Vírgula, vírgulas e mais vírgulas

Fernando Valerio

Member
Português (Brasil)
"Todo mundo entra no meu quarto falando que está uma bagunça"

Na frase acima, precisa de vírgula em alguma parte da frase?
 
  • machadinho

    Senior Member
    Português do Brasil
    Depende do propósito. Se for tirar 10 na prova de português, ponha. Se o objetivo for outro, sou da opinião de que essa vírgula não é obrigatória, pois que ela não traz nenhuma clareza adicional à frase e serve apenas para dar realce ao adjunto adverbial deslocado.

    Use o bom senso. Vírgulas em excesso tornam a leitura menos e menos fluida.
     

    Fernando Valerio

    Member
    Português (Brasil)
    Qual das frases está correta?

    "Eu tento amadurecer, mas desse jeito é impossível."

    "Eu tento amadurecer, mas, desse jeito, é impossível."
     

    gato radioso

    Senior Member
    spanish-spain
    Não sou nativo, mas eu diria que ambas, sendo a segunda um bocadinho mais enfática, sobre tudo se é língua falada.
     

    machadinho

    Senior Member
    Português do Brasil
    Gato, não há vírgula na fala, my dear. Bem... há quem diga — sobretudo mulheres ou gente menos educada ou de classe social mais baixa (sem juízo de valor, por supuesto) — 'tipo ... tipo'.
     
    Last edited:

    machadinho

    Senior Member
    Português do Brasil
    Pausa sim, mas vírgula não, ora bolas. Já pensou se as pessoas começassem a nos perseguir por causa das a questionar as pausas que fazemos na fala?

    Que telenovela é essa aí? :D
     

    gato radioso

    Senior Member
    spanish-spain
    Pausa sim, mas vírgula não, ora bolas. Já pensou se as pessoas começassem a nos perseguir por causa das a questionar as pausas que fazemos na fala?

    Que telenovela é essa aí? :D
    :D
    É verdade!!

    Pode ser qualquer delas acho eu... por cá já tivemos mexicanas ("Los ricos también lloran"), brasileiras (Uma foi "Quem ama não mata" de grande sucesso nos anos oitenta e poucos), venezolanas que vieram depois e tiveram ainda mais sucesso... e agora temos as turcas, onde as histórias são sempre as mesmas mas os actores e actrizes parecem vindos todos de concursos de beleza.
     

    Fernando Valerio

    Member
    Português (Brasil)
    "Falar pra quê?"

    Quando colocar o "pra quê" no começo da frase, a vírgula estará correta? Já que teve alteração do lugar das palavras

    "Pra que falar?" ficaria assim:
    "Pra quê, falar?"
    Está correto?
     

    Fernando Valerio

    Member
    Português (Brasil)
    Em certas frases que começam com "desse jeito", eu vejo que alguns colocam a vírgula e alguns não colocam. Qual maneira está correta?

    Exemplos:
    "Desse jeito vai se tornar um encontro clichê"
    "Desse jeito, você conseguirá dirigir melhor"
     

    Fernando Valerio

    Member
    Português (Brasil)
    "Como tivemos que ir embora, não conseguimos ver o show inteiro."

    ou

    "Como tivemos que ir embora não conseguimos ver o show inteiro."
     

    englishmania

    Senior Member
    Português Europeu
    Como tivemos de ir embora, não conseguimos ver o show inteiro.

    Como tivemos de ir embora, não conseguimos ver o concerto/espetáculo todo/até ao fim.
     

    Fernando Valerio

    Member
    Português (Brasil)
    "O primeiro beijo a gente nunca esquece"

    Imagino que precisa de vírgula depois de "o primeiro beijo", pois teve alteração das palavras, então seria assim: "O primeiro beijo, a gente nunca esquece. Sem alterar, ficaria assim: "A gente nunca esquece o primeiro beijo". Eu estou certo ou não?
     

    machadinho

    Senior Member
    Português do Brasil
    Não. Não se põe vírgula em toda alteração da ordem. Põe-se, nesse caso, se o objeto direto for retomado mais à frente por um pronome. Compare:

