Futuro do conjuntivo

alf62

Member
spanish spain
Olá:
Há dois meses que estudo português e ainda tenho muitas duvidas com o futuro do conjuntivo.
Quando e como é que devo usar o futuro do conjuntivo?
Qual é a diferença do uso entre o futuro do conjuntivo e o infinitivo pessoal ?
O presente de conjuntivo espanhol é substituido pelo futuro do conjuntivo portugês?
Muito obrigado !




Por favor, corrijam os meus erros no texto.
 
  • jazyk

    Senior Member
    Brazílie, portugalština
    Quando e como é que devo usar o futuro do conjuntivo? - Principalmente depois das conjunções se e quando ao se falar de ações hipotéticas no futuro: Quando/Se ela sair, peça-lhe que compre paõ.

    Qual é a diferença do uso entre o futuro do conjuntivo e o infinitivo pessoal ? - O infinitivo pessoal pode muitas vezes substituir o presente do subjuntivo ou o imperfeito do subjuntivo. Não creio que seja possível a substituição do futuro do subjuntivo:
    É possível que cheguemos (pres. do subj.) mais cedo - É possível chegarmos (inf. pessoal) mais cedo.
    Era possível que chegássemos (imperf. do subj.) mais cedo. - Era possível chegarmos (inf. pessola) mais cedo.

    O presente de conjuntivo espanhol é substituido pelo futuro do conjuntivo portugês? - Não. Pode-se usar o subjuntivo em português também ou usar o infinitivo pessoal em alguns casos:

    Nota: subjuntivo (Brasil) é o mesmo que conjuntivo (Portugal).

    Por favor, corrijam os meus erros no texto.
    Só há um quase imperceptível: dúvidas.
     

    Outsider

    Senior Member
    Portuguese (Portugal)
    Olá:
    Há dois meses que estudo português e ainda tenho muitas duvidas com o futuro do conjuntivo.
    Eu diria que, com dois meses apenas de aulas, ainda é cedo para se preocupar o futuro do conjuntivo.

    Quando e como é que devo usar o futuro do conjuntivo?
    Qual é a diferença do uso entre o futuro do conjuntivo e o infinitivo pessoal ?
    Em termos de uso, os dois são totalmente incompatíveis. Nunca se pode substituir um pelo outro. No entanto, não é fácil explicar a diferença. Acho que é mais simples tentar entender quando é que se usa cada um deles.

    O presente de conjuntivo espanhol é substituido pelo futuro do conjuntivo portugês?
    Nem sempre. O presente do conjuntivo espanhol pode corresponder em português ao futuro do conjuntivo, ao presente do conjuntivo, ou a um infinitivo (pessoal ou impessoal).

    P.S. Veja se isto e isto ajudam.
     

    alf62

    Member
    spanish spain
    Muito obrigado pela vossa ajuda.
    Acho que devo ir mais devagar com os tempos dos verbos.
     

    Ricardo Tavares

    Senior Member
    Português - Brasil
    O que sempre me ajudou a conjugar os verbos no subjuntivo (conjuntivo em Portugal) foi colocar uma(s) palavrinha(s) antes. Por exemplo, verbo FAZER:

    Presente dp Subjuntivo:
    (Para que) EU Faça
    TU Faças
    .
    .

    Pretérito Imperfeito do Subjuntivo:
    (Se) EU Fizesse
    TU Fizesses
    .
    .

    Futuro do Subjuntivo:
    (Quando) EU Fizer
    TU Fizeres
    .
    .

    Infinitivo Pessoal
    (Para) EU Fazer
    TU Fazeres
    .
    .

    Espero que ajude.
     

    alf62

    Member
    spanish spain
    Se houver bilhetes, comprem um para mim. ( futuro do conjuntivo )
    Se houvesse bilhetes, comprem um para mim. ( imperfeito do conjuntivo )

    Qual é a correcta ?
    Às vezes não percebo a diferença entre os dos tempo do conjuntivo.
    O imperfeito usa-se para orações condicionais introduzidas pela conjunção SE, em que a condição expresa é irreal, imaginária ou hipotética.
    Eu não sei se há ou não há bilhetes então porque esta frase aparece no meu livro com o futuro do conjuntivo?
    muito obrigado.


    por favor corrijam os meus erros no texto !
     

    asmborges

    Senior Member
    Portuguese Brazilian
    É "Se houver", porque a ação está no futuro, e é incerta. É o famoso "Futuro do Conjuntivo/Subjuntivo" que tanta dor de cabeça dá a quem tenta aprender português....

