Dialetos e socioletos de Portugal

< Previous | Next >

Bautastein

Member
Norwegian - Norway
Olá

Estou a aprender português há cinco anos, e queria saber mais sobre os dialetos e socioletos de vários locais e grupos demográficos em Portugal. Eu não encontrei bons recursos sobre o assunto na Internet, mas pensei que talvez vocês pudessem ouvir alguns gravações e dizer-me de onde vêm os sotaques? Eu encontrei um podcast com vários falantes de português europeu, e acho que posso distinguir algumas diferenças entre os sotaques deles. Mas não tenho nenhuma ideia sobre de onde eles vêm.

Vocês podem ajudar-me a localizar estes sotaques? Eu obtive permissão para publicar estes links de um moderador, a Vanda. Aqui vêm:

Rui Agostinho, professor Universitário, começa a falar a 1:25
Serviço Público - Bloco de Notas de 04 Jul 2020 - RTP Play - RTP

Ana Paula Labrinho, doutorada em Literatura Portuguesa, desde 1:55
Serviço Público - Bloco de Notas de 16 Jul 2020 - RTP Play - RTP

Fransisco Assis, doutorando em Filosofia, desde 1:15
Serviço Público - Bloco de Notas de 29 Jun 2020 - RTP Play - RTP

Manuel Sobrinho Simões, médico, cientista, desde 1:25
Serviço Público - Bloco de Notas de 19 Jun 2020 - RTP Play - RTP

Maria Inácia Rezola, historiadora, desde 1:35
Serviço Público - Bloco de Notas de 24 Jul 2020 - RTP Play - RTP

Antonio Pedro Mesquita, Professor Catedrático da Faculdade de Letras, desde 1:11
Serviço Público - Bloco de Notas de 12 Jul 2020 - RTP Play - RTP

Helena Garrido, jornalista, desde 1:28
Serviço Público - Bloco de Notas de 14 Jun 2020 - RTP Play - RTP

Os primeiros dois são muito distintos, para mim. O sotaque do Rui Agostinho lembra-me do sotaque de Coimbra que ouvi há muito tempo. Pode ser? Sobre os outros eu não tenho nenhuma ideia. Outros informações sobre os sotaques, como urbano/rural, velho/jovem etc. serão também muito interessantes para mim.

E a jornalista, o que pode ser dito sobre o sotaque dela?

As regras de WordReference não permitem publicar links de áudio sejam sem pre-aprovação de um moderador. Porém, talvez vocês possam mencionar nomes de pessoas famosas com vários dialetos ou socioletos, para que eu possa pesquisá-los sozinho. Madeira, Açores etc., também pode ser interessante.

Cumprimentos
 
  • Carfer

    Senior Member
    Portuguese - Portugal
    não tenho nenhuma ideia sobre de onde eles vêm.
    Também não, ou melhor, há um ou outro que sei de onde vêm, mas não pela maneira como falam, que não é característica de nenhuma região ou grupo social em particular. É português europeu padrão e, se há pequenas diferenças entre eles, atribuo-as à natural variação que se observa entre os falantes de qualquer língua.
     

    Bautastein

    Member
    Norwegian - Norway
    Obrigado. Eu provavelmente cometi o erro de pensar que Portugal era como a Noruega, de onde eu venho. Aqui, por causa de elogiarmos todos os dialetos, é sempre possível dizer de onde os falantes vêm, mesmo apresentadores na televisão. Esqueci-me de que não é assim em todos outros países.

    Português europeu padrão, é o mesmo que o sotaque de Lisboa?

    Eu ouvi falar dos dialetos do Porto, Coimbra, Alentejo, Algarve e Lisboa. Há exemplos de pessoas famosas contemporâneos que falam com estes sotaques, ou todos falam português padrão quando falam em público? Há outras regiões importantes com dialetos distintos?
     