    O primeiro beijo a gente nunca esquece.
    O primeiro beijo, a gente nunca o esquece.​
     

    machadinho

    Senior Member
    Português do Brasil
    Fernando, essas perguntas todas que você tem feito ultimamente foi pensando em legenda de filme? Se foi, por favor avise quando for. Faz muita diferença para nós. Além disso, já que essas perguntas recentes suas são mais ou menos parecidas, será que daria, por favor, para você fazê-las de agora em diante todas num mesmo fio, uma atrás da outra, em vez de abrir fios novos o tempo todo? :oops:
     

    Fernando Valerio

    Member
    Português (Brasil)
    Algumas são de filmes, outras são da minha própria cabeça. Então eu vou avisar quando for de filme, vou colocar [FILME] no final das perguntas, assim vocês saberão se é de filme ou não.

    Aproveitando o papo, poderia responder uma perguntinha que também é sobre vírgula?
    Qual está mais correta?
    "No próximo vídeo, eu coloco thumbnail"
    "No próximo vídeo eu coloco thumbnail"

    [Essa eu vi em um vídeo do Youtube]
     

    machadinho

    Senior Member
    Português do Brasil
    Eu acho que tanto faz. Ou melhor, depende de onde recai a ênfase: antes ou depois da possível vírgula? Se antes, vírgula. Se depois, sem vírgula. Entendeu agora?
     

    Fernando Valerio

    Member
    Português (Brasil)
    É que teve alteração do lugar das palavras na frase. O correto seria (sem alteração das palavras): "Eu coloco thumbnail no próximo vídeo"
     

    machadinho

    Senior Member
    Português do Brasil
    A meu ver, como já disse noutro fio seu, a alteração da ordem das palavras nem sempre exige vírgula. Qualquer falante de português percebe que houve inversão, com ou sem vírgula, e essa vírgula aí não traz qualquer benefício em termos de compreensão.

    Como já dito por outros e por mim, é questão de ênfase, que, no máximo, tenta indicar na escrita o lugar onde se faria uma breve pausa na fala.

    Num registro estritamente formal ou numa prova de português, aí, sim, ponha as vírgulas todas. Não poupe nenhuma. Nos demais contextos o uso é, em geral, facultativo. Lembrando que vírgula em excesso mais atrapalha do que ajuda a leitura.
     
    Last edited:

    Ari RT

    Senior Member
    Português - Brasil
    O "poetinha" era também cronista, e dos bons. Esta crônica abaixo eu li na infância e me impressionou pelo tanto de senso comum espremido em tão pouco espaço. Se não sigo todas as dicas, é por falta de competência, mas tento. Gosto particularmente da 1, da 4 e da 7:
    Os elementos do estilo | Vinicius de Moraes

    Quanto ao caso concreto das vírgulas, tiro todas as que possa tirar. Releio e recoloco aquelas absolutamente obrigatórias. Erro frequentemente por falta, jamais por excesso. Idem para os adjetivos de propósito apenas enfático: se leio um texto com muitos adjetivos, desconfio logo que estejam ali para mascarar a falta de substância e o autor perde credibilidade.
    A prosa tem que ser fluida, sem tropeços. Palavras de uso pouco frequente, pontuação exagerada, inversões desnecessárias, abundância de adjetivos, só fazem travar a leitura a cada três ou quatro palavras e acabam dificultando o entendimento do texto.
     

    machadinho

    Senior Member
    Português do Brasil
    Quanto ao caso concreto das vírgulas, tiro todas as que possa tirar. Releio e recoloco aquelas absolutamente obrigatórias. Erro frequentemente por falta, jamais por excesso. Idem para os adjetivos de propósito apenas enfático: se leio um texto com muitos adjetivos, desconfio logo que estejam ali para mascarar a falta de substância e o autor perde credibilidade.
    A prosa tem que ser fluida, sem tropeços. Palavras de uso pouco frequente, pontuação exagerada, inversões desnecessárias, abundância de adjetivos, só fazem travar a leitura a cada três ou quatro palavras e acabam dificultando o entendimento do texto.
    Concordo com tudo, Ari. :thumbsup: O mesmo acontece comigo.

