Vídeo: "The Sound of the Imperial Brazilian Portuguese language (Numbers, Greetings, Words & The Parable)". Que pensam?

meencantesp

Senior Member
Portuguese - Brazil
Este vídeo, publicado no YouTube, The Sound of the Imperial Brazilian Portuguese language (Numbers, Greetings, Words & The Parable), mostra como supostamente seria o português falado no Brasil pela população instruída do fim do século XVIII até a metade do século XX. Seria possivelmente o português falado pelo imperador e pela família real, por Machado de Assis e por outros.

Achei interessantíssima a ideia de quem o gravou, porque ao que parece boa parte dos brasileiros se surpreendeu. Não foi o que me aconteceu, porque os meus avós e outras pessoas mais velhas conhecidas (Leonel Brizola, do Rio Grande do Sul, por exemplo, falecido em 2004, o músico Heitor Villa-Lobos, carioca, falecido em 1959 e Carlos Nougué, ainda vivo, carioca, muito mais por estilo) mantêm muitas características da fala representada. Tenho carinho por ela.

Que acham do vídeo? Agrada-lhes essa velha prosódia? Quis saber a opinião de vocês, pessoas mais entendidas de línguas.
 
Last edited:
  • Alecm

    Member
    Português - Brasil
    Concordo com um comentário que disse que parece mais um narrador da década de 1930/1940.
     

    Carfer

    Senior Member
    Portuguese - Portugal
    Pareceu-me quase português europeu, o que não será muito de admirar. Há ligeiras diferenças de pronúncia, que não sei, aliás, se não serão atribuíveis ao locutor (até que ponto a pronúncia é genuína? Estas coisas do youTube são de fiar?). Nem o vocabulário estranho, já que muitos desses termos eram comuns - e alguns, senão mesmo a maioria, ainda são - na minha meninice, em meados do século passado. E também acrescento que, ao contrário do que alguns comentadores afirmam, não são francesismos mas palavras genuinamente portuguesas (Ok!, exclua garçon, que, essa sim é francesa) ou que já fazem parte há tanto tempo do português que não podem ser consideradas estrangeirismos. 'Assaz', por exemplo, só tem em comum com 'assez' o étimo latino e 'palrar/parlar' vem do provençal, não do francês, pelo que deduzo que já deve fazer parte da língua há quase tantos séculos como Portugal tem. Lá porque sempre tenha havido entre as nossas classes "altas" gente pretensiosa que gosta de macaquear a estranja - antes a francesa, hoje a norte-americana - não quer dizer que tudo tenha vindo de França, como os bebés!
     

    Guigo

    Senior Member
    Português (Brasil)
    Agora saiu "The Sound of Brazilian Portuguese", na data de hoje (19/04/2021).

    Tanto no Imperial quanto no Atual, eu diria que o locutor tem um acento/sotaque quase neutro. Não duvido que ele seja santista (da cidade de Santos, SP) ou do interior fluminense (do estado do Rio de Janeiro).
     

    guihenning

    Senior Member
    Português do Brasil
    Achei os <e> finais muito fechados ( /i/ em vez de [ɪ]), mas pode ser que fosse mesmo assim. Presumo que também se fizesse uma leve aspiração (que subsequentemente viraria o "tch" de gente: /gẽtʃɪ/). Os erres em posição inicial eram um trill bem marcado, o narrador parece ter dificuldade com eles. O "nh" também me soa estranho porque no Brasil não é comum usar a ponta da língua para pronunciá-lo...
    O vídeo tem aspectos interessantes e mostra de maneira artificial o que provavelmente se ouvia na época imperial, mas é provável que já houvesse diferenças regionais significativas e que, no Rio, por exemplo, a prosódia e o sotaque fossem mais aportuguesados por conta das circunstâncias da época. É um sotaque tipo o da Globo que tenta ser neutro e acaba por não espelhar nenhuma pronúncia real.

    P.S "assaz" parece que já tinha caído em desuso há muito tempo, pelo menos no colóquio normal… era comum no século XII nas cantigas de Santa Maria. por influência do provençal, donde vem também o dígrafo 'lh'.
     
    Last edited:
    Top