    "Se houvesse" pode ser usado assim: "se houvesse bilhetes eu teria comprado um", observe que a frase está no passado.
     

    Outsider

    Senior Member
    Portuguese (Portugal)
    Se houver bilhetes, comprem um para mim. ( futuro do conjuntivo ) :tick:
    Se houvesse bilhetes, comprem um para mim. ( imperfeito do conjuntivo ) :cross:
    Não pode usar o imperfeito se está a falar do futuro!

    Às vezes não percebo a diferença entre os dos tempo do conjuntivo.
    O imperfeito usa-se para orações condicionais introduzidas pela conjunção SE, em que a condição expresa é irreal, imaginária ou hipotética.
    Eu não sei se há ou não há bilhetes então porque esta frase aparece no meu livro com o futuro do conjuntivo?
    "Haver bilhetes" não é uma pura fantasia. É uma possibilidade. Não tem a certeza se há, mas pode bem haver.

    Além disso, a oração principal é "comprem um para mim", isto é uma ordem que se refere ao futuro. Quando falamos do futuro, nunca usamos o imperfeito.

    Espero ter ajudado.

    O seu texto está perfeito. :thumbsup:
     

    alf62

    Member
    spanish spain
    olá:
    esta oraçao está correcta?

    " se fores à cozinha, traz-me un copo de leite"
    Caso que esteja correcta, usa-se sempre o futuro de conj nestas orações ?
    Muito obrogado.






    Por favor, corrijam os meus erros!
     

    alf62

    Member
    spanish spain
    A maiúscula foi um erro de preguiça e o outro foi um erro de escritura.
    Acho que começo a compreender como usar o futuro de conjuntivo.
    muito obrigado
     

    kurumin

    Senior Member
    salvador bahia brasil, brazilian portuguese & tupy
    Qual é a diferença do uso entre o futuro do conjuntivo e o infinitivo pessoal ?
    Com futuro de subjuntivo (conjuntivo) não podemos usar a ênclise:

    Se eu o encontrar...:tick:
    Se eu encontrá-lo...:cross:

    Quando ele a chamar...:tick:
    Quando ele chamá-la...:cross:

    Se você a seguir...:tick:
    Se você segui-la...:cross:

    Com o infinitivo pessoal isso é possível::tick:

    Até eu encontrá-lo...
    Na hora de eu chamá-la...
    Na hora de eu a chamar...
    Para vocês me seguirem...
    Para vocês seguirem-me...
     

    MOC

    Senior Member
    Portuguese
    A sério? Soa tão estranho. Eu usaria "para vocês me seguirem", etc. Não sabia que era válido das duas formas.
     

    jazyk

    Senior Member
    Brazílie, portugalština
    É muito melhor Para vocês me seguirem, porque aqui se trata de um infinitivo pessoal usado numa oração reduzida de infinitivo correspondente, portanto, a uma oração subordinada (para que vocês me sigam/seguissem). As subordinadas, como se sabe, exigem sempre a próclise.
     

    Outsider

    Senior Member
    Portuguese (Portugal)
    Se for uma oração reduzida, a próclise não é obrigatória (a minha referência é a Gramática do Português Contemporâneo, de Cunha e Cintra). No entanto, é verdade que depois de certas preposições, como para, me soa estranho não fazer a próclise.
     

    Naticruz

    Senior Member
    Portugal - Português
    É "Se houver", porque a ação está no futuro, e é incerta. É o famoso "Futuro do Conjuntivo/Subjuntivo" que tanta dor de cabeça dá a quem tenta aprender português....

    "Se houvesse" pode ser usado assim: "se houvesse bilhetes eu teria comprado um", observe que a frase está no passado.
    Acrescento:
    E, nesse caso, não pode empregar o presente do indicativo «comprem»
     

    dj_sound

    New Member
    Croatian
    É "Se houver", porque a ação está no futuro, e é incerta. É o famoso "Futuro do Conjuntivo/Subjuntivo" que tanta dor de cabeça dá a quem tenta aprender português....

    "Se houvesse" pode ser usado assim: "se houvesse bilhetes eu teria comprado um", observe que a frase está no passado.

