tiroide/tiróide/tireoide/tireóide

jos.dan

Senior Member
Spanish
Olá a todos! :)
De acordo com Wikipedia, em Portugal se utiliza "glândula tiroide", mas no Brasil se utiliza "glândula tireoide" (sem acento). Isso é verdade? Mas em ReversoContext eu encontrei "tiróide" e "tireóide", com acento. Qual é a ortografia correta? Gostaria de saber qual é o término mais comum no Brasil e qual no Portugal

Obrigado desde já :)
 
  • Guigo

    Senior Member
    Português (Brasil)
    'Tiróide' em Portugal (agora sem acento, de acordo com as regras do Acordo Ortográfico).
    Há quem fale e escreva tiroide, no Brasil, também.

    Mitos e verdades sobre a glândula da tiroide › Notícias | Fleury Medicina e Saúde
    Diabetes e tiroide. Efeito do hormônio tiroideano na hemoglobina glicada (A1c)
    Hipertiroidismo e Hipotiroidismo: você sabe a diferença?

    Obs.: Este último lio coloquei a contragosto, por estar emoldurado com a foto de um bandidaço.
     

    jos.dan

    Senior Member
    Spanish
    Obrigado a todos :) Eu não sabia sobre o Acordo Ortográfico, mas vou ler mais sobre isso
     

    guihenning

    Senior Member
    Português do Brasil
    Em Portugal, tiroide ou tireoide.

    Não percebo muito bem por que razão tiraram o acento.
    Pois é… enquanto a vocês não lhes apraz a queda das consoantes mudas, a nós não nos apraz nadinha a queda dalguns acentos. Acabamos por perder mais acentos que vocês, é verdade, já que nesse quesito foi a grafia brasileira que passou a se assemelhar à europeia. Preciso dizer que achava que já escreviam „tiroide“ sem acento. Isto quer dizer que também os portugueses passaram por rearranjo na acentuação. Disso eu não sabia.
     
    Last edited:

    machadinho

    Senior Member
    Português do Brasil
    Quanto menos sinais mais limpa a escrita. Eu aprovo. A reforma ortográfica tem peso de lei? É ilegal pôr um trema rebelde aqui e ali?
     

    guihenning

    Senior Member
    Português do Brasil
    Acho engraçado que haja saudosos do trema… nasci no meio da década de noventa e aprendi a ler e a escrever com ele. Lembro que em 2009, com todo o furor do acordo, já no último ano do Ensino Fundamental, caíra enfim o trema e dum dia para o outro deixei de usá-lo sem nenhuma hesitação e para mim é como se nunca tivesse existido. Mal dei por mim. O que me incomodou, mas hoje já nem mais tanto, foram os acentos que caducaram. Às vezes ainda sou tentado a escrever “idéia”, mas já internalizei a nova grafia, acho-a até mais bonita. Imagino que quem tenha vivido vários anos grafando idéia e tranqüilo tenha mais dificuldade em aceitar a perda. É, se bem que o acento tem uma função muito bem definida e o trema me parece só um fru-fru sem nenhuma utilidade. (me desculpe, Guigo :D). Imagine se tivesse sobrevivido... o estandarte de guerra duns e outros por aí seria “qüestão”.
    Unerträglich… :rolleyes:
     

    machadinho

    Senior Member
    Português do Brasil
    O que me incomodou, mas hoje já nem mais tanto, foram os acentos que caducaram. Às vezes ainda sou tentado a escrever “idéia”, mas já internalizei a nova grafia, acho-a até mais bonita.
    Bem mais bonita. Se fosse por mim, todos esses acentos e sinais gráficos, salvo a cedilha, que é graciosa, cairiam era ontem mesmo.
    Tranqüilo, Gui. Sou do tipo que agüenta brincadeira, não vou delinqüir por causa disso. :)
    Que beleza, hein, Guigo! :D Há quem escreva coöperation etc. e em inglês, já viram? Bunito, né?
     

    guihenning

    Senior Member
    Português do Brasil
    Bem mais bonita. Se fosse por mim, todos esses acentos e sinais gráficos, salvo a cedilha, que é graciosa, cairiam era ontem mesmo.
    Eu gosto muito do circunflexo e do til, sobretudo no ditongo "ão", é meio que a marca registrada do português.
    Há quem escreva coöperation etc. e em inglês, já viram? Bunito, né?
    O The New York Times que escrevia assim, não sei se ainda escreve. Acho meio cafona esses empréstimos franceses ao inglês.
     