    Last edited:

    Carfer

    Senior Member
    Portuguese - Portugal
    Repare, o problema é que escolheu como exemplos pessoas do mesmo extracto social e com elevado nível educativo (professores universitários, cientistas, jornalistas, etc.). A maioria dos que citou faz vida em Lisboa ou noutras cidades grandes, mesmo quando não são delas originários. Reconheço duas pessoas que sei que são do Norte, mas a pronúncia deles não tem quase nada de característico, falam como eu, que tenho origem no centro-interior e muitas décadas de vida em Lisboa. Nestes meios, a fala é muito uniforme. Era a este falar uniforme que me referia como padrão, se bem que, na realidade, não haja nenhuma pronúncia oficial nem nenhuma imposta, mas é a que pode ouvir nos meios de comunicação e aquela que vai se impondo em todo o país, a pouco e pouco e por via deles. Evidentemente, há pronúncias regionais típicas que permitem identificar a origem dos falantes. Um minhoto fala com uma pronúncia diferente de um alentejano, de um beirão, de um algarvio, de um madeirense ou de um açoriano, mas muitos dos que têm tais origens e foram viver nas grandes cidades - e mesmo em cidades menores - abandonam paulatinamente a pronúncia natal e adoptam a tal pronúncia "padrão". Como Portugal é, actualmente, um país predominantemente urbano e os órgãos de comunicação social actuam como massificadores, já vê qual é a consequência para as pronúncias regionais.
     
    Last edited:

    Bautastein

    Member
    Norwegian - Norway
    Obrigado, isto é muito interessante.

    Bloco-de-notas tem sido uma fonte fantástica para praticar a minha compreensão oral, porque a forma semi formal é mais simples para mim: As fontes muito formais/académicas têm palavras difíceis, e estruturas complicadas. As fontes muito informais têm pessoas a falar ao mesmo tempo, frases incompletas, e podem ser desorganizadas. Portanto tinha esperado que também fossem boas fontes para aprender mais sobre dialetos.

    Algumas vezes ouço portugueses a falar sobre o sotaque do Porto, ou a rir-se e explicar que falar com vogais abertas é o falar de "rednecks", etc... como soa o sotaque do Porto? Onde é que falam com vogais abertas, é como é que soa? Quais outros sinais sociais existem na pronúncia dos portugueses? Eu espero encontrar repostas a este tipo de perguntas algum dia.

    Vou tentar amanhã encontrar fontes com pessoas de origens mais variadas. Até então fico muito grato por qualquer indicação de onde posso encontrar boas fontes de audio com pessoas a falar com dialetos portugueses. Se quiserem publicar links aqui, é preciso pedir permissão de um moderador antes de publicar.

    Até agora tenho com certeza feito muitos erros gramaticais, e fico muito grato por qualquer correção.
     
    Last edited:

    Dymn

    Senior Member
    Nas descrições dos sotaques de Portugal é escrito que "âi é a pronúncia do ditongo <ei> em português lisboeta", mas eu quase nunca ouço êi ou ê na TV, que são as pronúncias típicas de todo o resto do país. Provavelmente é que ainda não estou habituado por não ser nativo, mas acho que não há muita variedade, ou está escondida por pressão social. Por exemplo em alemão é muito fácil ouvir sotaque do sul na televisão, e é facilmente detetável. Em espanhol andaluzes e canários também têm um sotaque claramente diferente. E por aí fora.
     

    Olaszinhok

    Senior Member
    Standard Italian
    Por exemplo em alemão é muito fácil ouvir sotaque do sul na televisão
    Em italiano também, quase cada cidade tem um sotaque diferente. Só alguns atores e jornalistas adoptam uma pronúncia "padrão". Atrever-me-ia mesmo a dizer que todas as variedades regionais se reconhecem com muita facilidade na telivisão.
     
