uso e omissão do artigo em várias situações

Pedrovski

Senior Member
English, Portuguese
Uma coisa que tenho reparado na escrita dos foristas brasileiros aqui:

Muitas vezes nas frases o artigo definido não é utilizado com os pronomes pessoais. Por exemplo, "Meu pai foi à praia" em vez de "o meu pai foi à praia".
Ou "Eu sei que minha tia é escritora" em vez de "eu sei que a minha tia é escritora"

(A) Minha pergunta é: esse é um fenômeno generalizado pelo Brasil sendo inclusive já incorreto ou estranho usá-los ou varia de região para região?
O ensino oficial promove essa prática?
 
  • Pedrovski,

    Não me pergunte porque, mas nos exemplos dados por você, EU prefiro não usar o artigo no início das frases, mas quando a situação ocorre no meio dela (da frase) eu opto por incluí-lo. Assim, eu escreveria (ou falaria):
    1. Meu pai foi à praia
    2. Eu sei que a minha tia é escritora

    Ainda que concorde com Márcio, no sentido de que ambas as formas estejam corretas e não soam mal.

    Não lembro de haver assistido alguma aula sobre este tema. De repente, eu faltei a esta aula. :cool:
     
    Creio que eu só omito o artigo num vocativo:

    "Vem cá, minha mãe, quero te mostrar uma coisa."

    Até porque se eu o usasse, pareceria que eu estava falando de alguém e não com alguém. :)
     
    Bem, de volta aos artigos, não há nenhuma tendência ou sinalização que aponte em direção ("sinalização que aponte em direção a..", que frase! Às vezes eu me choco comigo mesmo...) à perda (ou perca, como queiram) do artigo definido antes dos pronomes pessoais; é que esse é um traço mais da língua falada do que da escrita. Ao se falar, seria mais natural usar os artigos do que omiti-los, mas ao se escrever, a menos que você esteja registrando a fala de alguém ou escrevendo um texto bem informal, as pessoas omitem o artigo naturalmente.
     
    Omito ou não os artigos na fala e na escrita sem seguir nenhum critério lógico.
     
    É, acho que ninguém presta atenção nisso, depende do ambiente, do humor, da conjunção astal do dia...Mas eu acho que eu tendo a usar o artigo antes do pronome em contextos mais informais.
     
    Tenho encontrado vários exemplos da perca/perda do artigo definido no pt-eu.

    Por exemplo:

    1) "Para sua segurança..."
    2) "Entregamos em sua casa"

    Enquanto que no caso Nº 1 penso que se trata de uma excepção (embora acho que também estaria correcto com um "a", no segundo, penso que é a influência Brasileira a fazer-se sentir.

    No Wikipédia, há menus como "minha discussão" e "minha história". Quando abordei um dos usurários brasileiros sobre isso, ele disse-me que parecer-lhe-ia muito estranho ter artigos definidos antes. Mas sendo a Wikipédia para todos os falantes de português, e sendo o uso opcional no Brasil mas obrigatório em Portugal, não faria mais sentido usar sempre o pronome nessas situações?
    É que a norma brasileira prefere a omissão de artigos com possessivos.

    Eu falo: MEU PAI (nunca O MEU PAI)
    mas DO MEU PAI ou DE MEU PAI (tanto faz)
    MINHA MÃE; DE/DA MINHA MÃE
    A MINHA MÃE = PARA MINHA MÃE
    (À MINHA MÃE: nunca uso)

    Está na hora de meu pai ir embora. me soa mais natural que
    Está na hora de o meu pai ir embora.

    :) Quanto à forma NUM.
    NUM = NÃO [num sei não]
    ;) já EM UM é outra coisa :)
     
    É que a norma brasileira prefere a omissão de artigos com possessivos.


    Está na hora de meu pai ir embora. me soa mais natural que
    Está na hora de o meu pai ir embora.


    Parece-te mais natural talvez porque não fizeste a devida contracção do "de + o" para "do". De qualquer forma acho que isto tudo se resume a como se aprendeu na escola.
     
