Os nomes dos diferentes “tipos” de judeu

< Previous | Next >

meencantesp

Senior Member
Portuguese - Brazil
Como se sabe, os judeus são divididos em grupos, conforme a sua origem. Pois então, há três grupos específicos sobre os quais quero fazer uma pergunta:
  • os asquenazes/asquenazis/asquenazitas/asquenazim;
  • os sefardis/sefarditas/sefardim.
Como viram, para os dois grupos existe mais que um nome possível em português. Não tendo conhecimento do assunto, que envolve até o hebraico, faço a seguinte pergunta: tendo em vista as várias grafias, qual delas é que consideram a melhor para cada grupo?
 
Last edited:
  • meencantesp

    Senior Member
    Portuguese - Brazil
    A Confederação Israelita do Brasil usa ashkenazi(ta) e sefaradi(ta): Arquivo Glossário - Conib - Confederação Israelita do Brasil
    Há muitos que usam essas formas, mas não me parece o melhor caminho dar-lhes credibilidade, afinal, no que tange a termos estrangeiros, o uso geral e da mídia (pelo menos no Brasil) costumam ser péssimos, e para constatar isso é só analisarmos o amplíssimo uso de formas como “Chernobyl”, “Hiroshima” ou ainda “Beijing”, devido ou a más traduções, ou a pura afetação (nomeadamente no caso de “Beijing”). “Ashkenazi” pode até ser uma forma usada, mas é certo que não é portuguesa, logo não sendo também a preferível, pelo menos ao meu ver.
     
    Last edited:

    meencantesp

    Senior Member
    Portuguese - Brazil
    Mas você mesmo já deu a resposta. Tem à disposição asquenaze, asquenazim e asquenazita. O Priberam, por exemplo, registra os três termos.
    A minha pergunta não é quanto à forma correta, porque todas as que eu mencionei o são, mas sim quanto a qual delas ser a considerada melhor por vocês.
     

    meencantesp

    Senior Member
    Portuguese - Brazil
    Por que deve haver uma melhor do que a outra? É melhor soalho ou assoalho? Soprar ou assoprar? Assobiar ou assoviar? Louro ou loiro?
    Não acho que essas palavras que usou como comparação sejam a mesma coisa, até porque, em primeiro lugar, não são palavras que envolvem, podemos dizer, um caráter estrangeiro. Mas vamos lá, hipoteticamente falando, seria possível alguém argumentar que “tal forma é melhor porque tem mais relação com palavras de origem parecida”, ou que “aquela forma é ruim porque não corresponde àquilo de sei lá o quê…”.
     
    < Previous | Next >
    Top