omitir-se a (infinitivo)

Billie Ro

Senior Member
Spanish (Spain)
Saludos.
¿Cómo entendéis esta frase? ¿No os parece contradictoria? Si omitir-se a dar conselhos viene a ser evitar dar consejos (como lo entiendo yo), ¿por qué acuden a él las mujeres para pedirles consejo? En el párrafo anterior, explica que las mujeres lo tenían por sabio y le pedían consejo. Gracias.

Embora pouco frequentasse a igreja e mesmo guardasse traços de certo anticlericalismo, passava por alguém que se omitia a dar conselhos, pronto a dizer palavras que caíam bem no coração das mulheres.
 
  • Carfer

    Senior Member
    Portuguese - Portugal
    Não conheço uso de 'omitir-se' que faça sentido nesse contexto. 'Omitir-se' poderia significar 'abster-se', caso em que a regência seria 'de', não 'a' ('abster-se/omitir-se de dar conselhos'), ou não fazer algo quando a isso se está obrigado, caso em que a regência seria 'em' (Na luta pela liberdade, F... preferiu omitir-se'). Em qualquer dos casos, são acepções muito pouco frequentes em Portugal, onde seguramente usaríamos 'abster-se'. Não me parece, por isso, que o texto seja de cá. Sendo certo que o texto não é de interpretação fácil, é possível que não haja aí contradição. Não daria conselhos, mas tinha algum tipo de discurso que agradava às mulheres e que as levava a procurá-lo.
     

    patriota

    Senior Member
    pt-BR
    Concordo com essa interpretação. Em vez de dar conselhos duros e calculistas, esse homem as consolava, como fazem os padres, na opinião do narrador.
     

    Ari RT

    Senior Member
    Português - Brasil
    Não seria imitir-se? I e O são vizinhos no teclado e o corretor ortográfico não encontra erro em omitir, já que a palavra existe.
    Embora pouco frequentasse a igreja e mesmo guardasse traços de certo anticlericalismo, passava por alguém que se imitia a dar conselhos, pronto a dizer palavras que caíam bem no coração das mulheres.
    Ou seja, mesmo sem ser capacitado, era sim metido a conselheiro.
    Mesmo assim, consideraria esse uso raríssimo. Na área do direito, talvez: imissão em posse é o ato de tomada de posse. Fora dali nunca vi.
     

    Carfer

    Senior Member
    Portuguese - Portugal
    Não seria imitir-se? I e O são vizinhos no teclado e o corretor ortográfico não encontra erro em omitir, já que a palavra existe.
    Embora pouco frequentasse a igreja e mesmo guardasse traços de certo anticlericalismo, passava por alguém que se imitia a dar conselhos, pronto a dizer palavras que caíam bem no coração das mulheres.
    Ou seja, mesmo sem ser capacitado, era sim metido a conselheiro.
    Mesmo assim, consideraria esse uso raríssimo. Na área do direito, talvez: imissão em posse é o ato de tomada de posse. Fora dali nunca vi.
    Estou convencido de que o texto não é português, mas, se acaso for, só posso dizer que, mesmo no direito, é termo muito, muito incomum, mesmo no domínio em que no Brasil o usam, o da posse, possivelmente por diferenças de concepção do instituto que não tenho tempo nem interesse de averiguar, fruto de um ódio velho à disciplina de direitos reais. Fora do direito é melhor nem falar, aqui é praticamente inexistente. A relação com 'meter-se a' é sugestiva e responderia à questão, realmente, mas isso não implicaria que, em cima de um erro tipográfico, teríamos ainda de acrescentar esse uso raríssimo? Para não ser mais drástico, o autor não será dado a inventar novos significados para palavras que, ainda por cima, são raras? Billie Ro não nos pode dizer quem é, a ver que crédito merece?
     

    Billie Ro

    Senior Member
    Spanish (Spain)
    Boas!

    "Para não ser mais drástico, o autor não será dado a inventar novos significados para palavras que, ainda por cima, são raras? Billie Ro não nos pode dizer quem é, a ver que crédito merece?" (Carfer)

    Efectivamente, Carfer, el autor es dado a usar las palabras con un sentido libre, metafórico, juega mucho con el lenguaje. No os puedo facilitar el nombre, porque la obra no se ha publicado todavía en Brasil, pero sí os puedo asegurar que se trata de un veterano autor consagrado de la literatura contemporánea brasileña. Tiene una prosa muy característica y propia, que en ocasiones exige varias lecturas para poder desentrañar el sentido, como en este caso.

    Vuestras aportaciones son de grandísima utilidad, amén de ayudarme a paliar las dudas que me surgen en cuanto a mi comprensión del portugués, pues es un alivio que a vosotros, como nativos lingüísticamente competentes, también os cause incertidumbre la interpretación del texto. Así que muchísimas gracias.

    Creo que me veréis por aquí bastante en los próximos meses. :)
     

    Billie Ro

    Senior Member
    Spanish (Spain)
    Mi propuesta es añadir una conjunción que contraponga el sentido de la frase anterios, porque estoy pensando que es posible que existe una elipsis de esta (mais). Así, quedaría:

    Aun cuando frecuentaba poco la iglesia, e incluso daba muestras de cierto anticlericalismo, era conocido por ser alguien poco inclinado a dar consejos, pero siempre dispuesto a pronunciar palabras que agradaban a las mujeres.

    ¿Qué os parece?
     

    Ari RT

    Senior Member
    Português - Brasil
    O fragmento do post #1 não é suficiente para dirimir uma dúvida que ainda me acomete: o personagem dava conselhos ou não? As "palavras que caíam bem no coração das mulheres" configuram-se como conselhos?
    Tampouco entendi o que a frequência à igreja tenha que ver com o caso, mas isso seria de importância menor, a não ser pelo fato de nos lembrar que há um contexto que une o ambiente religioso e o aconselhamento. E a existência do contexto me faz pensar no que segue ao fragmento. O personagem auferia algum benefício dessas palavras?
    Nas entrelinhas, vejo um aproveitador da boa fé alheia.

    É apenas uma dúvida, que pode ser infundada, e o contexto mais amplo o dirá, mas vejo uma possibilidade de ler
    pronto a dizer palavras que caíam bem no coração das mulheres

    à luz do seu comentário
    En el párrafo anterior, explica que las mujeres lo tenían por sabio y le pedían consejo.

    caso no qual ele os dava e o entendimento de "omitir-se" mudaria radicalmente.
     

    Carfer

    Senior Member
    Portuguese - Portugal
    Tem razão, sem mais elementos não é possível ter uma ideia clara do sentido do termo, que o resto da obra certamente permitirá obter, mas, como Billie Ro não pode ir mais linge, estamos de mãos atadas. Seja com for, se o homem dava realmente conselhos, então o significado de 'omitir-se' foi mesmo virado do avesso.
     
    Top