    Tenho encontrado vários exemplos da perca/perda do artigo definido no pt-eu.

    Por exemplo:

    1) "Para sua segurança..."
    2) "Entregamos em sua casa"

    Enquanto que no caso Nº 1 penso que se trata de uma excepção (embora acho que também estaria correcto com um "a", no segundo, penso que é a influência Brasileira a fazer-se sentir.
    Aí, não penso que seja influência brasileira. Mesmo em Portugal, às vezes omite-se o artigo antes dos possessivos em frases feitas (como "para sua segurança") ou porque soa mais impessoal/cortês (como em "entregamos em sua casa").

    No Wikipédia, há menus como "minha discussão" e "minha história". Quando abordei um dos usurários brasileiros sobre isso, ele disse-me que parecer-lhe-ia muito estranho ter artigos definidos antes. Mas sendo a Wikipédia para todos os falantes de português, e sendo o uso opcional no Brasil mas obrigatório em Portugal, não faria mais sentido usar sempre o pronome nessas situações?
    Também me parece um pouco estranho, se a omissão do artigo é considerada um regionalismo no Brasil...
     
    Aí, não penso que seja influência brasileira. Mesmo em Portugal, às vezes omite-se o artigo antes dos possessivos em frases feitas (como "para sua segurança") ou porque soa mais impessoal/cortês (como em "entregamos em sua casa").

    Também me parece um pouco estranho, se a omissão do artigo é considerada um regionalismo no Brasil...

    Me parece estranho também, o mais comum no Brasil é se usar o artigo. Na escrita, entretanto, prefere-se a omissão do artigo porque soa mais polido. Sobre soar mais impessoal e cortês, por aqui isso também é verdade.
     
    Me parece estranho também, o mais comum no Brasil é se usar o artigo.
    Só se for em sua região. Aqui a gente não usa muito o artigo...
    (Minha mãe, casa de Vanessa...)
     
    Um Brasileiro disse-me que a perca/perda dos pronomes no Brasil depende da região. Como em São Paulo (a região mais influente) o hábito é ocultá-los deve ser por causa disso que a maior parte dos textos Brasileiros que são exportados não os têm.

    Alguem sabe as regiões do Brasil aonde ainda se insiste na colocação dos pronomes, especialmente no ínicio das frases?
     
    Um Brasileiro disse-me que a perca/perda dos pronomes no Brasil depende da região. Como em São Paulo (a região mais influente) o hábito é ocultá-los deve ser por causa disso que a maior parte dos textos Brasileiros que são exportados não os têm.

    Alguem sabe as regiões do Brasil aonde ainda se insiste na colocação dos pronomes, especialmente no ínicio das frases?

    Pedrovski, sinto contradizer seu amigo, mas não acho que alguém vá encontrar uma região específica para o hábito. Deixe-me exemplificar: minha amiga, que vive quase que a vida toda aqui nesta cidade onde a maioria usa o artigo, não o usa. Também, numa cidadezinha que faz parte da região metropolitana, a apenas 23km daqui, as pessoas não o usam.
     
    Penso que encontra a resposta neste comentário antigo do Odinh, Pedrovski:

    [...] o mais comum no Brasil é se usar o artigo. Na escrita, entretanto, prefere-se a omissão do artigo porque soa mais polido. Sobre soar mais impessoal e cortês, por aqui isso também é verdade.
    O sublinhado é meu.
     
    ^ Sim, no Brasil o uso do artigo passa uma sensação de proximidade ou familiriaridade. Em referências a personalidades históricas, por exemplo, não se usa artigo antes do sujeito, a não ser em paródias, quando se queira ironizar ou dar à frase um tom mais jocoso.

    Entretanto, em algumas regiões brasileiras, onde se fala um português mais arcaico, como o Nordeste e o interior de Minas, o artigo já não é utilizado nem mesmo quando se tem familiaridade ('Maria disse que não iria trabalhar hoje', 'Vou à casa de João').
     