    Imperfeito do conjuntivo pode também ser usado desta maneira:

    "Se houvesse bilhetes, eu comprava/compraria um" - Esta frase apresenta uma acção hipotética no presente ou um desejo não realizado no presente.
     
    Last edited:

    Uticens678

    Senior Member
    Italiano
    Olá a toda a gente! Gostava de saber se as seguintes traducões que dizem respeito à correspondência entre o subjuntivo presente espanhol e o conjuntivo futuro português são certas ou erradas:
    1)Los que estén interesados en este proyecto pueden llamarme manana ->os que estiverem interessados neste projeto podem-me ligar amanhã
    2)Haz lo que te parezca = faz o que quizeres
    3)Los amigos que vengan comprarán un regalo a María= os amigos que vierem comprarão um presente à Maria
    4)Quien quiera ir de excursión tendrá que rellenar esta ficha= quem quiser ir de excursão terá de preencher esta ficha
    5)Busco un artículo que hable de literatura popular = Procuro um artigo que falar em literatura popular
    Muito obrigado e feliz ano novo !
     
    Last edited:

    anaczz

    Senior Member
    Português (Brasil)
    1)Los que estén interesados en este proyecto pueden llamarme manana ->Os que estiverem interessados neste projeto podem-me ligar amanhã :tick:
    2)Haz lo que te parezca = Faz o que quiseres
    3)Los amigos que vengan comprarán un regalo a María= Os amigos que vierem comprarão um presente à Maria :tick:
    4)Quien quiera ir de excursión tendrá que rellenar esta ficha= Quem quiser ir de excursão terá de preencher esta ficha :tick:
    5)Busco un artículo que hable de literatura popular = Procuro um artigo que fale em literatura popular


    Feliz ano novo!
     

    Uticens678

    Senior Member
    Italiano
    Obrigado!Mais uma coisa: há alguma diferenca entre estas frases ?
    1) Procuro uma secretária que trabalha na área da informática.
    2)Procuro uma secretária que trabalhe na área da informática.
    3)Procuro uma secretária que trabalhar na área da informática.
    4)Procuro uma secretária que trabalhará na área da informática.
     

    Carfer

    Senior Member
    Portuguese - Portugal
    Obrigado!Mais uma coisa: há alguma diferenca entre estas frases ?
    1) Procuro uma secretária que trabalha na área da informática.
    2)Procuro uma secretária que trabalhe na área da informática.
    3)Procuro uma secretária que trabalhar na área da informática.
    4)Procuro uma secretária que trabalhará na área da informática.

    Há. A primeira significa que você anda à procura de uma secretária (pessoa determinada) que sabe que trabalha actualmente na área da informática. A segunda, que procura uma secretária qualquer (uma pessoa indeterminada) que possa trabalhar na área da informática. A terceira é um erro, não pode dizer assim. Terá de dizer 'Procuro uma secretária que para trabalhar na área da informática.'. A última significa o mesmo que esta depois de corrigida: procura uma secretária que irá trabalhar na área da informática.
     

    Uticens678

    Senior Member
    Italiano
    Obrigado ! E entre estas ?
    Faz o que quiseres
    Faz o que queres
    Faz o que quererás
    Faz o que queiras.
    E mais duas : Faz o que ele queiras "VS" Faz o que ele quiseres
     

    anaczz

    Senior Member
    Português (Brasil)
    Faz o que quiseres - Faz qualquer coisa que venhas a querer.
    Faz o que queres - O sentido é semelhante ao da frase anterior, mas dá mais a ideia de que a pessoa já quer alguma coisa, sabe o que quer fazer.
    Faz o que quererás - É uma frase possível, mas nāo muito comum. É como se dissesse, num contexto muito específico: faz agora o que você sabe que vai querer amanhā.
    Faz o que queiras. :cross:Nāo se aplica
    E mais duas : Faz o que ele queiras :cross:"VS" Faz o que ele quiseres quiser.:tick:
     

    Uticens678

    Senior Member
    Italiano
    Perfeito! E quais destas são certas?
    1)Se te pego, beijo-te.
    2)Se te pego,beijar-te-ei.
    3)Se te pegar,beijo-te.
    4)Se te pegar,beijar-te-ei.
     

