Futuro do Conjuntivo, mais outra vez...

therodrigues

New Member
español
Olá!
Venho aqui mais outra vez para pedir a sua ajuda com o futuro do conjuntivo, já sabem que é uma pesadela para os espanhóis que não conseguimos dominá-lo...
Tenho uma frase que, na minha opinião, tem um erro de concordância entre os tempos verbais e gostava de saber a sua opinião. A frase é a seguinte: Se fizer o curso na sua instituição, terá a mesma homologação que se o tivesse feito em Espanha?
Eu acho que a opção correta seria: Se fizer o curso na sua instituição, terá a mesma homologação que se o fizer em Espanha?
Concordam comigo? Qual é a sua opinião?
Obrigada desde já.
 
  • pfaa09

    Senior Member
    Portugal - Portuguese
    Se fizer o curso na sua instituição, terá a mesma homologação como se o tivesse feito em Espanha?
    A primeira opção está correcta. Só mudaria o que por como.
    Na tua segunda opção usas o mesmo tempo verbal. Começas por usar o futuro do conjuntivo (e bem para o contexto) mas a 2ª parte da frase já não pede esse mesmo futuro. Talvez o terá te esteja a confundir, uma vez que ele faz uma ligação para outra realidade, embora relacionada, e no futuro (a homologação).
    Passas para um futuro hipotético para perguntar sobre o particípio passado. Sei que parece confuso, mas faz sentido.
     
    Last edited:

    patriota

    Senior Member
    pt-BR
    Um modo mais simples de dizer a mesma coisa: "[...] que um curso feito em/na Espanha?" (no Brasil, Espanha leva artigo; em Portugal, não).
     

    Cainejo

    Senior Member
    Español-España
    Passas para um futuro hipotético para perguntar sobre o particípio passado. Sei que parece confuso, mas faz sentido.
    Entendo que é porque quando a homologação chegar o curso já foi feito. Em espanhol é o mesmo. Mas se a frase for: Se fizer o curso na sua instituição, gostarei dele como se o ______ em Espanha? Já "tivesse feito" acho que não faz sentido e muda para "fizesse", não é?
     

    pfaa09

    Senior Member
    Portugal - Portuguese
    Entendo que é porque quando a homologação chegar o curso já foi feito. Em espanhol é o mesmo. Mas se a frase for: Se fizer o curso na sua instituição, gostarei dele como se o ______ em Espanha? Já "tivesse feito" acho que não faz sentido e muda para "fizesse", não é?
    Ao usares gostarei, estás a fugir ao essencial da frase. Não se trata de gostar nem de ti (directamente). A segunda parte da frase fala sobre o curso e se ele terá a mesma homologação mediante uma condição ou realidade.
    Se eu fizer / Se eu optar por fazer / Se por algum motivo eu escolher fazer o curso em determinada instituição... será que esse curso tem / Terá esse curso o mesmo estatuto como se o* tivesse feito em Espanha?
    * o curso.

    Nota: Como se o tivesse feito.
    Como se determina que é hipotético. Não é algo que se fez efectivamente. Neste caso, pergunta-se se os cursos são homólogos em países diferentes.
    Se o tivesse feito em Espanha seria igual como se o tivesse feito em Portugal? Nada disto é factual, não aconteceu. É apenas uma hipótese.
     
    Last edited:

    gato radioso

    Senior Member
    spanish-spain
    Não sou nativo, mas eu acho que tivesse feito é melhor, porque é uma hipótese.

    Acho que às vezes, ficamos confundido porque, inadvertidamente, tendemos a aplicar estructuras do castelhano.
    ...tendrá la misma homologación que si lo hubiese hecho...

    É para mim a opção mais correcta desde que é uma hipótese. Na realidade eu no fiz o curso em Espanha, é só uma suposição minha.

    No entanto, como tendemos a ter um uso exagerado do presente no castelhano, seja isto correcto ou não, escutamos todos os días frases como:
    ...tendrá la misma homologación que si lo hago en...
    O qual é frequentíssimo na linguagem coloquial e dá mais vivacidade à frase... mas...é isto correcto, ainda em espanhol?

    Para mim não é, desde que estamos a falar de uma coisa que não se concretizou. Eu só o diría se essa possibilidade ainda estivesse aberta, isto é, que o curso vai ser realizado no futuro e ainda não sei se ou farei ou não (o qual é bem diferente a um curso que eu pude ter feito no passado e não fiz porque assim eu quis).
     
    Last edited:

    pfaa09

    Senior Member
    Portugal - Portuguese
    É possível usar o presente na segunda parte da frase se deixar-mos o sujeito simples (eu) e se passarmos para o sujeito indeterminado.
    Se fizermos aqui o curso... será / seria o mesmo como quem o faz aqui/em Espanha? ...Como aqueles que o fazem aqui?
    As possibilidades (gramaticais) para se dizer o mesmo, são muitas.
     

    Cainejo

    Senior Member
    Español-España
    Ao usares gostarei, estás a fugir ao essencial da frase. Não se trata de gostar nem de ti (directamente). A segunda parte da frase fala sobre o curso e se ele terá a mesma homologação mediante uma condição ou realidade.
    Se eu fizer / Se eu optar por fazer / Se por algum motivo eu escolher fazer o curso em determinada instituição... será que esse curso tem / Terá esse curso o mesmo estatuto como se o* tivesse feito em Espanha?
    * o curso.

    Nota: Como se o tivesse feito.
    Como se determina que é hipotético. Não é algo que se fez efectivamente. Neste caso, pergunta-se se os cursos são homólogos em países diferentes.
    Se o tivesse feito em Espanha seria igual como se o tivesse feito em Portugal? Nada disto é factual, não aconteceu. É apenas uma hipótese.
    Acho que eu não soube explicar bem. É claro que os tempos verbais respondem ao caracter hipotético da frase, eu não questiono isso nem estou a propor outra opção melhor. A minha impressão é que não há diferença nisto com o espanhol. Explico:

    -Se fizer o curso na sua instituição, terá a mesma homologação como se o tivesse feito em Espanha?

    Se não me engano, uso do pretérito na segunda parte da frase vem da sequência dos acontecimentos. A pergunta é sobre a homologação, e quando ela chegar (se chega) o curso terá acontecido, será passado. Diz Tivesse feito porque fazer o curso é prévio à homologação. Exemplos:

    -Se comprares o computador aqui terá garantía como se o tivesses comprado ali (a compra é prévia à garantia)

    -Se comprares o computador aqui poderás prova-lo como se o tivesses comprado ali (a compra é simultânea à prova). É correcto comprasses ou comprares?

    -Se fizer o curso na sua instituição, terá práticas de laboratório como se o tivesse feito em Espanha? (fazer o curso é simultâneo às práticas). É correcto fizesse ou fizer?

    Espero que agora se entenda. Eu aposto por o pretérito imperfeito "comprasses/fizesse", mas tenho dúvida.
     

    pfaa09

    Senior Member
    Portugal - Portuguese
    Se comprares o computador aqui, poderás prova-lo como se o tivesses comprado ali (a compra é simultânea à prova). É correcto comprasses :tick: ou comprares?
    Provar, neste contexto, em português, soa estranho.
    -Se fizer o curso na sua instituição, terá práticas de laboratório como se o tivesse feito em Espanha? (fazer o curso é simultâneo às práticas). É correcto fizesse :tick: ou fizer?
    Nota: Não consigo editar a minha resposta #7.
    Queria corrigir a conjugação "deixar-mos" para "deixarmos" (sem hífen).
     
    Last edited:
    Top