    ^ Sim, no Brasil o uso do artigo passa uma sensação de proximidade ou familiriaridade. Em referências a personalidades históricas, por exemplo, não se usa artigo antes do sujeito, a não ser em paródias, quando se queira ironizar ou dar à frase um tom mais jocoso.

    Entretanto, em algumas regiões brasileiras, onde se fala um português mais arcaico, como o Nordeste e o interior de Minas, o artigo já não é utilizado nem mesmo quando se tem familiaridade ('Maria disse que não iria trabalhar hoje', 'Vou à casa de João').

    Queres então dizer que então nos velhos tempos, não se usavam artigos sequer? Eu pensava que tinha sido o português brasileiro que se tinha decidido afastar-se da norma vigente de meter os artigos sempre, ou seja, que era um fenómeno recente semelhante à tendência de abandonar as consonantes mudas das palavras.
     
    Bom, em latim não se usavam de certeza, porque o latim não tinha artigos. Depois disso, não sei.

    Em espanhol a norma é não usar artigo antes dos possessivos, e em francês também. Mas em italiano usam-se...

    No entanto, os exemplos que o Odinh escreveu acima não são de uso do artigo com possessivos, mas sim com nomes próprios. Isso é de facto uma inovação. Não se fazia em português clássico, e não se encontra na maioria das outras línguas românicas, incluindo o espanhol (uma excepção é o catalão).
     
    Bom, em latim não se usavam de certeza, porque o latim não tinha artigos. Depois disso, não sei.

    Em espanhol a norma é não usar artigo antes dos possessivos, e em francês também. Mas em italiano usam-se...


    Sim exactamente. Pensei que seria a influência do espanhol a fazer-se sentir na língua.
     
    Em alguns países latino-americanos e algumas regiões da Itália usa-se o artigo definido antes de nomes próprios. Tenho uma amiga boliviana que se refere o tempo todo ao filho como el Juan.
     
    Em alguns países latino-americanos e algumas regiões da Itália usa-se o artigo definido antes de nomes próprios. Tenho uma amiga boliviana que se refere o tempo todo ao filho como el Juan.

    Nossa, Jazyk. Muito interessante!!
    Não sabia que havia essa variação no Espanhol!
    Eu sempre desconfiei, aliás, já ouvi num texto latino "la argentina" ( o país), em vez de só "argentina". Seria esse um caso semelhante? ;)
     
    Ao que parece a ausência de artigo tanto antes de pronomes possessivos quanto de nomes próprios é realmente uma característica do português antigo, preservada no Brasil. As seguintes passagens são de uma tradução da peça Rei Lear, de Shakespeare, em português que remonta ao séc. XV:

    Quando foi morto rrey Balduc, o voador, rreynou seu filho que ouue nome Leyr.

    E depois seu padre della* en sa velhiçe, filharomlhe seus gemrros a terra e foy malandante, e ouue a tornar aa mercee delrrey de França e de sa filha a mêor...

    *Reparem no pleonasmo 'seu padre della', ainda hoje comum na linguagem popular brasileira, tão abominado pelos gramáticos.

    E elles receberomno muy bem e deromlhe todas as cousas que lhe foram mester e homrraromno mentre foy uiuo, e morreo em seu poder.

    Na realidade, de todas as passagens da tradução a que tenho acesso, em nenhuma se usa artigo antes do pronome.

    Já as frases a seguir são da Carta de Pero Vaz de Caminha:

    Diego dijz e afonso rribeiro odegredado aque ocapitã omtem mandou que em toda maneira la dormisem volueranse ja denoute...

    - Diego Dias e Afonso Ribeiro, o degredado, a quem o Capitão ordenara que de toda maneira lá dormissem, retornaram à noite.

    E ocapitã mandou adous degradados e adiego dijz que fosem la aaldea...

    - E o Capitão ordenou a dois degredados e a Diego Dias que fossem lá à aldeia.

    Alguûs vijnhã eoutros hiamse e acabada apregaçom, trazia njcolaao coelho mujtas cruzes destanho...

    - Alguns vinham e outros iam-se e, terminada a pregação, trazia Nicolau Coelho muitas Cruzes de estanho.

