Utilização da vogal "ɐ" (português brasileiro)

L'affamato

Member
italian, swedish
Quais são as regras que determinam, no idioma brasileiro, quando se pronuncia la "a" como "
ɐ"? A minha grammatica portuguêsa não cobre esta questão..! Por exemplo: la "a" na palavra "branco" deveria ter o som de "ɐ". Desculpe para o meu português, está ainda muito rudimentar. Obrigado!
 
  • anaczz

    Senior Member
    Português (Brasil)
    Na palavra "branco", o "a" seguido de n (ou m) tem som de ã.
    Se "ɐ" corresponde ao "a" átono europeu, arrisco-me a dizer que não usamos esse som. O "a" é aberto (a) ou nasalizado (ã)
     

    Curupira

    New Member
    Portuguese - Brazil
    Anaczz, posso discordar? Não sou lingüista nem nada, só curioso, mas pelo que eu entendo dessas coisas de fonética existe sim um "a" átono no português do Brasil. Só não tenho certeza de que o som seja igual ao de Portugal. Veja, por exemplo, palavras como garota ou salada; ou palavra mesmo.
    Se pronunciam:

    Garota - / garotɐ /
    Salada - / saladɐ /
    Palavra
    - / palavrɐ /

    Nunca vi ninguém falando "GarotA" , "saladA", a não ser que essa pessoa seja um italiano que acabou de chegar no Brasil ou o palhaço Tiririca (que exageradamente fala: meni-NA, meni-NÔ).
    A pergunta do L'affamato me fez perceber que o "ã" (a nasal) é mais próximo do "ɐ" do que do "a", pelo menos na minha fala.
    Porém, isso tudo acho (chuto) que vale de modo geral pro Brasil, com raras exceções (talvez em alguns lugares do sul).

    Agora, repondendo a pergunta do L'affamato, a regra me parece que é simplesmente: "as" tônicos = a; "as" átonos = ɐ. No caso da palavra branco, seria um "a" nasal = ã / ~ɐ (som parecido com "ɐ", por isso a dúvida). Espero ter ajudado.
     
    Last edited:

    Ariel Knightly

    Senior Member
    Brazilian Portuguese
    Para mim Ana está enganada. Essa vogal aparece sim no /a/ final átono e no /a/ nasal. Na palavra "branca", por exemplo, ela aparece duas vezes, sendo que na primeira acrescida de nasalidade. A pronúncia mencionada por Ana,"br[ã]nco", é algo que só consigo imaginar na fala de estrangeiros.
     

    Nino83

    Senior Member
    Italian
    Estou de acordu com Curupira e Ariel.
    As "a" átonas não são pronunciadas [a] (como em italiano) mas [ɐ], muito similar a "u" breve dos inglêses do sul-est, menos clara daquela italiana
     
    Last edited:

    anaczz

    Senior Member
    Português (Brasil)
    Para mim Ana está enganada. Essa vogal aparece sim no /a/ final átono e no /a/ nasal. Na palavra "branca", por exemplo, ela aparece duas vezes, sendo que na primeira acrescida de nasalidade. A pronúncia mencionada por Ana,"br[ã]nco", é algo que só consigo imaginar na fala de estrangeiros.
    E como seria a notação para essa nasalização?
     

    diego-rj

    Senior Member
    Brazilian Portuguese
    Aproveitando que o tópico está falando de vogais átonas, vocês acham que temos dois 'u's? Um equivalente ao u normal e tônico e o outro equivalente a um u e o átono. Tenho certeza absoluta que não pronuncio o o e o u da palavra tudo da mesma forma: [´tudu] :cross:
     

    mateus-BR

    Senior Member
    L'affamato,

    Antes de n e m, a letra "A" e TODAS as outras vogais e, i, o, u sempre soam, nasais ã, em, in, õ, um.
    Na variante brasileira da língua portugesa, as letras 'a' que não são nasais, soam quase sempre abertas. Mas, uma regra geral, as letras "A" da primeira sílaba sempre soam abertas, e as que fazem parte da sílaba tônica também. A vogal só tem o som de 'ɐ' quando precedem a sílaba tônica ou quando estão no final da palavra e a sílaba na qual ela se encontra não é tônica.
    Exemplos: (a sílaba destacada em vermelho é tônica)
    Letras = Le-trɐs
    Mafalda = Má-fál-dɐ
    Mariana = Má-ri-ã-nɐ
    Brasileira = Brá-si-lei-rɐ
    Sílaba = -lɐ-bɐ

    A pronúncia paulistana, por ter sofrido influência dos imigrantes italianos, pronunciam até as ɐ abertas.

