;)

    RATIFICANDO: Sou do RIO DE JANEIRO e quanto a regência, refiro-me ao que ouço e falo aqui! Agora, se em outras regiões deste país continental, parte do linguajar fluminense for considerado "antigo" ou "regional" por outros brasileiros, sinceramente, não me preocupo tampouco critico. O que sei é que AQUI a referida regência é empregada de forma habitual, mas não pela massa, obviamente, já que a naturalidade desta está muito, muito longe de ser fluminense.
     

    Fernando de Carvalho

    Senior Member
    Brazilian - Brazil
    Soy de Sao Paulo (se dice «pablistano» en castellano?), y yo suelo usar la preposición «a» como regencia verbal, ya que «aproximar» es un verbo que indica movimiento.
     

    gato radioso

    Senior Member
    spanish-spain
    Soy de Sao Paulo (se dice «pablistano» en castellano?), y yo suelo usar la preposición «a» como regencia verbal, ya que «aproximar» es un verbo que indica movimiento.
    Acho que em espanhol diz-se paulista/paulistano, mas não tenho certeza.
    Julgo que o problema com "aproximar-se" e o receio que temos os falantes de espanhol quando falarmos português por talvez poluir nosso português usando expressões espanholas que são quase idênticas (para nós é sempre aproximarse a).
     
    Last edited:

    Carfer

    Senior Member
    Portuguese - Portugal
    Alguns exemplos com o verbo aproximar e a regência a:

    'A ideia de registro vincula-se à produção de Madalena Freire, e faz referência à ação de escrever, narrar e refletir sobre a prática pedagógica, pensar sobre a ação em um momento posterior a ela. Tem como foco, portanto, o educador e sua prática, aproximando-se à ideia de autoavaliação'. - Arquivo .pdf (Brasil)
    'Um dos pontos remarcáveis do projeto original do Conjunto JK, e onde aparece um dos pontos mais propositivos, é precisamente na parte habitacional, que era servida por um conjunto de equipamentos complementares; desde lavado de roupa, restaurante, até subministro de almoços, aproximando-se a um modelo hoteleiro'. - Arq. .pdf (Brasil)
    'A Grécia, por exemplo, partiu de um nível de produtividade baixo mas aproximou-se a um ritmo acelerado dos outros países.' - http://eur-lex.europa.eu/LexUriServ/LexUriServ.do?uri=OJ:C:2006:324:0049:0056:PT:PDF
    'Os militares do Exército aproximaram-se a ver o aparato da nossa tropa, alguns encontraram amigos ou conhecidos das suas terras'. - www.operacional.pt/a-guerra-do-ultramar-escrita-por-quem-a-combateu-vi/
    'O que Pardo consegue na realidade é aproximar-se ao estado de mal-estar de nosso tempo'. - miradaglobal.com

    Com o rudimentar conhecimento linguístico de que disponho, suponho que a regência com a ocorra mais em Portugal do que no Brasil, não?
    Em Portugal ambas as regências são válidas, mas não creio que se usem sempre indistintamente. 'Aproximar-se de' é (ou parece-me ser) mais frequente no sentido de acercar-se, de chegar mais perto, ao passo que 'aproximar-se a' é mais frequente no sentido de ganhar semelhança, de se parecer mais. Notem que não digo que seja uma regra, é apenas uma tendência de que julgo aperceber-me. Não obstante, por vezes é difícil destrinçar o porquê da escolha de uma ou de outra. Reparem no trecho seguinte. Faria exactamente as mesmas escolhas, sem que, no entanto, seja capaz de apontar uma razão determinante. O certo é que, nessas mesmas frases, qualquer das regências é substituível pela outra, embora, no último caso e talvez apenas por resultar mais eufónica, 'a' seja preferível a 'de'.
    'O objectivo destes autores passa sempre por aproximar a língua, não daquela que se fala, mas daquela que lhe dá origem. Não só como modo de distinção entre fonemas, nem apenas numa tentativa de oferecer uma lógica já existente à ortografia do português, mas até como forma de aproximar, pela língua, o Homem de um Universo considerado superior. O latim, tanto para Oliveira como para Gândavo, é considerado a mais perfeita das línguas e um reflexo de uma civilização mais completa. A aproximação do português ao latim seria, também assim, uma forma de civilizar as lusas gentes.'

    in Ciberdúvidas da Língua Portuguesa, A história dos acordos (e desacordos) ortográficos - Acordo Ortográfico - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
    O Márcio Osório equivocou-se nos exemplos que invocou para comparar o uso português com o brasileiro.
    Em 'A Grécia, por exemplo, partiu de um nível de produtividade baixo mas aproximou-se a um ritmo acelerado dos outros países' é 'de' que rege 'aproximar-se', não 'a', que integra a locução 'a um ritmo acelerado'. Aproximou-se dos outros países a um ritmo acelerado.
    Em 'Os militares do Exército aproximaram-se a ver o aparato da nossa tropa, alguns encontraram amigos ou conhecidos das suas terras' é evidente que 'a ver' é a finalidade ou a razão que levou os militares a aproximarem-se, não o objecto de que se aproximaram, que não se diz qual foi. Aproximaram-se 'para ver o aparato', não aproximaram-se 'de/a/ ver o aparato', o que não faz qualquer sentido. Não é o caso de que falamos.
     

    Ari RT

    Senior Member
    Português - Brasil
    Acho que em espanhol diz-se paulista/paulistano, mas não tenho certeza.
    Julgo que o problema com "aproximar-se" e o receio que temos os falantes de espanhol quando falarmos português por talvez poluir nosso português usando expressões espanholas que são quase idênticas (para nós é sempre aproximarse a).

    Sempre tive esse problema com o Espanhol. Se as estruturas são muito parecidas, bate aquela insegurança: será que é isso mesmo ou eu não sei como dizer e estou usando Portunhol?
    Por uma ou por outra, o hispanohablante diz 'acercarse a Madrid', mas também diz 'estoy cerca de Madrid'. Nas duas línguas, usamos os verbos correlatos para significar movimento e também posição relativa. E, na mão contrária, afastar-se/alejarse de, longe/lejos de. Me parece natural que a preposição 'de' acabe (também) associada ao verbo nas formas vernaculares.

    Não obstante, por vezes é difícil destrinçar o porquê da escolha de uma ou de outra.

    Difícil e, não vamos chegar a afirmar que seja inútil, deixemos por 'de interesse acadêmico'. Haverá nuances da intenção do emissor da mensagem que serão consubstanciadas na escolha de uma regência, de uma palavra em detrimento de outra, até mesmo na escolha de uma forma inesperada em preterição de outra mais comum ou melhor 'abonada' pelas gramáticas. Enfim, a regência existe para modular, refinar e clarificar o significado que queremos dar ao verbo, não para limitar seu uso. Se para uma determinada audiência soar estranho 'aproxime-se à mesa', então que o convidado se aproxime 'da' mesa. Contanto que entenda a intenção do convite.

    Em tempo, pode uma pessoa ter maior ou menor proximidade COM sua família? Opino que sim e que, do ponto de vista semântico, 'ter proximidade' é forma composta de aproximar-se, naquela acepção na qual o verbo aponta para posição relativa. Que tal 'AUMENTAR A PROXIMIDADE com sua família'? Já parece movimento... Se garimparmos mais...
     
    Last edited:
    Top