    Last edited:

    gato radioso

    Senior Member
    spanish-spain
    Nas descrições dos sotaques de Portugal é escrito que "âi é a pronúncia do ditongo <ei> em português lisboeta", mas eu quase nunca ouço êi ou ê na TV, que são as pronúncias típicas de todo o resto do país. Provavelmente é que ainda não estou habituado por não ser nativo, mas acho que não há muita variedade, ou está escondida por pressão social. Por exemplo em alemão é muito fácil ouvir sotaque do sul na televisão, e é facilmente detetável. Em espanhol andaluzes e canários também têm um sotaque claramente diferente. E por aí fora.
    Diz-se que a pronúncia do norte é muito reconhecível pela a entonação das frases, ou porque tendem -exactamente como nós fazemos- a pronunciar a "v" como "b"... mas poder ser capaz de perceber isso não é nada fácil. Claro que é fácil distinguir a fala dum brasileiro da pronúncia dum português, mas dentro do país mesmo... só quando já tens estado muito exposto à língua falada é que podes fazer distinções correctas. Se não tiveres ainda esse nível, só notas que há pessoas as quais percebe-se tudo o que dizem e outras não.
     

    Carfer

    Senior Member
    Portuguese - Portugal
    Nas descrições dos sotaques de Portugal é escrito que "âi é a pronúncia do ditongo <ei> em português lisboeta", mas eu quase nunca ouço êi ou ê na TV, que são as pronúncias típicas de todo o resto do país. Provavelmente é que ainda não estou habituado por não ser nativo, mas acho que não há muita variedade, ou está escondida por pressão social. Por exemplo em alemão é muito fácil ouvir sotaque do sul na televisão, e é facilmente detetável. Em espanhol andaluzes e canários também têm um sotaque claramente diferente. E por aí fora.
    Em italiano também, quase cada cidade tem um sotaque diferente. Só alguns atores e jornalistas adoptam uma pronúncia "padrão". Atrever-me-ia mesmo a dizer que todas as variedades regionais se reconhecem com muita facilidade.
    Sim, mas quem fizer inferências sobre Portugal com base em realidades alheias arrisca-se a chegar a conclusões erradas ou a não encontrar o que esperava, especialmente se essas realidades respeitarem a países de dimensão territorial ou populacional substancialmente diferente da portuguesa e com um percurso histórico muito distinto. Portugal é um país relativamente pequeno e bastante homogéneo do ponto de vista étnico e cultural. Não é um estado multinacional e não tem, nem nunca teve, comunidades alófonas dentro do seu território. Politicamente é muito mais antigo, como estado independente, do que a grande maioria dos estados europeus, na ordem dos três ou quatro séculos em relação a uns que se formaram mais cedo e sete ou oito em relação a outros, e tem fronteiras estáveis e definidas praticamente desde o seu início. É o país mais periférico da parte ocidental do continente europeu, longe das rotas comerciais que favoreceram a diversidade étnica, cultural e linguística dos estados mais centrais. Tudo isso tem, obviamente, inevitáveis reflexos na língua e tudo isso o distingue dos demais estados europeus, muito mais jovens, muito mais diversos, muito mais multipolares. Acresce que Portugal é claramente macrocéfalo e já o é há muito tempo também. Não se admirem, portanto, se derem por jornalistas de televisões do norte a falar com a pronúncia de Lisboa (chamemos-lhe assim por conveniência da exposição, porque é claro que essa pronúncia transcende, de longe, a capital). Com quase toda a certeza, foi aí que muitos deles estudaram e fizeram os seus estágios e até mesmo boa parte da carreira profissional.
    Isto não quer dizer, naturalmente, que não haja diferenças regionais na fala, em todo o caso menos significativas do que no resto da Europa. E é bom lembrar que onde outros factores, como a insularidade, conduziram a pronúncias claramente distintas, em Portugal o fenómeno também se verificou. Se os canários falam diferente dos peninsulares, os madeirenses e os açorianos também.
     
    Last edited:

    Bautastein

    Member
    Norwegian - Norway
    Parece que vai ser mais difícil para mim encontrar melhores fontes para aprender sobre dialetos do que eu esperava. Algumas vezes eu não consigo perceber diferenças onde os portugueses dizem que há diferenças grandes. Outras vezes, eu acho (erradamente?) que percebo diferenças grandes onde os portugueses dizem que não há diferenças, ou que as diferenças não têm significância.