    Carfer

    Senior Member
    Portuguese - Portugal
    Imagino que não seja algo simples de explicar mas... Porquê?

    Porque as duas acções são concomitantes, ou tendem a sê-lo, e por isso a maioria das pessoas usaria o presente em ambas as orações: 'Se te pego/agarro, beijo-te'. Além disso, uma frase como esta só se diz num contexto informal e a mesóclise não é adequada a tal contexto. Diga-se de passagem que isso também vale para a quarta frase, mas aí a estranheza que provoca é mitigada pelo facto de haver concordância dos tempos verbais em ambas as orações. Ou seja, não me parece provável que alguém diga assim, mas a quarta frase é menos forçada do que a segunda.
     

    Uticens678

    Senior Member
    Italiano
    Porém na terceira não há qualquer concordâcia temporal... "Pegar" é um futuro do congiuntivo e "beijo" um presente do indicativo... Para vocês,nativos, isto não soa um bocadinho agramatical?
     

    Carfer

    Senior Member
    Portuguese - Portugal
    Porém na terceira não há qualquer concordância temporal... "Pegar" é um futuro do conjuntivo e "beijo" um presente do indicativo... Para vocês,nativos, isto não soa um bocadinho agramatical?

    Não. Neste caso o presente do indicativo tem um sentido de futuro, o que não é de todo invulgar em português. Frases como 'Vou para Paris amanhã', por exemplo, são perfeitamente naturais e aceitáveis em português.
     

    Uticens678

    Senior Member
    Italiano
    E dentre estas quais fazem sentido?
    1)Se hoje te pego, hoje te beijo.
    2)Se hoje te pego, amanhã te beijo.
    3)Se amanhã te pego, hoje te beijo.
    4)Se amanhã te pego, amanhã te beijo.
    5)Se hoje te pegar, hoje te beijo.
    6)Se hoje te pegar, amanhã te beijo.
    7)Se amanhã te pegar, hoje te beijo.
    8)Se amanhã te pegar, amanhã te beijo.
     

    Outsider

    Senior Member
    Portuguese (Portugal)
    Todas elas. Não é por juntar o advérbio "hoje" que o sentido deixa de ser futuro. Está a falar da parte do dia de hoje que ainda não aconteceu.
     

    Uticens678

    Senior Member
    Italiano
    Mas então qual a diferenca entre "Se hoje te pegar,amanhã te beijo" e "Se hoje te pego, amanhã te beijo"?
     
    Last edited:

    Carfer

    Senior Member
    Portuguese - Portugal
    Mas então qual a diferenca entre "Se hoje te pegar,amanhã te beijo" e "Se hoje te pego, amanhã te beijo"?

    Nenhuma, salvo que a primeira soa mais natural do que a segunda. Em todo o caso, sendo possíveis no campo das hipóteses, qualquer das duas frases é altamente improvável.
     

    Uticens678

    Senior Member
    Italiano
    Obrigado... E entre duas frases mais prováveis? 1) Se hoje fizeres as tarefas (da escola), amanhã te levo ao cinema.
    2)Se hoje fazes as tarefas, amanhã te levo ao cinema.
     

    didi2009

    Senior Member
    Olá:
    Há dois meses que estudo português e ainda tenho muitas duvidas com o futuro do conjuntivo.
    Quando e como é que devo usar o futuro do conjuntivo?
    Qual é a diferença do uso entre o futuro do conjuntivo e o infinitivo pessoal ?
    O presente de conjuntivo espanhol é substituido pelo futuro do conjuntivo portugês?
    Muito obrigado !

    No Brasil é chamado de futuro do subjuntivo e serve para assinalar uma possibilidade a ser concluída em relação a um fato no futuro, uma ação vindoura, mas condicional a outra ação também futura. Denota incerteza e probabilidade.

    * Quando eu voltar, saberei o que fazer.

    * Quando os sinos badalarem nove horas, voltarei para casa.



    Também pode indicar uma condição uma incerteza, presente ou futura.

    * Se ele estiver lá amanhã, certamente ela também estará.

    No espanhol, o futuro do subjuntivo está em desuso. Atualmente o seu uso se limita ao âmbito legal. A seguir um exemplo da Ley Orgánica del Código Penal de 1995 (artículo 485.1):

    El que matare al rey [...] será castigado [...]