    Um forte abraço!
     

    AlexSantos

    Senior Member
    Portuguese - Brazil
    Aproveitando que o tópico está falando de vogais átonas, vocês acham que temos dois 'u's? Um equivalente ao u normal e tônico e o outro equivalente a um u e o átono. Tenho certeza absoluta que não pronuncio o o e o u da palavra tudo da mesma forma: [´tudu] :cross:
    Sim, se não me engano a transcrição segundo o IPA seria algo como ['tu.dʊ] onde o /u/ seria uma vogal posterior fechada arredondada (o nosso "U" tônico) e o /ʊ/ uma vogal quase posterior quase fechada arredondada (o nosso "U" ou "O" átonos).
     
    Last edited:

    mexerica feliz

    Senior Member
    português nordestino
    para: par[ɐ] (em Minas par[ə], no Nordeste par[ä])
    grátis: grát[ɪ]s (no Nordeste: gráts).

    ɪ,ʊ, ɐ não são fonemas em português brasileiro (aliás em muitos dialetos e idioletos do Norte e do Nordeste se usa só [i, u, a])
    Em Portugal é diferente, ɐ é um fonema sim: para (com [ɐ]) preposição, para com ([a]) forma verbal.
     

    Ariel Knightly

    Senior Member
    Brazilian Portuguese
    L'affamato,

    Antes de n e m, a letra "A" e TODAS as outras vogais e, i, o, u sempre soam, nasais ã, em, in, õ, um.
    Na verdade nem sempre se usam vogais nasais diante de n e m.

    banana --> /ba'nãna/ --> [ba'nɐ̃nɐ]
    A vogal só tem o som de 'ɐ' quando precedem a sílaba tônica ...

    As anteriores à sílaba tônica, não sendo nasais, geralmente são abertas.

    abacaxi--> [abaka'ʃi]
    A pronúncia paulistana, por ter sofrido influência dos imigrantes italianos, pronunciam até as ɐ abertas.
    Não tenho certeza, mas a minha impressão é que os finais "átonos" costumam ter uma tonicidade secundária em alguns dialetos paulistanos, o que talvez explique a altura da vogal -- ou seja explicado por ela. É como se palavras como time e cama tivessem duas sílabas tônicas. Se você fechar os olhos, conseguirá visualizar o Supla pronunciando as seguintes palavras:

    time --> [ˈtʃiˌmi]
    cama --> [ˈkɐˌma]

    Além da tonicidade desses finais "átonos", outra característica interessante desses dialetos é o que parece ser uma ausência de nasalidade no /a/ tônico de cama.
     
    Last edited:

    Alandria

    Senior Member
    Português
    Banana --> /ba'nãna/ --> [ba'nɐ̃nɐ]

    É assim que eu falo, existem ALGUMAS POUQUÍSSIMAS pessoas no Sul e Sudeste que nasalizam o primeiro a, porém isso é mais associado ao NORDESTE!
    Gente, a qualidade dessas vogais nasais varia muito no Brasil. Aqui no ES quase NENHUMA vogal que seja átona antes de N e M é nasalizada, pra vocês terem uma ideia, falamos [va'nesa].

    Os paulistanos e sulistas não nasalizam vogais. O que eles fazem é apoiar a consoante nasal velar pra "simular" uma suposta nasalização. Por isso estranhamos na forma como pronunciam o ditongo nasal "ão", quase como uma espécie de "aung". Por isso, muitos deles soam ESTRANGEIROS ao pronunciarem certas palavras.