    ...fomos em terra por mais lenha e agoa e em querendo ocapitam sair desta naao chegou sancho detoar com seus dous ospedes...

    - Fomos em terra para buscar mais lenha e água, e, em querendo o Capitão deixar esta nau, chegou Sancho de Tovar com seus dois hóspedes.

    Essa expressão 'fomos em terra' é curiosa... Pode ser que a regência "ir em" seja também uma estrutura arcaica da língua, e não uma corruptela do português falado no Brasil, como se acredita.

    Nõ lhes deram vinho por sancho detoar dizer queo nõ bebiam bem.

    - Não lhes deram vinho porque Sancho de Tovar dissera que eles não gostavam da bebida.

    Novamente, em toda a carta apenas nas ocasiões em que se fez menção ao padre e ao rei, usou-se artigo antes de nome próprio.
     
    No entanto, os exemplos que o Odinh escreveu acima não são de uso do artigo com possessivos, mas sim com nomes próprios. Isso é de facto uma inovação. Não se fazia em português clássico, e não se encontra na maioria das outras línguas românicas, incluindo o espanhol (uma excepção é o catalão).

    Bem, conforme demonstrado...
     
    Realmente muito interessante Odinh.
    Dou-te os parabéns por tão iluminador esclarecimento, não tinha ideia de como é que se escrevia o português dessas eras.
    Acho que esses excertos clarificam completamente todas e quaisquer dúvidas que se podia ter sobre este assunto.
     
    Em alguns países latino-americanos e algumas regiões da Itália usa-se o artigo definido antes de nomes próprios. Tenho uma amiga boliviana que se refere o tempo todo ao filho como el Juan.

    É verdade. El Juan, la María. Mas o uso é familiar ou coloquial. Se ouve mais nas zonas rurais o que me leva a pensar que dever ser uma forma antiga do castelhano preservada nas zonas rurais, ou em regiões da Argentina (la Argentina é o nome oficial do país. La República Argentina. Se omitir " República" ainda deve -se utilizar o artigo "la". Acho que omitir o artigo é anglicismo.
    Tem países que levam artigo em castelhano e outros que não. Por exemplo: em castelhano Chile, México não levam artigo. Mas em português sim levam o artigo. Brasil também leva (el Brasil) em castelhano. Agradeço as correções dos meus erros.

    Saludos

    C.
     
    Oi, eu acho que isso não é mudar de assunto, disculpa se vocês acham que é...eu tenho que dar uma aula para brasileiros sobre as diferenças dos usos dos artigos (definidos e indefinidos) no português e no inglês. Um exemplo seria o uso dos artigos com os pronomes pessoais em português que nunca se permite no (em? agora não tenho certeza sobre o meu conhecimento do português!) português. Como sou americana, é mais difícil explicar os usos do inglês. Como vocês aprenderam? Conhecem algum site que explica o assunto? Se seria melhor perguntar isso em outro lugar, não tem problema, é só me avisar onde! Muito obrigada!
     
    Oi, eu acho que isso não é mudar de assunto, disculpa se vocês acham que é...eu tenho que dar uma aula para brasileiros sobre as diferenças dos usos dos artigos (definidos e indefinidos) no português e no inglês. Um exemplo seria o uso dos artigos com os pronomes pessoais em português que nunca se permite no (em? agora não tenho certeza sobre o meu conhecimento do português!) português. Como sou americana, é mais difícil explicar os usos do inglês. Como vocês aprenderam? Conhecem algum site que explica o assunto? Se seria melhor perguntar isso em outro lugar, não tem problema, é só me avisar onde! Muito obrigada!

    Em Portugal: uso obrigatório
    No Brasil: uso facultativo
     
    Oí, gostaria de saber si antes dos nomes próprios é necesario o artigo ou se é facultativo, meu livro não explica-o. Por exemplo nestas frases "o Roberto e a Cristina comem o café da manhã" ou "Aqui é a Luci" poderia dizer estas frases sem artigos ou não?

    Muito obrigada!
     
    Back
    Top