    Last edited:

    machadinho

    Senior Member
    Português do Brasil
    Eu gosto muito do circunflexo e do til, sobretudo no ditongo "ão", é meio que a marca registrada do português.
    Mas é meio desnecessário, não? São muitas as palavras do português que terminam em -ao sem til?
     
    Last edited:

    guihenning

    Senior Member
    Português do Brasil
    Acho que todo acento é no fim das contas desnecessário, mas eu gosto dos nossos. Creio também que ainda durem um bom tempo, mas chutaria que num futuro Acordo limem das proparoxítonas os acentos, o que poria fim a grafias exclusivamente brasileiras ou europeias como tônico/tónico e similares. Bem, pelo menos se os futuros Acordos continuarem a almejar a união ortográfica. Quem sabe…
     

    machadinho

    Senior Member
    Português do Brasil
    E o acento grave que tomava o lugar do agudo num advérbio derivado de adjetivo? Como era a regra mesmo? Alguém sente falta daquilo? Acho que eu nem era nascida direito quando tiveram o bom senso de acabar com isso.
     

    guihenning

    Senior Member
    Português do Brasil
    A oposição pé/pèzinho? Não é dos meus dias. Bom, mas até que não é cem por cento tresloucada quanto êle/ele em que o pronome recebia acento mas o nome da letra não. Quantos milhões de falantes de português morrem velhinhos de tudo sem nunca terem precisado escrever o nome da letra ele? No entanto era o pronome, absolutamente indispensável, que recebia o acento diferencial. Vai entender.
     

    aprendiendo argento

    Senior Member
    Slovenian
    A Nomina Anatomica, que é redigida em latim e tem validade internacional, nas suas primeiras edições usou a raiz thyreo-. A partir da edição de 1960 (Nomina de Nova York) (9) mudou para thyro-, que foi mantida até a edição mais recente, publicada em 1998 com o título de Terminologia Anatomica (18).

    Apesar disso, na tradução oficial para a língua portuguesa, a raiz thyro- foi mudada para tireo- pela Comissão de Terminologia da Sociedade Brasileira de Anatomia (19).

    Em face de quanto foi exposto neste comentário, parece-nos que se pode defender, do ponto de vista histórico-filológico, ambas as formas, considerando o vínculo existente entre thyreós, escudo, e thyra, porta.

    Em outros idiomas (inglês, francês, espanhol, italiano) prevalece a raiz thyro-. Em alemão, em que a glândula tiróide é chamada schilddrüse, de schild, escudo, e drüse, glândula, usa-se de preferência thyreo-. Contudo, modernamente já se emprega a raiz thyro- para designar a própria glândula (Thyroidea) e em alguns cognatos como thyroxin, thyronin, thyrogen, thyroidektomie, thyroideus (20).

    Seria desejável a opção por thyro- também em português, em benefício da uniformidade internacional da terminologia científica.

    Tiróide, tireóide
     

    Nonstar

    Senior Member
    Nheengatu/il linguaggio del corpo
    "Tireóide/tiróide
    Qual a forma correcta de escrever o nome desta glândula de secreção interna? Tiróide? Tireóide? Tiroideia?

    Francisco Carrilho Portugal
    José Neves Henriques já tinha respondido a uma questão semelhante à colocada por Francisco Carrilho e que passo a transcrever: «Segundo o 'Vocabulário da Língua Portuguesa' de Rebelo Gonçalves é inexacta a forma 'tiroideia'. É correcta a forma tiróide. Mas a preferível é tireóide. Compreende-se, porque deriva do grego 'thyreoidés' (semelhante a escudo)».
    Eu acrescentaria o seguinte: tiróide, quando adjectivo, significa que tem forma de queijo (do grego «tyrós», queijo +eidos, forma); como substantivo feminino, na verdade, corresponde a uma forma usual de tireóide.
    Daí o dar-se a preferência à palavra tireóide, assim como aos derivados: tireoidite, tireoidectomia, etc."

    Raul Amaral Marques 26 de maio de 1999
     
    < Previous | Next >
    Top