    Por um momento achei que esse parágrafo aí fosse citação do poetinha! :D
     

    Fernando Valerio

    Member
    Português (Brasil)
    Qual dessas frases está certa?

    "Pedro teve que ir embora, já o menino que estava com ele, ficou."
    ou
    "Pedro teve que ir embora, já o menino que estava com ele ficou."
     

    machadinho

    Senior Member
    Português do Brasil
    Para a esmagadora maioria das pessoas, ao que parece, só a segunda está certa. Para uma minoria quixotesca, em que me incluo, a primeira também está.
     
    Last edited:

    Nonstar

    Senior Member
    Nheengatu/il linguaggio del corpo
    Eu iria por uma terceira via: "Pedro teve que ir embora, já o menino, que estava com ele, ficou."
    Critério: petulância.
     

    Ari RT

    Senior Member
    Português - Brasil
    A primeira, do jeito que está, fica parecendo que tem uma vírgula separando o verbo do seu sujeito. Dá para argumentar com um pronome "este" escondido atrás da vírgula (o menino..., este ficou), em anacoluto. O "este" seria o sujeito de ficou e tudo bem. Mas ficou uma sensação ruim de verbo separado do sujeito.
    Questão de gosto. Se eu fosse meter essa vírgula antes de "ficou", colocaria também antes do "já", como Nonstar, deixando bem claro que a intenção é deixar ",que estava com ele," de aposto.
     

    machadinho

    Senior Member
    Português do Brasil
    Mas, com duas vírgulas, o aposto (que estava com ele), que era restritivo, se torna explicativo. A semântica muda toda.

    Além disso, se vocês aceitam separar o sujeito e o verbo com 2 vírgulas, por que resistem tanto em separá-los com 1 só?
     
    Last edited:

    machadinho

    Senior Member
    Português do Brasil
    Tudo bem, vamos em frente. Mas sem medo de escrever as coisas.

    A oração subordinada adjetiva restritiva (é isso?) permite a vírgula solitária. Não exige; permite. Sintaticamente, essa vírgula solitária não separa o sujeito e o verbo, pois o sujeito e o verbo, de um lado, e a vírgula, do outro, pertencem a orações distintas; ou, se os separa, separa do mesmo modo que as duas vírgulas da subordinada explicativa. Aceitar num caso mas negar no outro é dois pesos, duas medidas.

    Sem contar a possibilidade, remota aqui, de se confundir o sujeito de 'ficou' em 'o menino que estava com ele ficou': será 'o menino' ou 'ele'?
     
    Last edited:

    Ari RT

    Senior Member
    Português - Brasil
    Você tem razão quanto ao aposto, mudei o significado do trecho. Não dá certo.
    Eu concordo que a oração subordinada adjetiva permita a vírgula e, precisando, até imagino outras formas de justificá-la. O que eu não gostei foi da SENSAÇÃO de sujeito em uma oração e verbo na outra. Tive que parar a leitura para ver quem concorda com quem, quem é o sujeito de cada verbo, e se isso pode mesmo. Pode. Mas tive que parar a leitura.
    Voltando à pergunta de Fernando Valerio, que foi onde começamos, parece que as duas formas sejam gramaticais. Essa é a resposta que ele queria. (Sigo pensando que a primeira seja preferível, embora ele não tenha perguntado isso).
     

    machadinho

    Senior Member
    Português do Brasil
    Tá certo. Vocês têm razão. Nesse caso específico, sem a vírgula fica melhor. Mas fica também uma ambiguidade de brinde aí para vocês:

    Já o menino que [estava com ele] ficou​
    Já o menino que estava [com ele ficou]​

    que a vírgula sanaria:
    Já o menino que estava com ele, ficou​
    Já o menino que estava, com ele ficou​
     
    Last edited:

    Nonstar

    Senior Member
    Nheengatu/il linguaggio del corpo
    O que me faz lembrar de:

    “I was working on the proof of one of my poems all the morning, and took out a comma. In the afternoon I put it back again.”

    ― Oscar Wilde
     
    < Previous | Next >
    Top