sim, assim ...

< Previous | Next >

Alandria

Senior Member
Português
Em São Paulo a maioria dos paulistas pronúnciam o NH como uma velar nasal igual aos galegos, mas aqui no espírito santo e em Minas ele costuma ser um glide nasal, é um som levemente diferente da velar nasal. :)
 
  • ronanpoirier

    Senior Member
    Brazil - Portuguese
    Outsider said:
    ronanpoirier said:
    Comparemos "menino" e "niño".

    O primeiro "n" de "menino" soa exatamente como "ñ".
    Não concordo! :D

    Eu acho que eu não fui claro. Estava falando do meu sotaque, óbvio. Mas, por exemplo, pelo que entendi, a minha pronúncia de "demônio" seria como um português pronunciaria "demonho"... :)
     

    Outsider

    Senior Member
    Portuguese (Portugal)
    Eu acho que eu não fui claro. Estava falando do meu sotaque, óbvio. Mas, por exemplo, pelo que entendi, a minha pronúncia de "demônio" seria como um português pronunciaria "demonho"... :)
    Não sei. Como é que pronuncia "demônio"? "Demônio", "demoño" ou "demõio"?
     

    Alandria

    Senior Member
    Português
    É que ele é gaúcho. Os gaúchos palatalizam o N quando está precedido de i ou E final. Tá aí o mistério de toda a discussão.

    Aqui em vitória só palatalizamos o t e d precedido de "i" e "e" final. O "L" e o "N" nós não palatalizamos nunca. Mesmo na palavra "velho", nós capixabas falamos "vEliw", e não "VElhw".
     

    ronanpoirier

    Senior Member
    Brazil - Portuguese
    Outsider said:
    Não sei. Como é que pronuncia "demônio"? "Demônio", "demoño" ou "demõio"?
    Tu disseste que a tua pronúncia de "carinho" é igual a de "cariño". Então eu me baseei naquilo quando disse "pronúncia portuguesa de "demonho". Assim é como pronuncio "demônio". :p

    Alandria said:
    É que ele é gaúcho. Os gaúchos palatalizam o N quando está precedido de i ou E final. Tá aí o mistério de toda a discussão.
    Obrigado pela informação. Não sabia que isso era coisa nossa. :)

    E curioso não palatizares até mesmo o "lh". Para nós aqui é o contrário: Julio e julho soam ambos como "julho".
     

    Outsider

    Senior Member
    Portuguese (Portugal)
    Pois ééééééé!!!!!!!

    Comparemos "menino" e "niño".

    O primeiro "n" de "menino" soa exatamente como "ñ". E esse não é o meu som do "nh"!

    Como eu já disse antes, o meu "nh" é feito com o fundo da lingua, como se eu pronunciasse um "g" nasal... mas parece ser mais "apertado". A ponta da língua não toca definitivamente a parte posterior do céu da boca, como o som de "lh" tocaria.
    Agora entendi.

    Mas não serás então dos muitos brasileiros que pronunciam "sonho" como "sõio"?
     

    ronanpoirier

    Senior Member
    Brazil - Portuguese
    Talvez eu seja :) A vogal precedente é definitivamente nasalizada!

    E meu primo "catarino" que está aqui do meu lado pronuncia como eu. E olha que o sotaque dele é mais influenciado pelo portuguÊs (açoriano) do que o meu. :) Mas nós falamos cantando... o que é charmoso hahahaha
     

    Alandria

    Senior Member
    Português
    Agora entendi.

    Mas não serás então dos muitos brasileiros que pronunciam "sonho" como "sõio"?
    Ele eu não sei, mas eu sim.
    falo "sõỹw"

    Não posso falar pelos gaúchos, mas a maioria dos paulistas pronunciam sonho como "soỹw", não nasalizam o "o".

    Gostaria de deixar claro que "sõỹw" é diferente de "soỹw".
     

    Outsider

    Senior Member
    Portuguese (Portugal)
    Não posso falar pelos gaúchos, mas a maioria dos paulistas pronunciam sonho como "songw", tipo os galegos, percebe?
    Entendo o que quer dizer, mas note que em galego a palavra se escreve "soño", e pronuncia-se com o "ñ" espanhol.

    P.S. Bem-vinda ao fórum, Alandria. :)
     

    Alandria

    Senior Member
    Português
    Modifiquei meu post, agora está nos trilhos. ;)
    na verdade o anterior não estava errado, mas como existe uma semivogal antes dessa vogal, fica melhor transcrever "soỹw", já que o som do "Ing" na verdade é um "ĩ", acabei de me lembrar que o "i" fica próximo ao véu palatino e é impossível pronunciar essa vogal com a nasal velar sem que haja pelo menos cerca de total nasalização da vogal. Desculpe o engano.