    Por exemplo, o programa Bom Dia Portugal na RTP1 tem uma coluna "Bom Português" onde eles perguntam às pessoas na rua questões linguísticas. Quando eles perguntam sobre a pronúncia, normalmente eu não tenho nenhuma chance de distinguir as alternativas. Qual é a pronúncia correta, pergunta a jornalista, "môlhos" ou "mólhos"? Soa como "môlhos" ou "môlhos" para mim, sem diferença entre os dois. Porém, ainda quando a jornalista está a falar muito depressa, e os transeuntes estão a passar rapidamente enquanto ela fala, eles não têm qualquer problema distinguir a diferença, e têm opiniões convictas sobre o tema. "É môlhos, não môlhos, sem dúvida! Quem diria môlhos?".

    Por outro lado, eu achei que havia grandes diferenças entre o português do Rui Agostinho (link 1 no início do tópico), e a Ana Paula Laborinho (link 2). O Rui Agostinho parece-me salientar sons como "r", "é" e "í", enquanto a Ana Paula Laborinho parece salientar sons como "ó" ou "ou", ou "ói", ela não só está a falar sobre Camões, mas sobre "Camõõõíes", e, a 2:10, o amor não é só platónico mas "platóóónico". Além disso, a pronúncia do Rui Agostinho é muito fácil entender, comparado com a maioria dos portugueses, porque ele fala de um modo tão distinto, onde cada letra e sílaba é claramente pronunciada, particularmente os consoantes.

    Se eu compreendi bem, estas diferenças não são significativos linguisticamente?

    Parece-me também que o tema de dialetos não tem a mesma importância em português como na minha língua. Porque na Noruega, entre cientistas, professores, taxistas, jornalistas, muitos deles falam um dialeto de onde foram nascidos, e isto tem, com certeza, a ver com as historias diferentes dos países, como mencionou.

    De qualquer modo, muito obrigado pela sua ajuda!
     

    gato radioso

    Senior Member
    spanish-spain
    Parece que vai ser mais difícil para mim encontrar melhores fontes para aprender sobre dialetos do que eu esperava. Algumas vezes eu não consigo perceber diferenças onde os portugueses dizem que há diferenças grandes. Outras vezes, eu acho (erradamente?) que percebo diferenças grandes onde os portugueses dizem que não há diferenças, ou que as diferenças não têm significância.

    Por exemplo, o programa Bom Dia Portugal na RTP1 tem uma coluna "Bom Português" onde eles perguntam às pessoas na rua questões linguísticas. Quando eles perguntam sobre a pronúncia, normalmente eu não tenho nenhuma chance de distinguir as alternativas. Qual é a pronúncia correta, pergunta a jornalista, "môlhos" ou "mólhos"? Soa como "môlhos" ou "môlhos" para mim, sem diferença entre os dois. Porém, ainda quando a jornalista está a falar muito depressa, e os transeuntes estão a passar rapidamente enquanto ela fala, eles não têm qualquer problema distinguir a diferença, e têm opiniões convictas sobre o tema. "É môlhos, não môlhos, sem dúvida! Quem diria môlhos?".

    Por outro lado, eu achei que havia grandes diferenças entre o português do Rui Agostinho (link 1 no início do tópico), e a Ana Paula Laborinho (link 2). O Rui Agostinho parece-me salientar sons como "r", "é" e "í", enquanto a Ana Paula Laborinho parece salientar sons como "ó" ou "ou", ou "ói", ela não só está a falar sobre Camões, mas sobre "Camõõõíes", e, a 2:10, o amor não é só platónico mas "platóóónico". Além disso, a pronúncia do Rui Agostinho é muito fácil entender, comparado com a maioria dos portugueses, porque ele fala de um modo tão distinto, onde cada letra e sílaba é claramente pronunciada, particularmente os consoantes.

    Se eu compreendi bem, estas diferenças não são significativos linguisticamente?

    Parece-me também que o tema de dialetos não tem a mesma importância em português como na minha língua. Porque na Noruega, entre cientistas, professores, taxistas, jornalistas, muitos deles falam um dialeto de onde foram nascidos, e isto tem, com certeza, a ver com as historias diferentes dos países, como mencionou.