    Nesse caso, é correto o uso do presente do subjuntivo já que é improvável que alguem mate o rei. Caso fosse usado o presente do indicativo: El que mate al rey [...] será castigado [...] estaríamos dando por certo o fato de que, mais cedo ou mais tarde, alguém mataria o rei.

    Ao traduzir para o espanhol o futuro do subjuntivo em orações condicionais, deve-se empregar o presente do indicativo:

    Se for assim, eu não vou > Si es así, yo no voy.

    Se precisar de ajuda, é só pedir > Si necesitas ayuda, pídela.

    Se chover, não iremos > Si llueve, no vamos.

    Se ele estiver lá, certamente ela também estará. = Si él está allí, seguramente ella también estará.



    Ao traduzir para o espanhol o futuro do subjuntivo em orações temporais deve-se empregar o presente do subjuntivo.

    Quando for necessário, peça ajuda. > Cuando sea necessário, pide ayuda.

    Quando estivermos cansados, pareremos para dormir > Cuando estemos cansados, pararemos para dormir.

    Eles comprarão tudo o que puderem > Ellos comprarán todo lo que puedan.

    Quando eu voltar, saberei o que fazer. = Cuando yo vuelva, sabré lo que hacer.

    Quando os sinos badalarem, voltarei para casa. = Cuando suenen las campanas, volveré a casa.

    Quando você terminar sua série de exercícios, eu caminharei 6 km = Cuando termines tu serie de ejercicios, yo caminaré 6 km.

    Exemplo com locução verbal:

    * Quando você tiver terminado sua série de exercícios, eu caminharei 6 Km. = Cuando hayas terminado tu serie de ejercicios, yo caminaré 6 km.



    Por favor, corrijam os meus erros no texto.
     

    didi2009

    Senior Member
    Quanto ao infinitivo pessoal ou flexionado:

    O português e o galego são as únicas línguas neolatinas que possuem o infinitivo flexionado. Ele é usado em dois casos:


    1) Quando o infinitivo possui sujeito próprio, diferente do sujeito da oração principal. Ex.: Ele trouxe o documento para nós assinarmos.
    2) Quando o infinitivo vier regido de preposição e anteceder a oração principal. Ex.: Para sermos bons amigos, devemos nos conhecer melhor.

    Para eu ir
    Para tu ires
    Para ele ir
    Para nós irmos
    Para vós irdes
    Para eles irem


    Corriqueiramente essa transferência é feita ao espanhol por falantes nativos do português que tendem a flexionar em número e pessoa o infinitivo. Ao traduzirmos o infinitivo flexionado para o espanhol, devemos, na maioria das vezes, utilizar a conjunção que + presente do subjuntivo:
    Para sermos felizes → Para que seamos felices.
    O professor pediu para lermos o texto → El profesor nos pidió que leamos el texto.
    Não é necessário pegarmos um ônibus para chegar ao centro → No hace falta que tomemos un autobús para llegar al centro.
    É melhor você casar logo → Es mejor que te cases pronto.
    Vera sugeriu sentarem na fileira da frente → Vera sugerió que se sienten en la fila de adelante.
    Apesar de sermos vizinhos, não nos conhecemos → Aunque somos vecinos, no nos conocemos. (observe que aqui o "apesar de" foi traduzido como "aunque" e verbo ficou no presente do indicativo)
    Falou para as crianças saírem da sala. → Dijo a los niños que salgan de la sala.
    Discutiram uma forma de todos se protegerem. → Dicutieron una forma de que todos se protejan.
    Para os problemas serem resolvidos, precisamos de mais ação. → Para que se resuelvan los problemas, necesitamos más acción.
    Apesar de sermos nativos, não temos sotaque. → Aunque somos nativos, no tenemos acento. (observe que aqui o "apesar de" foi traduzido como "aunque" e o verbo ficou no presente do indicativo)
     

    Carfer

    Senior Member
    Portuguese - Portugal
    Obrigado... E entre duas frases mais prováveis? 1) Se hoje fizeres as tarefas (da escola), amanhã te levo ao cinema.
    2)Se hoje fazes as tarefas, amanhã te levo ao cinema.