    Obrigada, Outside! ;)
     

    Outsider

    Senior Member
    Portuguese (Portugal)
    o som do "Ing" na verdade é um "i~", acabei de me lembrar que o "i" fica próximo ao véu palatino e é impossível pronunciar essa vogal com a nasal velar sem que haja pelo menos cerca de total nasalização da vogal.
    Curioso. O "-ing" do inglês não me soa igual ao nosso "-im"!
     

    Alandria

    Senior Member
    Português
    Mas de qualquer forma, notamos que pelo menos boa parte da vogal i é nasalizada nesse caso do inglês, não acha? Pelo menos é o que soa aos meus ouvidos.

    No gerúndio "singing", por exemplo, o segundo I é completamente nasal.
     

    Outsider

    Senior Member
    Portuguese (Portugal)
    Diz-se que todas as vogais são sempre um pouco nasais antes de consoantes nasais. Mas os meus ouvidos não conseguem dar por isso.
     

    spielenschach

    Senior Member
    Portugal . Portuguese
    Alandria deu agora o exemplo de ing em Inglês. Ora experimenta
    nossa
    e bingo:
    como o som dos 2 nês é diferente -
    nossa [nósá]
    bingo [bígu]
    alliás o in em bingo soa como em inglês
    bingo ['bINg] .apenas um pouco mais acentuada
     

    spielenschach

    Senior Member
    Portugal . Portuguese
    Experimentar
    nossa
    e bingo:
    ver como o som dos 2 nês é diferente -
    nossa [nósá]
    bingo [bígu]
    alliás o in em bingo soa como em inglês
    [bingo ['bINgE§]]...
     

    Leandro

    Senior Member
    Brazil - Portuguese
    Curioso. O "-ing" do inglês não me soa igual ao nosso "-im"!
    Pela tabela de símbolos fonéticos, eles não são os mesmos não:

    Inglês -> in -
    Português -> in/im - ĩ

    Aliás, em português não temos o som ŋ, apenas o ɲ (nosso nh) e o ĩ (sons nasais - im, in, ím, ín).
     

    spielenschach

    Senior Member
    Portugal . Portuguese
    Inglês -> in -
    Português -> in/im - ĩ
    É preciso levar em conta que em inglês a sílaba é ing mas, mentalmente passa pelo in [í], isto apenas para melhor compreensão porque os ingleses não nasalam o i:
    infusion [In'fju:Zn]
    Bom Ano!
     

    Outsider

    Senior Member
    Portuguese (Portugal)
    Aliás, em português não temos o som [ng], apenas o [ñ] (nosso nh) e o [i~] (sons nasais - im, in, ím, ín).

    [reescrito por causa dos símbolos fonéticos, que o meu computador engole]
    Existe em alguns dialectos (norte de Portugal; alguns nortenhos de facto pronunciam "sim" como "sing"), mas não existe no padrão brasileiro nem no português.
     

    Alandria

    Senior Member
    Português
    Bem, eu sou da opinião de que é impossível falar "ing" sem nasalizar pelo menos boa parte do I, coloquei a palavra "sing" no gerador de fala do windows que é baseado no inglês norte americano e sai claramente o som do "i" levemente nasal, mas não completamente. Isso acontece porque a vogal "i" e "u" estão bem próximas ao véu palatino.

    Ouçam essa reportagem sobre pump em curitiba.

    A menina Carol Menezes: youtube.com/watch?v=PIcYfz1jWuk

    quando vai falar "antes" e "grande" não nasaliza o "a", notem. Ela faz uma espécie de Schwa e depois pronuncia de leve a velar nasal, o que resulta em [əŋtʃjs], /aNtSjs/, e não [ãtʃjs] como é comum na maior parte do país. Notem também que a reporter fala "há seis Ânos" sem qualquer nasalização da vogal "a", e há um rapaz chamado André Sato que fala claramente "assim", mas com uma pronúncia bem mais próxima de "/asiN/, notem!! Essas pronúncias são correntes no português do sul do Brasil, que muitas vezes chegam a ser as menos nasais de toda a língua portuguesa!!

    N: velar nasal
     

    Leandro

    Senior Member
    Brazil - Portuguese
    Acho que as pessoas do Estado do Pará falam assim, tipo meñino. Sempre achei isso estranho nos paraenses...
    Concordo com você, já ouvi muito no Pará as pessoas falarem "meñino", porém cabe lembrar que o som "ñ" não é o mesmo que o "nh". São fonemas e, portanto, sons diferentes. No Pará fala-se muito "meñino" e não "menhino".

    Espanhol: Mañana
    Português: Manhã

    ñ is a palatal nasal sound.
    nh is a nasal glide sound.
     