    De qualquer modo, muito obrigado pela sua ajuda!
    Repara que às vezes, as pessoas alteram um bocadinho a pronúncia normal, quase declamam, quando querem pôr um énfase adicional. Recordo que era um recurso linguístico muito usado pelos professores nas aulas quando queriam ressaltar algum conceito ou palavra.
    Se essa senhora estivesse a falar normalmente na sua casa, talvez diria platónico e não platóóónico porque não estaria a defender nenhuma teoria ante um público.
     

    jazyk

    Senior Member
    Brazílie, portugalština
    Qual é a pronúncia correta, pergunta a jornalista, "môlhos" ou "mólhos"? Soa como "môlhos" ou "môlhos" para mim, sem diferença entre os dois.
    Para os falantes de português a distinção entre as vogais Os e Es abertas e fechadas é natural e sugiro que você também aprenda a reconhecer as diferenças de prolação para falar português com menos sotaque estrangeiro e acentuar corretamente as palavras que peçam acento gráfico.
     

    Vanda

    Moderesa de Beagá
    Português/ Brasil
    Acredito que seja mais ou menos como aqui: o pessoal que vai pra tv, jornalistas e artistas, na maioria, acaba adotando o sotaque carioca e , dependendo da tv, o paulista. O mesmo se deve dar com Portugal, conforme depreendi acima.
    Entrevistas de jornais regionais dão uma boa leitura dos diferentes falares, mas aí existe a dificuldade de achar os programas regionais nos canais.
     

    Bautastein

    Member
    Norwegian - Norway
    Repara que às vezes, as pessoas alteram um bocadinho a pronúncia normal, quase declamam, quando querem pôr um énfase adicional. Recordo que era um recurso linguístico muito usado pelos professores nas aulas quando queriam ressaltar algum conceito ou palavra.
    Se essa senhora estivesse a falar normalmente na sua casa, talvez diria platónico e não platóóónico porque não estaria a defender nenhuma teoria ante um público.
    Sim, isso é verdade. Ao ler a citação de mim próprio, reparei que podia ser interpretado como se eu estivesse a troçar dela, mas isso seria o inverso da verdade! Na verdade, eu gosto muito deste modo muito bonito e quase teatral, nos ouvidos dum estrangeiro, a prolongar e enfatizar algumas vogais e ditongos, que eu ouço em Itália, Espanha e Portugal. Ela está a falar para alunos, e eu acho que é uma maneira de mostrar muito paixão em relação ao assunto.

    O que eu realmente queria dizer, não é fácil descrever. É quase como se a maioria das vogais dela fossem coloridas com sons de "ó", "ou", "ói" etc., enquanto as vogais do Rui Agostinho fossem coloridas mais com "é" e "í". Não sei se faz sentido... :)

    Também ouço alguns portugueses a salientar os "a" abertos, como "váámos", "estáámos", "clááro" etc... num jeito muito fixe.

    Eu tenho uma pergunta sobre as minhas fontes principais para praticar a pronúncia. Eu uso este dicionário para praticar palavras particulares:

    English Translation of “raramente” | Collins Portuguese-English Dictionary

    A pronúncia em português europeu está mais abaixo nesta página. Este homem fala também português europeu padrão? Eu reparo que ele usa "r" rolante no início de palavras, e para "r" duplo, onde a maioria de portugueses usam um "r" diferente. Eu também decidi usar o "r" rolante no início de palavras e "r" duplo. Isto tem um valor linguístico? Isto dá uma impressão particular, ou será considerado neutro?

    Para praticar frases inteiras eu uso audiolivros de librivox:

    LibriVox

    Esta mulher (a Carina Pereira) também fala português padrão? Os links foram pre-aprovados duma moderadora (Vanda).
     
    Last edited:

    Bautastein

    Member
    Norwegian - Norway
    Para os falantes de português a distinção entre as vogais Os e Es abertas e fechadas é natural e sugiro que você também aprenda a reconhecer as diferenças de prolação para falar português com menos sotaque estrangeiro e acentuar corretamente as palavras que peçam acento gráfico.
    Sim, eu estou a praticar este assunto agora. Sendo norueguês, eu falo naturalmente com vogais muito abertas. Para mim, todas as vogais em português europeu soam fechadas... :)
     
    < Previous | Next >
    Top