    Vamos, paulistanos e sulistas, sem nasalização e com R ALVEOLAR TRILL MESMO, digam hortelã:

    [orte'l
    ɐ]

    Tapem os narizes e suas vozes não mudarão.
    A minha mudaria completamente na última sílaba: [ohte'l
    ɐ̃]
     

    diego-rj

    Senior Member
    Brazilian Portuguese
    Gente, a qualidade dessas vogais nasais varia muito no Brasil. Aqui no ES quase NENHUMA vogal que seja átona antes de N e M é nasalizada, pra vocês terem uma ideia, falamos [va'nesa].
    Acho que nomes são um caso à parte. No Rio também se pronuncia Vanessa como [va'nesɐ], mas se pronuncia Daniel como [dɐ̃ni'ɛw], e não [dani'ɛw] como seria de se esperar.
     

    mateus-BR

    Senior Member

    É assim que eu falo, existem ALGUMAS POUQUÍSSIMAS pessoas no Sul e Sudeste que nasalizam o primeiro a, porém isso é mais associado ao NORDESTE!
    Gente, a qualidade dessas vogais nasais varia muito no Brasil. Aqui no ES quase NENHUMA vogal que seja átona antes de N e M é nasalizada, pra vocês terem uma ideia, falamos [va'nesa].

    Os paulistanos e sulistas não nasalizam vogais. O que eles fazem é apoiar a consoante nasal velar pra "simular" uma suposta nasalização. Por isso estranhamos na forma como pronunciam o ditongo nasal "ão", quase como uma espécie de "aung". Por isso, muitos deles soam ESTRANGEIROS ao pronunciarem certas palavras.

    Vamos, paulistanos e sulistas, sem nasalização e com R ALVEOLAR TRILL MESMO, digam hortelã:

    [orte'l
    ɐ]

    Tapem os narizes e suas vozes não mudarão.
    A minha mudaria completamente na última sílaba: [ohte'l
    ɐ̃]
    É verdade Alandria,

    Muitas pessoas da região sul, da grande Sampa e do sul paulista pronunciam as letras 'ã' nasais como os americanos pronunciam a letra 'u' em 'duck'. Para mim, em particular, não soa bem. Às vezes dá a impressão de que estão com coriza.
     

    Hagafiero

    Senior Member
    Portuguese - Brazil
    uma regra geral, as letras "A" da primeira sílaba sempre soam abertas, e as que fazem parte da sílaba tônica também. A vogal só tem o som de 'ɐ' quando precedem a sílaba tônica ou quando estão no final da palavra e a sílaba na qual ela se encontra não é tônica.
    Na minha fala a vogal A é aberta quando é tônica ou vem imediatamente antes da tônica, e é fechada na maior parte dos outros casos.
    Brasileira = Brɐ-si-lei-rɐ
    Brasil = Brá-sil
    Brasília - Brá-sí-li
    ɐ
     

    mexerica feliz

    Senior Member
    português nordestino
    Segundo Thaïs Cristófaro Silva ( em seu livro ''Fonética e fonologia do português brasileiro''), a pronúncia usual em Belo Horizonte é: brasileir[ə], e Brasíli[ə ] (isto é, com [ə ] e não com [ɐ]).
     

    AlexSantos

    Senior Member
    Portuguese - Brazil
    Segundo Thaïs Cristófaro Silva ( em seu livro ''Fonética e fonologia do português brasileiro''), a pronúncia usual em Belo Horizonte é: brasileir[ə], e Brasíli[ə ] (isto é, com [ə ] e não com [ɐ]).
    Se não me engano, nesse mesmo livro ela também fala da existência dos fonemas ɪ, ʊ, ɐ no Português brasileiro. Por que você mencionou na sua postagem anterior que eles não existem na variante brasileira? Fiquei meio perplexo com isso...
     

    Ariel Knightly

    Senior Member
    Brazilian Portuguese
    Se não me engano, nesse mesmo livro ela também fala da existência dos fonemas ɪ, ʊ, ɐ no Português brasileiro. Por que você mencionou na sua postagem anterior que eles não existem na variante brasileira? Fiquei meio perplexo com isso...
    Existem como alofones, e não como fonemas independentes. Fone e fonema são coisas diferentes.
     

    mexerica feliz

    Senior Member
    português nordestino
    Como Ariel Knightly falou...
    ɪ, ʊ,
    ɐ não são fonemas (/ɪ, ʊ, ɐ/) , são alofones ([ɪ, ʊ, ɐ]).
    Muita gente no Nordeste pronuncia júri/jure com /i/ , Lia, Maria com /a/ [a] (mas esse a é central /a/ [ä], e não anterior como em francês (de Paris) ou em umas variantes de espanhol:
    https://en.wikipedia.org/wiki/Vowel#Articulation).

