Sobre a pronúncia de palavras iniciadas por “geo”

< Previous | Next >

meencantesp

Senior Member
Portuguese - Brazil
Existe alguma recomendação quanto à maneira ideal de pronunciar a letra é, se aberto ou fechado? “Géo-grafia” ou “gêo-grafia”? “Géo-política” ou “gêo-política”? “Géo-estratégico” ou “gêo-estratégico”?

(O hífen aqui é só para que não se crie confusão entre o acento usado para indicar a abertura ou o fechamento da vogal e o acento tônico.)
 
  • jazyk

    Senior Member
    Brazílie, portugalština
    Géo-grafia nunca ouvi. Consigo imaginar tal pronúncia em alguns pontos do Norte e Nordeste do Brasil, já as duas outras com géo me parecem melhores, talvez por as palavras terem dois acentos, um primário e um secundário.
     

    Leandro

    Senior Member
    Brazil - Portuguese
    Se eu não me engano o "e" fechado é usado em "palavras completas", como "geografia", "geologia", "geólogo" etc. (em alguns lugares do Norte e Nordeste do Brasil eles tendem a abrir a primeira sílaba de toda palavra, então você poderá ouvir "géografia"). O resto é tudo com "e" aberto porque o "geo-" é um prefixo que após a reforma ortográfica, o hífen foi removido na maioria dos casos, mas dá para saber quando é prefixo e quando é uma palavra inteira. Logo, "geopolítica", "geo-estratégico", "geobiologia", "geo-história" etc., tudo com o "e" aberto (é).
     

    jazyk

    Senior Member
    Brazílie, portugalština
    A reforma ortográfica não afeta a pronúncia nem qualquer outro aspecto da língua.
     

    Carfer

    Senior Member
    Portuguese - Portugal
    A discussão centrou-se na pronúncia brasileira, mas interessa acrescentar que a pronúncia portuguesa mais comum é 'je-u-grafia', com o 'e' mud, ou então soando 'i': 'ji-u-grafia'. Noutras palavras, porém, o 'e' é aberto ou ligeiramente fechado: 'geopolítica', 'geotermia', por exemplo. Varia bastante.
     
    Last edited:

    jazyk

    Senior Member
    Brazílie, portugalština
    Mas se ele é "mudo" (li o texto que nos facultou), então a pronúncia é jugrafia?

    Ou por mudo quer dizer que é um xevá, como o a do inglês about?
     

    guihenning

    Senior Member
    Português do Brasil
    É difícil de falar de regra ou pronúncia correta, no caso, porque o português do Brasil tende a neutralizar as vogais átonas pré-tônicas, sobretudo se se encontrarem longe da sílaba tônica. A neutralização varia de indivíduo para indivíduo. Às vezes a vogal se reduz, como em "poleiro" /pulê(i)ru/, às vezes se neutraliza em uma vogal aparentemente fechada /geografía/ e, às vezes, sobretudo no nordeste, a vogal pré-tônica é aberta /prézênti/ mesmo se átona. De maneira geral, as variantes do português não diferenciam ou dão preferência específica para vogais reduzidas ou neutralizadas, veja-se #8 para o português europeu ou as pronúncias /teátru/ ou /tchiátru/ para o português do Brasil.

    Note-se, entretanto, que embora a neutralização e redução vocálicas ocorram em maior proporção no português europeu, essa variante costuma preservar timbres abertos de prefixos e pseudoprefixos e conservar crases antiquíssimas que o português do Brasil tende a simplesmente neutralizar, veja-se /pregar/ [fixar com pregos] (xevá) e /prègar/ (e aberto) [propagar doutrina, fazer sermão] que no Brasil são pronunciadas indistintamente por contra da neutralização.

    A quem interessar possa, há literatura sobre isso aqui
     
    Last edited:

    Carfer

    Senior Member
    Portuguese - Portugal
    Mas se ele é "mudo" (li o texto que nos facultou), então a pronúncia é jugrafia?

    Ou por mudo quer dizer que é um xevá, como o a do inglês about?
    Não, soa 'je-u-grafia'. Posso, evidentemente, estar enganado, mas o que me ensinaram (ou que erradamente interpretei, o que naturalmente não descarto) foi que, nesses casos, o 'e' não tem propriamente som, daí ser mudo. É a mesma terminologia, aliás, que é usada no texto do último link que citei, no qual é dado como exemplo de 'e' mudo o 'e' de 'de'. Se está certo ou errado, não sei, não é da minha competência. Quanto aos xevás, é designação que nessa época não era ensinada e com a qual, de resto, só tomei contacto neste forum.
     

    jazyk

    Senior Member
    Brazílie, portugalština
    Não entendo, mas paciência. Com xevá entenderia.

    E como pode a preposição de ter e mudo? Fica só o som da consoante D? Mais uma vez, com xevá entenderia. A menos que e mudo seja/fosse algo inexato e correspondente a xevá que se diz(ia) às crianças portuguesas para que não se assustassem com esta estranha palavra de origem hebraica.
     

    guihenning

    Senior Member
    Português do Brasil
    O francês também usa(va) a mesma nomenclatura ou "e caduc". Hodiernamente se prefere xevá por ser terminologia mais exata. O e mudo/muet/caduc não significa(va) exatamente que não se proferisse, mas que podia não se proferir.

    […] est une voyelle virtuelle : elle peut ou non se manifester dans un mot selon des facteurs comme l'environnement (cas de sandhi), l'accent du locuteur, le registre de langue adopté…
     

    Olaszinhok

    Senior Member
    Standard Italian
    É o mesmo que acontecesse com a palavra "pessoa" em Portugal.
    Se não me engano, deveria ser o fonema /ɨ/ que não existe no português brasileiro (pelo menos na maioria dos dialetos). Pelo contrário, encontra-se muito frequentemente no português europeu, em palavras tais como de, que, pessoa, fevereiro, etc.
     
    Last edited:
    < Previous | Next >
    Top