Perda dos pronomes pessoais

Antonio d'Oliveira

Senior Member
Português - Brasil
Por que alguns pronomes pessoais do português se perderam completo ou parcial se noutros idiomas, eles se mantêm firme? Não é o caso de parar de usá-los, e fazer tal qual os gregos, se não me engano, quer dizer, pôr um texto antigo e uma adaptação, já que a preocupação é ensinar autores antigos a criançada?
 
  • guihenning

    Senior Member
    Português do Brasil
    Não conheço nenhum pronome que se tenha perdido, ainda. O que acontece é desuso de vós no Brasil e parcialmente em Portugal, mas apenas. Todos os outros pronomes são regularmente usados em toda a lusofonia e mesmo no caso do Brasil todo falante sabe ou tem ideia do que seja “vós”.
     

    Antonio d'Oliveira

    Senior Member
    Português - Brasil
    Não conheço nenhum pronome que se tenha perdido, ainda. O que acontece é desuso de vós no Brasil e parcialmente em Portugal, mas apenas. Todos os outros pronomes são regularmente usados em toda a lusofonia e mesmo no caso do Brasil todo falante sabe ou tem ideia do que seja “vós”.
    Mas não se usam tão frequente e correto. Aqui no Brasil, ainda se ensina o "vós" e o "tu", quando na verdade usamos mais "você" e "vocês".
     

    Antonio d'Oliveira

    Senior Member
    Português - Brasil
    Se adotarmos logo esses novos pronomes e seus oblíquos, não ficará mais fácil a educação? Até a expressão oral e escrita ficariam melhores.
     

    guihenning

    Senior Member
    Português do Brasil
    Eu não tenho ainda trinta anos e aprendi a conjugação clássica completa, mas pessoas mais novas já aprenderam a tabela sem o "vós" e que inclui, talvez, "você" e "vocês".
    Independente da tabela, a conjugação ensinada é a padrão, uso já são lá outros quinhentos. E mal ou bem, todo brasileiro aprende na escola as conjugações padrões e é obrigado a escrevê-las durante toda a vida.
     

    machadinho

    Senior Member
    Português do Brasil
    Se adotarmos logo esses novos pronomes e seus oblíquos, não ficará mais fácil a educação? Até a expressão oral e escrita ficariam melhores.
    Concordo. Por que não larga desses queixumes ociosos e põe em prática o 'vós' conjugado bonitinho agora mesmo? Alguém tem que começar, não tem? Outros seguirão. Em breve, o 'vocês' será coisa do passado.
     

    Antonio d'Oliveira

    Senior Member
    Português - Brasil
    Eu não tenho ainda trinta anos e aprendi a conjugação clássica completa, mas pessoas mais novas já aprenderam a tabela sem o "vós" e que inclui, talvez, "você" e "vocês".
    Independente da tabela, a conjugação ensinada é a padrão, uso já são lá outros quinhentos. E mal ou bem, todo brasileiro aprende na escola as conjugações padrões e é obrigado a escrevê-las durante toda a vida.
    Tenho vinte e um, e aprendi com tu e vós. Meu irmão, catorze, e aprendeu com tu e vós.

    Se as novas formas são ensinadas, só o são a pessoas de dois mil e dez para frente.
     

    Antonio d'Oliveira

    Senior Member
    Português - Brasil
    Concordo. Por que não larga desses queixumes ociosos e põe em prática o 'vós' conjugado bonitinho agora mesmo? Alguém tem que começar, não tem? Outros seguirão. Em breve, o 'vocês' será coisa do passado.
    É a favor de esses pronomes voltarem? Ou melhor: És a favor de esses pronomes voltarem?
     

    Antonio d'Oliveira

    Senior Member
    Português - Brasil
    Concordo. Por que não larga desses queixumes ociosos e põe em prática o 'vós' conjugado bonitinho agora mesmo? Alguém tem que começar, não tem? Outros seguirão. Em breve, o 'vocês' será coisa do passado.
    No Brasil, parece-me que vão sumindo mesmo. Exemplo claro disso é que as pessoas já falam "cê" e "cês". A volta desses velhos talvez seja possível...

    Mas gostaria de saber se há essa preocupação. Outro motivo eu não o vejo para que os hajam mantido, até porque quase ninguém lê autores antigos cá no Brasil, quanto mais os portugueses. No caso, só mesmo um grande escritor que pegue esses fujões. Sei lá. Desculpe-me.
     

    machadinho

    Senior Member
    Português do Brasil
    É a favor de esses pronomes voltarem? Ou melhor: És a favor de esses pronomes voltarem?
    Não sei o que responder, pois não acho que seja questão de escolha, de decisão, de pauta, votação ou legislação. Não gosto de 'você' e 'vocês' e ponto. Não gosto do som, da grafia, e sobretudo das inconsistências que eles provocam no meu dialeto. Mas é uma questão de gosto, algo que não imponho a ninguém. Tive o azar de pegar a língua portuguesa nesta altura da história dela. A questão para mim morre aí.
     