    A primeira. Julgo que ninguém dirá a segunda. É claro que agora me vai perguntar porquê, se admiti como possível, ainda que menos natural, a frase 'Se te pego, amanhã beijo-te'. Estas coisas nem sempre são fáceis de explicar, mesmo para um nativo. Parece-me que a razão pela qual 'Se te pego, amanhã beijo-te' não me soa totalmente mal será porque 'Se te pego' tem uma forte conotação actual. Soa como uma ameaça de um acto que poderá estar na iminência de acontecer. 'Se te pego/Se te agarro' dá a ideia de que há uma perseguição em curso, uma tentativa actual de a pessoa pegar/agarrar a outra. Sendo assim, faz sentido o presente do indicativo. Ou então talvez seja porque é muito semelhante a uma frase que frequentemente se usa no contexto descrito: 'Se te agarro, não sei que te faço!', 'Se te agarro, mato-te!'. Ambas as acções são futuras (ainda o iremos agarrar e "matar") mas é no presente que habitualmente pomos o tempo verbal.
     

    didi2009

    Senior Member
    A primeira. Julgo que ninguém dirá a segunda. É claro que agora me vai perguntar porquê, se admiti como possível, ainda que menos natural, a frase 'Se te pego, amanhã beijo-te'. Estas coisas nem sempre são fáceis de explicar, mesmo para um nativo. Parece-me que a razão pela qual 'Se te pego, amanhã beijo-te' não me soa totalmente mal será porque 'Se te pego' tem uma forte conotação actual. Soa como uma ameaça de um acto que poderá estar na iminência de acontecer. 'Se te pego/Se te agarro' dá a ideia de que há uma perseguição em curso, uma tentativa actual de a pessoa pegar/agarrar a outra. Sendo assim, faz sentido o presente do indicativo. Ou então talvez seja porque é muito semelhante a uma frase que frequentemente se usa no contexto descrito: 'Se te agarro, não sei que te faço!', 'Se te agarro, mato-te!'. Ambas as acções são futuras (ainda o iremos agarrar e "matar") mas é no presente que habitualmente pomos o tempo verbal.

    Se hoje fizeres as tarefas da escola, amanhã te levarei ao cinema. = CORRETA
    Se hoje fazes as tarefas, amanhã te levo ao cinema = Errada. Para expressar uma ideia de probabilidade no futuro, deve-se usar o 'Futuro do Subjuntivo' e não o presente.

    A única situação em que acredito que seria aceitável uma construção assim seria para expressar uma ação do presente sujeita a uma ação do passado. Ex.: Se hoje fazes as tarefas, é porque ontem assististe às aulas.

    Ou seja, o fato de teres assistido às aulas ontem é o que te permite que faças as tarefas hoje.

    Não sei se deu para entender.

    Um fenômeno comum na linguagem falada e na literatura é o uso do presente com valor de futuro para dar uma ideia de certeza, de compromentimento. Exemplos:

    Amanhã passo na sua casa para conversarmos.
    Semana que vem falo com seu pai sobre o casamento.
    Esta noite vou ao cinema com minha irmã.
     

    Uticens678

    Senior Member
    Italiano
    E se quer a oracão principal quer a subordenada tivessem como "sinal temporal" a palavra "hoje"?
    Por exemplo: 1)Se hoje fazes as tarefas, hoje te levo ao cinema.
    2)Se hoje fizeres as tarefas, hoje te levo ao cinema.

    E

    3)Se hoje fazes as tarefas, esta tarde te levo ao cinema.
    4)Se fazes as tarefas, esta tarde te levo ao cinema.
     

    Guajara-Mirim

    Senior Member
    Français
    E se quer a oracão principal quer a subordenada tivessem como "sinal temporal" a palavra "hoje"?
    Por exemplo: 1)Se hoje fazes as tarefas, hoje te levo ao cinema.
    2)Se hoje fizeres as tarefas, hoje te levo ao cinema.

    E

    3)Se hoje fazes as tarefas, esta tarde te levo ao cinema.
    4)Se fazes as tarefas, esta tarde te levo ao cinema.

    Acredito que você possa dizer: "Se a fizeres hoje, vou te levar ao cinema".

    Seria uma possibilidade, creio.
     

    didi2009

    Senior Member
    E se quer a oracão principal quer a subordenada tivessem como "sinal temporal" a palavra "hoje"?
    Por exemplo: 1)Se hoje fazes as tarefas, hoje te levo ao cinema.
    2)Se hoje fizeres as tarefas, hoje te levo ao cinema.