    Alandria

    Senior Member
    Português
    No Pará e em várias regiões do sul do Brasil ainda se pronuncia como palatal nasal, e não um glide nasal. Além disso, a pronúncia de locutores e radialistas de todo o Brasil ainda tende a ser palatal e não um glide nasal, mas o glide nasal é majoritário no Brasil.

    Ao que podemos levar a crer, o nosso amigo Ronanporier confirma que no RS há a palatalização do N após "I" e "E" finais.
     

    Ricardo Tavares

    Senior Member
    Português - Brasil
    Concordo com você, já ouvi muito no Pará as pessoas falarem "meñino", porém cabe lembrar que o som "ñ" não é o mesmo que o "nh". São fonemas e, portanto, sons diferentes. No Pará fala-se muito "meñino" e não "menhino".:tick:

    Espanhol: Mañana
    Português: Manhã

    ñ is a palatal nasal sound.
    nh is a nasal glide sound.
    Foi isso mesmo o que eu quis dizer, contrariando o Outsider (de Portugal), pois para mim "nh" se pronuncia diferente de "ñ".
     

    kurumin

    Senior Member
    salvador bahia brasil, brazilian portuguese & tupy
    Concordo com você, já ouvi muito no Pará as pessoas falarem "meñino", porém cabe lembrar que o som "ñ" não é o mesmo que o "nh". São fonemas e, portanto, sons diferentes. No Pará fala-se muito "meñino" e não "menhino".

    Espanhol: Mañana
    Português: Manhã

    ñ is a palatal nasal sound.
    nh is a nasal glide sound.
    Aqui em Salvador, umas pessoas pronunciam N+I como ÑI:

    menino [mi~'ñi~nw]
    animal [ãñi'maw]

    (mas menininho é sempre [mini'nij~w])

    Mas, NH é sempre J~ [glide nasal].

    (A PALAVRA MAINHA [mã'i~j~a] tem três nasais: A NASAL, I NASAL e o GLIDE NASAL [nh])
     

    kurumin

    Senior Member
    salvador bahia brasil, brazilian portuguese & tupy
    Foi isso mesmo o que eu quis dizer, contrariando o Outsider (de Portugal), pois para mim "nh" se pronuncia diferente de "ñ".
    Júnio / junho
    Eu não pronuncio do mesmo jeito Zu~yw / Zu~j~w
    mas os do Pará pronunciam sim: Zuñw
    ''A grafia que a indica, o dígrafo <nh >, é recurso gráfico tomado emprestado da grafia francesa e começa a ser adotado em documentos portugueses na segunda metade do século XIII, primeiro em documentos da chancelaria Real. [...] Ocorrem as três grafias para um mesmo vocábulo: vi~o, vinho, vi~ho. Essa grafia variável informa sobre a possível indecisão do escriba medieval diante das possibilidades gráficas que conhecia e também sobre a possibilidade de conviverem então uma realização com consoante palatal e outra sem, variação que na atualidade também se verifica na fala - [vi~u] ~ [vi~ñu], por exemplo''
    Rosa Mattos E Silva. O Português arcaico - fonologia.
    Universidade Federal da Bahia
     

    meencantesp

    Senior Member
    Portuguese - Brazil
    Parece-me que muitos brasileiros (a maioria?) pronunciam o "nh" como uma glide nasalizada, [j~]. Daí "nenhum" soar-lhes semelhante a "nem um".
    A discussão feita neste tópico me deixa confuso. Analisando os dois sons que seriam possíveis para o “nh”, concluo com quase absoluta certeza que a minha pronúncia é feita com o som nasal palatal (este aqui). No entanto, a mim ainda me parecem iguais as pronúncias de “nenhum” e de “nem um”, assim como de “bem alto” e de uma hipotética forma “benhalto”. A minha pronúncia então é nasal palatal ou o quê? A forma chamada de “glide nasal” é bem distante da forma como eu pronuncio. A propósito, sobre ela, parece que, além de ser mais comum no Nordeste (“mâinha” como “mâiia”), é favorecida em certos contextos pelas pessoas em (quase) todo o país. Já vi gente aqui no RS que, embora não a use ao pronunciar “unha”, a usa ao pronunciar “manhã”. Ao mesmo tempo, creio que vale dizer, a minha maneira, embora quase idêntica ao “ñ” castelhano, deste é, de uma forma bem sutil, diferente (que só aos ouvidos mais atentos é perceptível). Pronunciando “Espanha” e depois “España”, percebo que a língua, para pronunciar o “nh”, se move de uma forma um pouco diferente de como se move para pronunciar o “ñ”, embora a pronúncia, reitero, não seja a dita glide nasalizada.
     
    Last edited:
    < Previous | Next >
    Top