    Nonstar

    Senior Member
    Nheengatu/il linguaggio del corpo
    Acho que devíamos aplicar algum método de eugenia e aniquilar a população que trucida a língua portuguesa nos rincões e cantinhos do território brasileiro e exumar umas "múmias" para lecionar o cânone linguístico. De quebra, devíamos vestir o que sobrar com cartolas, fraques, sapatos de pelica e passar o dia a escrever poesia num café na Champs Elisés. Que acham?
     

    Vanda

    Moderesa de Beagá
    Português/ Brasil
    Meninos, devagar com o andor.
    ______
    Mesmo que vós tenha caído em desuso, acho que deve ser ensinado, sim. Em vez de diminuir a aprendizagem, acho que devemos sempre ampliar conhecimentos. Agora, quanto ao uso, nenhum de nós, sozinhos, temos escolha. A língua é dinâmica e muda independentemente da nossa vontade, mas ninguém vai nos proibir de usar vós. Portanto, aproveitem. ;)
     

    guihenning

    Senior Member
    Português do Brasil
    No Brasil, parece-me que vão sumindo mesmo. Exemplo claro disso é que as pessoas já falam "cê" e "cês". A volta desses velhos talvez seja possível...
    Bem, é claro que um pronome tão utilizado seja desgastado foneticamente, até porque um dissílabo como pronome pessoal da segunda do singular é uma raridade muito grande. Por isso mesmo já o erodimos quase à exaustão. De "Vossa Mercê" a "você" é um bom bocado.
    No caso, só mesmo um grande escritor que pegue esses fujões. Sei lá. Desculpe-me.
    Na minha humilde opinião, a única forma de se restabelecerem usos de pronomes, e muito parcialmente, é caso haja um movimento cultural que busque resgatar as raízes vernáculas do português no Brasil, o que, por ora, me parece longe de tocar a tona da realidade. O fato aqui a se aceitar é que sempre que duas ou mais formas concorrerem numa língua, uma será suplantada (ou vai se especializar) e outra fruirá. O "você" já concorreu muito tempo e suplantou o "tu" no Brasil, embora ultimamente eu ache que o uso deste, mesmo que sem conjugação, tenha aumentado consideravelmente. No momento em que "vocês" passou a concorrer com "vós" como pronome de segunda do plural, era questão de tempo até que uma forma se arcaizasse. O mesmo com "a gente" e "nós"; este último não mostra sinais de que vai desaparecer, mas, tal como ocorre no francês, tende a se especializar e a se reservar às situações mais formais e alguns outros casos que "a gente" não consiga substituí-lo satisfatoriamente. O mesmo aconteceu quando "on" e "nous" entraram em concorrência no francês: hoje, "nous" é normalmente formal e reservado mais à linguagem escrita. É um caso em que a forma vernácula não deixou de existir, mas especializou-se. Os pronomes italianos "egli" e "ella" foram esmaecidos e substituídos por "lui" e "lei", pelo menos na linguagem corrente normal, após disputarem o lugar de pronome pessoal do caso reto (ou nominativo).
    Saindo agora do ramo românico e partindo para o germânico, poderia citar outros inúmeros casos, como o do inglês, em que "thou" foi trocado em virtude de "you", quando passou a concorrer com este. Não deixou nenhum vestígio na língua corrente.
    • Neste contexto, entende-se por concorrência o fenômeno de dois pronomes passarem a exercer a mesma função numa língua.
    Lamento que tenha vindo ao mundo nesta época em que a situação pronominal do português, sobretudo do Brasil, esteja passando por mudanças, mas essas mudanças são quase sempre irreversíveis e fazem parte do desenvolvimento natural das línguas.
    Eu também, como romanista, adoraria que o português tivesse preservado todos os pronomes, conjugações e usos. Isso tornaria, inclusive, o processo de aprendizagem mais facilitado para estrangeiros e facilitaria a minha vida quando tenho de explicar essas loucuras a quem decide aprender a nossa língua, mas não adianta criar caso e tentar fazer com que retrocessos ou mudanças aconteçam por força de imposição. Em matéria de língua, isso é extremamente complicado e impraticável nos dias de hoje.
     
    Last edited:

    machadinho

    Senior Member
    Português do Brasil
    O 'você' é cansativo. É o formal que soa informal, e o informal que soa formal. Espero que o 'tu' na terceira do singular, essa síntese hegeliana, essa esperança doce de tarde serena, esse sol de verão que já vem raiando, o suplante para sempre e nos tire desta situação abjeta em que nos encontramos.
     
    < Previous | Next >
    Top