    / / transcrição fonológica
    [ ] transcrição fonética
     
    Last edited:

    Alandria

    Senior Member
    Português
    Como Ariel Knightly falou...
    ɪ, ʊ,
    ɐ não são fonemas (/ɪ, ʊ, ɐ/) , são alofones ([ɪ, ʊ, ɐ]).
    Muita gente no Nordeste pronuncia júri/jure com /i/ , Lia, Maria com /a/ [a] (mas esse a é central /a/ [ä], e não anterior como em francês (de Paris) ou em umas variantes de espanhol:
    https://en.wikipedia.org/wiki/Vowel#Articulation).

    / / transcrição fonológica
    [ ] transcrição fonética


    Essa gente do Nordeste, se concentrando mais nos estados de RN, PB, PE, AL, SE e BA.
    MA, PI, CE usam [ɪ], [ʊ].
    [a] é usado mais Em PE e BA.

    Não sei como alguém consegue visualizar qualquer diferença das variantes RN, PB, interior de PE*, AL e SE. É MUITO IGUAL.
     

    Nino83

    Senior Member
    Italian
    Muita gente no Nordeste pronuncia júri/jure com /i/ , Lia, Maria com /a/ [a] (mas esse a é central /a/ [ä], e não anterior como em francês (de Paris) ou em umas variantes de espanhol:


    Eis porque é mais fácil por mim compreender a falada de Djavan ou de Gilberto Gil que aquela, por exemplo, de Maria Gadú, quando eles cantarem.

    E como é pronunciada a /a/ no sul?
     
    Last edited:

    Nino83

    Senior Member
    Italian
    Gostaria saber uma coisa.
    Wikipedia diz que:

    De forma geral, os brasileiros pronunciam as vogais de forma mais aberta que os portugueses, mesmo quando estão as reduzindo.17 Nas sílabas seguintes à tônica, o PB geralmente pronuncia o O como , o A como [ɐ] e o E como . Alguns dialetos do PB seguem esse padrão também nas vogais anteriores à sílaba tônica.

    Hagafiero disse que em MG se reduzem as vogais quando não virem imediatamente antes da tônica.

    Quais são os outros dialetos nos quais se reduzem as vogais anteriores à silaba tônica?

    Uma segunda pregunta.

    Eu li que a vogal /ɐ/ em Rio é dialetalmente semi-fechada e corrispondente a /ɘ/.
    Assim o português brasileiro tem tres allofones (/ɐ/, /ə/ in MG e /ɘ/ in RJ)?
     
    Last edited:

    mexerica feliz

    Senior Member
    português nordestino
    As vogais tônicas, também, têm muitos alofones:

    no Rio pode se ouvir: vida/amigo com [ɪ], com [e] (em vez de )
    no interior de S. Paulo: Saracura, loucura com [ ʊ] (em vez de )
    na Bahia: olhe só (com [ɔ̝ ] / o̞ ] (levantamento) (em vez de [ɔ])
    no Rio: é! (com [æ ] (abaixamento) (em vez de [ɛ ])
     
    Last edited:

    jay jaw

    New Member
    português
    para: par[ɐ] (em Minas par[ə], no Nordeste par[ä])
    grátis: grát[ɪ]s (no Nordeste: gráts).

    ɪ,ʊ, ɐ não são fonemas em português brasileiro (aliás em muitos dialetos e idioletos do Norte e do Nordeste se usa só [i, u, a])
    Em Portugal é diferente, ɐ é um fonema sim: para (com [ɐ]) preposição, para com ([a]) forma verbal.
    posso discordar? os As átonos finais são sempre pronunciados ɐ, nunca ä, muito menos no Nordeste onde existe uma tendência muito forte de redução vocalica, talvez no litoral da Bahia, Sergipe e Alagoas esse A possa se aproximar do Ä. Eu e todo mundo onde eu vivo por ex: pronunciamos ás palavras NARIZ e PALAVRAS como: Nɐríz e Pɐłävrəs. Obs: moro no EST/PE.
     
    < Previous | Next >
    Top