num

  • spohreis

    Senior Member
    Portuguese-Brazil
    centenas de trabalhadores ocupam o leste da capital num trabalho frenético

    In this particular sentence the word "num" seems to confuse me a bit.

    help would be appreciated :cool:
    Hello,

    num = em + um.

    I hope this help. If not, let us know.:)
     

    pedrohenrique

    Senior Member
    Português - Brasil
    centenas de trabalhadores ocupam o leste da capital num trabalho frenético

    In this particular sentence the word "num" seems to confuse me a bit.

    help would be appreciated :cool:
    Good evening, Abovethelaws
    "num" is a contraction of em + um, that is, "in a". So, your sentence would be translated:
    "Hundreds of workers occupy the east of the capital in a frenzied work".
    I hope it helps you.
     

    FloMar

    Senior Member
    English - England
    Is it correct to say that the contraction num(a) appears more in informal text? Is the contraction obligatory?
     

    pfaa09

    Senior Member
    Portugal - Portuguese
    Is it correct to say that the contraction num(a) appears more in informal text?
    I have never noticed that. I guess we can find it in both informal and formal texts.
    Is the contraction obligatory?
    It's easier for us to say "em 2, 3, 4..." than "em 1". Brasilians use to say it more often than us, Europeans.
    I wouldn't say "obligatory", I would rather say "recommended".
     

    xiskxisk

    Senior Member
    European Portuguese
    Is it correct to say that the contraction num(a) appears more in informal text? Is the contraction obligatory?
    People usually avoid contractions when they try to sound formal, to the lengths that sometimes they are actually hypercorrecting, which is an error.

    Saying em um instead of num sounds weird in European Portuguese. Most people will use num, either in formal and informal settings.
     

    englishmania

    Senior Member
    Português Europeu
    Acho que é uma discussão desnecessária. Existe o não e existe o num. O facto de as pessoas por vezes dizerem "num" (=não) é apenas um fenómeno coloquial que não afeta o entendimento. Não percebo o seu encanto pelo nom, usado nos seus posts antigos.
    E porventura é uma palavra só.
     

    Ari RT

    Senior Member
    Português - Brasil
    Para não confundi-los basta o contexto. No último acordo ortográfico até os acentos diferenciais outrora existentes foram abolidos. Alguém mais capacitado que nós considerou que sejam desnecessários. Não seremos quem invente formas ad hoc para diferenciar palavras semelhantes quando a tendência da evolução da língua parece ser a oposta.
    Além disso, não é assim que a coisa toda funciona. A língua está continuamente se plasmando na boca dos falantes e só depois da boca é que vai aos dicionários e às gramáticas. Andar na direção contrária, pensar que se criem significantes e códigos linguísticos para que as pessoas os usem é, por feia que seja a expressão... cagar regra.
    Desculpem lá o mau jeito, estou afastando da mente essa expressão já faz semanas, como mosca incômoda em torno do prato, mas ela não deixa de me assombrar. Perdoem o exorcismo (ou catarse, ao seu gosto) pelo bem da minha saúde.
    Abordemos a linguística como qualquer outra ciência, a partir da observação empírica. Podem-se encontrar mil explicações sobre por que a árvore pegou fogo depois de ser atingida por um raio. O que não se pode é negar nem o raio nem o fogo. O povo fala "não vou", "não vô", "num vou" e "num vô", aceitemos isso. Podemos explicar este e eventualmente prever futuros comportamentos da língua? Excelente! Para isso está a ciência. Mas determinar que no futuro a árvore só pegue fogo do lado direito...
     

    Antonio d'Oliveira

    Senior Member
    Português - Brasil
    Não disse que devemos mudar, mas que como há essa possibilidade, a de optarmos por um ao longo do tempo, isso permite conjecturar. Ademais, pelo menos no Brasil, usa-se igual os dois, com pouca diferença - pelos menos é assim com as pessoas que ando e eu mesmo. Ah, vale lembrar que um escritor bom também tem força de decisão por causa de sua grandeza. Mas não é o caso. Só o tempo no-lo dirá.
    E existe porventura junto e por ventura separado.
    Agradeço a ajuda.
     
    Last edited:

    Carfer

    Senior Member
    Portuguese - Portugal
    E existe porventura junto e por ventura separado.
    Pois sim, mas não significam a mesma coisa. 'Se porventura...' significa 'se acaso', 'se, por ventura ...' significa 'se, por sorte/por fortuna/por felicidade...'. Quis então dizer é que acha que pôr de lado o 'não' seria uma felicidade, como resulta da maneira que escreveu, ou quis apenas invocar essa possibilidade? Em todo o caso, 'nom' não é um termo do português actual e das duas, uma. Ou a discussão é sobre o termo arcaico, cujo interesse não alcanço, ou, se se trata de inventar palavras, então este deixa de ser um forum de português e passa para o domínio da fantasia.
     

    machadinho

    Senior Member
    Português do Brasil
    Foi uma reforma ortográfica por que passou a língua portuguesa uns anos atrás, quando, por exemplo, 'não' passou a ser grafado 'naum'. Sequelas persistem até os dias de hoje.
     

    guihenning

    Senior Member
    Português do Brasil
    Mas é que agora houve um certo refino, muito mais profundo, diga-se, que pula o „num“ e num túnel de fantasia e grafia obsoleta vai direto a „nom“.
     
    < Previous | Next >
    Top