diferencia vs diferença

ManOfWords

Senior Member
Português [Brasil]
Sou de Curitiba e acabei de descobrir que antes de haver a ortografia 'diferença', havia a 'diferencia' ... em alguma região ainda se fala diferencia? e se possivel para quem tem os meios, gostaria de saber o ano que 'diferença' passou a ser usada na escrita no lugar de 'diferencia'. att : )
 
  • Nonstar

    Senior Member
    Portugais - de la maison du chapeau
    Olá!
    Eu nunca ovi dizer que em algum momento da história do Brasil falou-se diferencia. Qual a fonte da informação? Como eu não sou lá muito erudito, gostaria de saber. Será que a fonte que diz ter-se falado diferencia não menciona a época?
    Isso faz parte de algum trabalho acadêmico?
    Eu sei que pronunciam poliça, em vez de polícia, mas diferencia, essa é nova.
     

    guihenning

    Senior Member
    Português do Brasil
    Diferência, você quis dizer? Não me parece que tenha havido tal forma.

    Houaiss:
    lat. diferentĭa,ae no sentido de 'diferença'; ver -fer-; f.hist. 1326 defferença, sXIV deferença, sXV diferença
     

    visconde

    Member
    Português do Brasil
    Estranho. No Corpus do Português, as ocorrências de 'diferência' são poucas e são todas grafias erradas de 'diferencia' do verbo 'diferenciar'. Há uma exceção, por João de Barros, século XVI. Mas será que não quer dizer deferência?
    Afastado el-Rei a ûa parte, deu lugar que chegassem os seus fazer outro tanto a Diogo de Azambuja, mas, no modo de tocar os dedos, fizeram esta diferência del-Rei, molhando o dedo na boca, e des i limpo, no peito o tocaram - cousa que se faz do menor ao maior, em final de salva, que se cá toma aos príncipes, porque dizem eles que pode levar peçonha neste dedo, se ante o não alimparem per este modo [...] (Décadas, Década Primeira, Livros I-X)
     
    Last edited:

    Carfer

    Senior Member
    Portuguese - Portugal
    Não, julgo que quer mesmo dizer 'diferença', porque relata a forma como os dignitários ('os que entre elles erão estimados por nobres') cumprimentaram Diogo da Azambuja, distinta da que o rei Caramança tinha usado. Caramança tinha pegado na mão de Azambuja e feito um 'trinco' com os dedos, ao passo que os nobres molharam primeiro o dedo na boca e, uma vez limpo, tocaram-no no peito ('no modo de tocar os dedos fizerão esta differença delRey, molhado o dedo na boca, & de si limpo no peito o tocarão'). A grafia, na edição de 1628, é 'differença', na de 1778 'diferença'. Não digo que a grafia 'diferencia' não possa ter existido (ou por erro do impressor ou por alguma instabilidade dela, que, na época, não era infrequente), mas não me parece que este texto ateste esse uso. De resto, a citação da fonte no Corpus está errada. O trecho consta do livro III, a folhas 36v. da edição de 1628, de que a seguir vai reproduzido o fragmento respectivo:
    Anotação 2019-08-22 144027.png

    Joao De Barro Decadas Da Asia Decada I : João de Barros : Free Download, Borrow, and Streaming : Internet Archive
     
    Last edited:

    Ari RT

    Senior Member
    Português - Brasil
    Do Espírito Santo para o Sul, nosso PT recebeu influências das línguas de imigrantes europeus. Essa ditongação é típica do Espanhol. Talvez italianos e alemães, que julgo prevalentes no Paraná e que não tinham essa ditongação como característica, tenham buscado mimetizar a musicalidade do Espanhol, por sua semelhança, de seu ponto de vista, com o Português. Não sei se houve imigração Espanhola no Paraná em escala suficiente para que esse maneirismo se estabelecesse. Quem o souber faça o favor de postar aqui.
    Na minha cidade natal, até o final dos anos 80, os ônibus que iam para o bairro da Colônia traziam o letreiro sem acento. Os mais idosos pronunciavam Colónia, o local do primeiro assentamento "dA" colónia italiana original, com artigo definido. Poderiam se confundir com isso de Colônia, será o mesmo lugar? Mas Colónia existe em PT? Entre a cruz e a espada, ficava sem acento mesmo, cada um construía o seu entendimento sobre sua experiência anterior. Construtivismo na prática e na vanguarda.
    Hoje os letreiros e mapas já dizem Colônia mas, na fala cotidiana, o nome do bairro ainda é Colónia, com ó bem aberto, mesmo para as pessoas que não guardam nenhuma relação com a imigração italiana, mesmo para os que não desconfiam que ali foi o primeiro assentamento dos primeiros imigrantes. Toponímico não se discute, ouve-se, aprende-se, repete-se. Quem é que sabe o que significa M'Boi Mirim?
    Essa palavra "colónia" existe? Bom, existir, existe. Há quem a emita com a intenção de significar o bairro e há quem a decodifique corretamente, ainda que isso ocorra em um espaço geográfico restrito a cerca de meio milhão de pessoas - mais que muitos jargões profissionais ou esportivos! Daí a dizer que "colônia" em PT se escreva corretamente (também) com acento agudo, ou que se pronuncie (também) com ó aberto, vai uma distância enorme.
    Colônia é colônia, como diferença é diferença. Nem toda variação é "legitimável". Algumas são desvios da fala e da escrita canônicas, simplesmente.
     

    visconde

    Member
    Português do Brasil
    O caso é um pouco diferente, Ari. Não se trata de dialeto mas, supostamente, grafia antiga. Além do site mencionado acima, o Caldas Aulete abona essa grafia num trecho de História da Antiguidade da Cidade de Évora, p. 3, de André de Resende, século XVI. Mas daí a afirmar que é grafia antiga mesmo são outros quinhentos, soldos não anos.
     

    Ari RT

    Senior Member
    Português - Brasil
    'Colónia', com o 'e' bem aberto e acento agudo ainda é o padrão da pronúncia e da escrita do termo em Portugal.
    Falha minha. Nesse caso não se trata de legitimável, e sim de legítima. Mas o espírito da coisa há-de ter sido entendido, apesar da minha péssima escolha de exemplo.
     
    < Previous | Next >
    Top