Sobre concordância verbal: “A alegria e a felicidade é indispensável para a vida”

< Previous | Next >

meencantesp

Senior Member
Portuguese - Brazil
Aprendendo sobre regras de concordância, descobri que, quando há numa oração dois núcleos do sujeito “sinônimos ou semelhantes”, é possível que a concordância seja feita com a totalidade ou com o núcleo mais próximo ao verbo. Logo, em tese, é também correta (embora me soe ruim) uma frase como “A alegria e a felicidade é indispensável para a vida”.

Bom, se por um lado talvez essa regra seja usada na literatura (não sei se é), não me parece uma regra razoável. Quem é que definirá o que é semelhante a algo e o que não é? Eu posso muito bem dizer que “alegria” e “felicidade” não são palavras semelhantes. Há quem tenha usado essa regra na literatura? Há quem a use no cotidiano? Quem é que a “inventou”, caso ela não seja espontânea de alguém?
 
  • pfaa09

    Senior Member
    Portugal - Portuguese
    Dois substantivos (sujeitos) e o verbo vem no singular???
    São dois substantivos que são indispensáveis à vida.
    No caso de sujeito composto que aparece anteposto ao verbo, este deve permanecer no plural.
    O Pedro e (os) seus dois irmãos ficaram contentes pelo regresso de / dos seus pais.
     

    meencantesp

    Senior Member
    Portuguese - Brazil
    Dois substantivos (sujeitos) e o verbo vem no singular???
    São dois substantivos que são indispensáveis à vida.
    No caso de sujeito composto que aparece anteposto ao verbo, este deve permanecer no plural.
    O Pedro e (os) seus dois irmãos ficaram contentes pelo regresso de / dos seus pais.
    Sim, é o natural, mas aparentemente quando se trata de dois núcleos sinônimos ou semelhantes é possível o singular. Aprendi no colégio, mas vi que a regra está em vários portais da internet. Veja uma explicação:

    # Sujeitos compostos por núcleos sinônimos – Diante de tal ocorrência, o verbo tanto pode permanecer no singular ou ser pluralizado.
    Exemplos:
    Carinho e dedicação caracteriza o perfil materno.
    Carinho e dedicação caracterizam o perfil materno.
     

    pfaa09

    Senior Member
    Portugal - Portuguese
    O professor e a professora chegou ao mesmo tempo à escola.
    O irmão e a irmã foi passear.
    Irmão e irmã é filhos do mesmo pai.
    São sujeitos sinónimos, mas se me disser que o verbo está correcto, não poderei concordar.

    "Diante de tal ocorrência, o verbo tanto pode permanecer no singular ou ser pluralizado."
    Questão de opção. Eu opto pela pluralização.

    Prefiro esta explicação --> Concordândia verbal (sujeito composto)
     

    meencantesp

    Senior Member
    Portuguese - Brazil
    O professor e a professora chegou ao mesmo tempo à escola.
    O irmão e a irmã foi passear.
    Irmão e irmã é filhos do mesmo pai.
    São sujeitos sinónimos, mas se me disser que o verbo está correcto, não poderei concordar.

    "Diante de tal ocorrência, o verbo tanto pode permanecer no singular ou ser pluralizado."
    Questão de opção. Eu opto pela pluralização.

    Prefiro esta explicação --> Concordândia verbal (sujeito composto)
    Concordo contigo. A opção singularizada é péssima. Eu também opto pela pluralização. Só não entendo como é que a primeira forma, péssima, é aceita gramaticalmente.

    Obs.: “irmão” e “irmã” não são sinônimos, são?
     

    englishmania

    Senior Member
    Português Europeu
    Acho que isso poderá acontecer num contexto oral... quando a pessoa não pensa no que disse anteriormente e comete alguns lapsos. De resto, num texto, não me parece correto alguém empregar a forma verbal no singular.
     

    camila2012

    New Member
    português
    Concordância verbal ,é a relação estabelecida de forma harmônica,entre sujeito e verbo. Isso quer dizer que quando o sujeito está no singular, o verbo também deve estar; quando o sujeito estiver no plural, o verbo também estará. Exemplos: Eu adoro quando as flores desabrocham na Primavera.
     
    < Previous | Next >
    Top