    E

    3)Se hoje fazes as tarefas, esta tarde te levo ao cinema.
    4)Se fazes as tarefas, esta tarde te levo ao cinema.


    Mesmo com o advérbio de tempo presente "esta tarde" o verbo deve ficar no "Futuro do Subjuntivo".
    "Se fizeres as tarefas esta tarde, eu te levarei ao cinema"

    Outros exemplos de orações condicionais de futuro:
    Se hoje chover, não iremos à praia amanhã.
    Se conseguirmos o visto, viajaremos aos Estados Unidos nas próximas férias.
    Se fizermos todas as tarefas, a professora nos dará um prêmio.
    Se tiveres coragem, nada será impossível.
     

    didi2009

    Senior Member
    Na verdade a questão não é o advérbio denotar um tempo presente, tal como agora, hoje, neste momento. O que leva o verbo ao Subjuntivo é a sua condição de probabilidade.

    Nas frases condicionais há algo que depende de uma condição para que possa concretizar-se, o fato de expressar uma probabilidade é o que impõe o uso do verbo no subjuntivo.

    O modo subjuntivo expressa probabilidade ou desejo de que algo aconteça "Se eu puder, irei ao cinema", "Quero que vá ao cinema comigo", "Gostaria que ele fosse ao cinema comigo"; enquanto que o modo indicativo expressa certeza: "Eu vou ao cinema", "Nós fomos ao cinema", "Ele irá ao cinema comigo".
     

    didi2009

    Senior Member
    Não, porque a conjunção condicional "se" leva a frase para o subjuntivo porque indica condição ou hipótese e não certeza.

    "Se agora fazes" é presente do indicativo, o correto é "Se agora fizeres" com presente do subjuntivo.
     

    Carfer

    Senior Member
    Portuguese - Portugal
    'Se fizeres os trabalhos de casa, levo-te ao cinema' é não só correcta como muitíssimo comum no português europeu.
     

    Guajara-Mirim

    Senior Member
    Français
    Quanto ao infinitivo pessoal ou flexionado:

    O português e o galego são as únicas línguas neolatinas que possuem o infinitivo flexionado. Ele é usado em dois casos:


    1) Quando o infinitivo possui sujeito próprio, diferente do sujeito da oração principal. Ex.: Ele trouxe o documento para nós assinarmos.
    2) Quando o infinitivo vier regido de preposição e anteceder a oração principal. Ex.: Para sermos bons amigos, devemos nos conhecer melhor.

    Para eu ir
    Para tu ires
    Para ele ir
    Para nós irmos
    Para vós irdes
    Para eles irem


    Corriqueiramente essa transferência é feita ao espanhol por falantes nativos do português que tendem a flexionar em número e pessoa o infinitivo. Ao traduzirmos o infinitivo flexionado para o espanhol, devemos, na maioria das vezes, utilizar a conjunção que + presente do subjuntivo:
    Para sermos felizes → Para que seamos felices.
    O professor pediu para lermos o texto → El profesor nos pidió que leamos el texto.
    Não é necessário pegarmos um ônibus para chegar ao centro → No hace falta que tomemos un autobús para llegar al centro.
    É melhor você casar logo → Es mejor que te cases pronto.
    Vera sugeriu sentarem na fileira da frente → Vera sugerió que se sienten en la fila de adelante.
    Apesar de sermos vizinhos, não nos conhecemos → Aunque somos vecinos, no nos conocemos. (observe que aqui o "apesar de" foi traduzido como "aunque" e verbo ficou no presente do indicativo)
    Falou para as crianças saírem da sala. → Dijo a los niños que salgan de la sala.
    Discutiram uma forma de todos se protegerem. → Dicutieron una forma de que todos se protejan.
    Para os problemas serem resolvidos, precisamos de mais ação. → Para que se resuelvan los problemas, necesitamos más acción.
    Apesar de sermos nativos, não temos sotaque. → Aunque somos nativos, no tenemos acento. (observe que aqui o "apesar de" foi traduzido como "aunque" e o verbo ficou no presente do indicativo)

    Hola Didi,

    Te contesto en español, en tu frase que escribiste ¿no debería ser: "El profesor nos pidió para que leyéramos/leyésemos"?

    P.D: Hermosa en tu fotografía de perfil.
     
    Top