Suplido

Espelius

Senior Member
Galician, Spanish
Hola, a ver si alguien pudiera ayudarme con este término (solo con el término, no con toda la frase), no consigo encontrar un equivalente.

La sociedad prestamista queda facultada para aplicar unilateral y libremente, las cantidades que resulten disponibles de la cuenta especial por efecto de la regla 1ª , a satisfacer los débitos de la parte prestataria frente a la sociedad prestamista por devengos vencidos, gastos, SUPLIDOS y otros cualesquiera importes pendientes derivados del préstamo formalizado en esta escritura.

Gracias.
 
  • Carfer

    Senior Member
    Portuguese - Portugal
    'Provisões' (adiantamentos para cobertura de despesas a fazer por conta de outrem).

    Rectifico, nesse caso trata-se, provavelmente, de 'pagamentos/despesas/ por conta do cliente'. A diferença está em que a provisão é um adiantamento que o responsável por uma despesa, normalmente um cliente, faz a outra pessoa, em geral um profissional como um advogado, para cobrir despesas que este irá fazer em nome daquele. O 'pagamento por conta do cliente' é, na prática, um empréstimo e corresponderia, no exemplo que dei, ao adiantamento pelo profissional do montante das despesas que são da responsabilidade do cliente. Ou seja, no primeiro caso é o cliente quem adianta o dinheiro por conta de uma despesa a realizar de que vai ser responsável, no segundo é o profissional quem adianta a quantia ao cliente. Neste caso, tudo dá a entender que é a sociedade prestamista quem adianta o montante as despesas que caberia ao prestatário pagar, pelo que 'provisão' não se ajusta bem. O termo cognato em português e que pode ter o mesmo significado de 'suplido' é 'suprimento', mas cá o uso mais comum de 'suprimento' é para os empréstimos que o sócio faz à sociedade em que participa e que não têm natureza de quota, o que pode dar lugar a incompreensões.
     
    Last edited:

    Espelius

    Senior Member
    Galician, Spanish
    Obrigado, Carfer, para este contexto também eu acho mais acurado o termo "despensas".
     

    Cainejo

    Senior Member
    Español-España
    Mas também diz "gastos", que é "despesas", não é?, é verdade que "suplidos" nem sempre é um pago adiantado (por conta de uma despesa prevista) mas por conta de um pago que alguém faz por outro. Mas se eu como profissonal tenho um gasto num trabalho, é incluído na fatura com o imposto correspondente, mas se eu tenho de pagar uma despesa que corresponde ao cliente, a quantidade aparece na fatura sem imposto. Não sei se ajuda...
     

    Carfer

    Senior Member
    Portuguese - Portugal
    Mas também diz "gastos", que é "despesas", não é?, é verdade que "suplidos" nem sempre é um pago adiantado (por conta de uma despesa prevista) mas por conta de um pago que alguém faz por outro. Mas se eu como profissonal tenho um gasto num trabalho, é incluído na fatura com o imposto correspondente, mas se eu tenho de pagar uma despesa que corresponde ao cliente, a quantidade aparece na fatura sem imposto. Não sei se ajuda...
    Sim, 'gasto' e 'despesa' são sinónimos e qualquer deles se usa bastante, se bem que 'despesa' seja provavelmente mais frequente do que 'gasto'.
    De facto, tanto quanto me lembro, as provisões não são tributadas ao profissional (nem faria sentido que o fossem, uma vez que este não tira delas rendimento nem o dinheiro com que paga é seu), mas as despesas em que o profissional incorra para a prestação do serviço e que debite ao cliente, sim, essas são, uma vez que vão englobadas nos honorários e estes estão sujeitos a imposto visto que são rendimento do profissional. No idioma espanhol, não faço ideia, contudo, da relevância do regime fiscal para as distinguir.
    'O pago' existe na acepção de pagamento, mas é muito raramente usado, até mesmo menos do que 'a paga', já de si também muito infrequente e reservada sobretudo a retribuições morais, em que não há propriamente dinheiro envolvido (por exemplo, 'a paga que lhe deu por o ter protegido foi tê-lo ignorado'/ 'Adoeceu, já teve a paga do mal que nos fez'). Em quase cem por cento dos casos dizemos 'pagamento' para as retribuições materiais, especialmente se envolverem dinheiro.
     

    Cainejo

    Senior Member
    Español-España
    Em quase cem por cento dos casos dizemos 'pagamento'
    Mas claro!, foi um erro, eu sei, obrigado pela correção. Meu português não é bom.

    Sobre os "suplidos" eu vou pôr um exemplo: na fatura que me faz a dona do local do meu trabalho tem o preço do aluguel com o imposto, e depois é adicionada como "suplido" a quantidade que ela paga pela água. Ela recebe a quantidade e a dá como intermediária, não tem a ver com a sua economia.
     

    Carfer

    Senior Member
    Portuguese - Portugal
    Mas claro!, foi um erro, eu sei, obrigado pela correção. Meu português não é bom.

    Sobre os "suplidos" eu vou pôr um exemplo: na fatura que me faz a dona do local do meu trabalho tem o preço do aluguel com o imposto, e depois é adicionada como "suplido" a quantidade que ela paga pela água. Ela recebe a quantidade e a dá como intermediária, não tem a ver com a sua economia.
    Para isso, julgo que o termo português mais comum seria 'encargos' (os custos que alguém tem de suportar para obter, ou em decorrência de ter obtido, alguma coisa, frequente, por exemplo, em expressões genéricas como 'outros encargos'), que me parece adequada embora a situação descrita de fornecimento de água pelo senhorio, que eu me tenha dado conta, não seja comum em Portugal (julgo mesmo que, tecnicamente, é possível que seja, ou já tenha sido, ilegal, por deverem coincidir na mesma pessoa a qualidade de titular do contrato de fornecimento e a de utilizador final, que nessa situação, estarão dissociadas).
    A sugestão que fiz partiu da definição que o DRAE dá de 'suplidos':
    1. m. Anticipo que se hace por cuenta y cargo de otra persona, con ocasión de mandato o trabajos profesionales. U. m. en pl.
    Foi por causa desta ideia de antecipação, de adiantamento, que comecei por sugerir 'provisão', tendo-me depois dado conta que no contexto de um contrato de mútuo, não costuma haver lugar a provisões, parecendo o termo apontar antes para encargos da conta do mutuário, que, de facto, costumam ter uma previsão contratual especificando que correm por conta deste (registos, taxas e impostos devidos pela transacção, etc.). Daí ter alterado a sugestão. A redacção adoptada no original, que, como é típico nestes contratos, pretende ser tão abrangente quanto possível, inclui os 'suplidos' entre 'devengos vencidos, gastos y otros cualesquiera importes pendientes derivados del préstamo'. Neste âmbito específico de um contrato de mútuo, não estou a ver em que circunstâncias o mutuante prestará depois ao mutuário serviços ou fornecimentos que possam ser comparados aos do fornecimento de água ao inquilino pelo senhorio, mas penso que qualquer expressão ampla que cubra eventuais encargos futuros de qualquer natureza será razoavelmente fiel. Na falta de um termo específico, satisfar-me-ia, pois, com um termo ou expressão genérica do tipo 'encargos' ou 'despesas da conta do mutuário' ou outro equivalente. A menos, claro, que não tenha entendido bem o que são os tais 'suplidos'.
     
    Top