woven in new ways into the unfolding purposes of God

< Previous | Next >

october15

Senior Member
Portugal-Portuguese
Context:

"A Witness is neither outside nor detached, is not objective and is not independent. Your very presence introduces innumerable potentials, and your choices impact history as we now know it. These are then woven in new ways into the unfolding purposes of God.”

Source: Eve by WM Paul Young

I'm in trouble to understand the last part of this passage. I need to rephrase this.
Does this mean the very purposes of God are rewritten in new ways because of the witness choices?

Please advise.

october15
 
  • machadinho

    Senior Member
    Português do Brasil
    Suponho que a ideia de fundo seja hegeliana. Nada é reescrito, mas o ser de tudo é sempre um vir a ser.

    Não é que uma escolha modifique as finalidades de Deus. As finalidades de Deus se manifestam dinamicamente ao longo da história através, entre outras coisas, das nossas escolhas.
     
    Last edited:

    october15

    Senior Member
    Portugal-Portuguese
    Boa noite,

    Primeiro, queria pedir desculpa por ter escrito em inglês, mas julguei que estava no fórum de interpretação.
    Mas já que aqui estou e a sua resposta foi elucidativa, vou prosseguir.
    Trata-se de uma tradução. A ideia é colocada da forma inversa, para significar provavelmente isso mesmo.

    Continuo com dificuldade nesta última parte. Eis a passagem completa, já em português:

    A Testemunha não está de fora, nem é um espetador desinteressado, não é imparcial nem independente. A tua presença introduz inúmeras possibilidades e as tuas escolhas têm impacto na história tal como a conhecemos, manifestando-se de forma renovada nos desígnios dinâmicos de Deus. Ou (para ser mais fiel ao texto): revestindo-se de novas formas nos desígnios dinâmicos de Deus.

    Aguardo feedback. A ideia entendi, mas tenho de respeitar o texto.

    Obrigada.

    october15
     

    Joca

    Senior Member
    Brazilian Portuguese
    Para mim, admito, o texto é um tanto obscuro, mas, em termos de tradução, eu diria o seguinte:

    As testemunhas não são nem exteriores nem separadas/apartadas, não são objetivas e não são independentes. A tua própria presença insere/aporta inúmeros potenciais/inúmeras potencialidades, e as tuas escolhas impactam/afetam a história tal como a conhecemos. Estas são então tecidas/urdidas/entrelaçadas, de novas formas, nos desígnios de Deus ao desabrocharem.
     

    machadinho

    Senior Member
    Português do Brasil
    Que bom que ficou um pouco menos obscuro. O Joca acertou na mosca com o desabrochar. Literalmente, seria desdobrar. Porém, vale lembrar que a metáfora favorita do Hegel a esse respeito (supondo que o pano de fundo seja mesmo hegeliano) é a da realidade como um botão de rosa que vai se desabrochando gradualmente. Nossas decisões, e tudo o mais que acontece, são pequenos movimentos de abertura do botão de rosa. A rosa seria as finalidades de Deus, quando não o próprio Deus. A rosa é o botão da rosa e, ao mesmo tempo, está contida no botão da rosa. As nossas decisões, e tudo o mais que acontece, só fazem manifestar, mostrar, desabrochar as pétalas, que já estavam escondidas lá dentro, dobradas, desde o broto. Aliás, são as pétalas.

    Das opções do Joca, creio que weave into corresponda mais ao nosso entrelaçar.

    Cuidado com espetador desinteressado e imparcial. São termos técnicos da filosofia estética e moral do século XVIII. Têm um uso bem definido. Desaconselho o emprego dessas expressões, a menos que o autor faça referência explícita a esse campo teórico no resto do livro.

    A minha versão seria:
    É então que tuas escolhas se entrelaçam por novos caminhos em meio ao desdobramento dos propósitos de Deus.
     
    Last edited:

    october15

    Senior Member
    Portugal-Portuguese
    Que bom que ficou um pouco menos obscuro. O Joca acertou na mosca com o desabrochar. Literalmente, seria desdobrar. Porém, vale lembrar que a metáfora favorita do Hegel a esse respeito (supondo que o pano de fundo seja mesmo hegeliano) é a da realidade como um botão de rosa que vai se desabrochando gradualmente. Nossas decisões, e tudo o mais que acontece, são pequenos movimentos de abertura do botão de rosa. A rosa seria as finalidades de Deus, quando não o próprio Deus. A rosa é o botão da rosa e, ao mesmo tempo, está contida no botão da rosa. As nossas decisões, e tudo o mais que acontece, só fazem manifestar, mostrar, desabrochar as pétalas, que já estavam escondidas lá dentro, dobradas, desde o broto. Aliás, são as pétalas.

    Das opções do Joca, creio que weave into corresponda mais ao nosso entrelaçar.

    Cuidado com espetador desinteressado e imparcial. São termos técnicos da filosofia estética e moral do século XVIII. Têm um uso bem definido. Desaconselho o emprego dessas expressões, a menos que o autor faça referência explícita a esse campo teórico no resto do livro.

    A minha versão seria:
    É então que tuas escolhas se entrelaçam por novos caminhos em meio ao desdobramento dos propósitos de Deus.
    Obrigada a ambos.

    Alguns comentários:

    Quando falou em finalidades dinâmicas, achei muito mais exato. Aqui, unfolding quer exatamente dizer dinâmico /que está sempre a ser revelado. De qualquer forma a sua ideia ajudou bastante na compreensão.

    Sobre os termos que achou perigosos creio que a ideia é mesmo a que referi. Contextualizando:

    No parágrafo anterior dizia-se que a testemunha participava como elemento ativo naquilo que presenciava, daí o não ficar por fora, nem ser espetador desinteressado. Os termos que o Joca sugeriu traduzem à letra, mas estão descontextualizados.

    No primeiro caso, em vez de espetador desinteressado, pode-se usar o termo desprendido. E manter o termo objetivo em vez de imparcial, embora me pareça que este é adequado. A análise objetiva é imparcial e exige desprendimento. O participante é parcial porque está envolvido e portanto, não objetivo.

    Neste caso espera-se que a Testemunha altere a própria história do Genesis, prevenindo Adão quando este vira o rosto a Deus.

    Vou ter de pensar na questão do entrelaçar, é de facto uma hipótese embora o estivesse a encarar no sentido de reformular.

    Mais uma vez obrigada. Estou muito longe da teologia e este autor tem profundos conhecimentos a esse nível.

    october15
     

    mglenadel

    Senior Member
    Brazilian Portuguese
    Does this mean the very purposes of God are rewritten in new ways because of the witness choices
    Eu diria que significa que os planos de Deus são perfeitos e imutáveis, mas qualquer ação nossa lhes é incorporada, passando a ter sempre feito parte dos planos Divinos assim que ocorra.
     

    Ari RT

    Senior Member
    Português - Brasil
    Ressalvo de plano que não conheço a obra de W. Paul Young. Sei que Eve é uma novela. Portanto, a obra, ainda que baseada em profundos conhecimentos teológicos / filosóficos, é destinada à compreensão de meros mortais, como eu.
    Por isso me atrevo a uma leitura não-determinística, baseada apenas no texto postado, em contraponto à de mglenadel, que parece mais abalizada, e é determinística. O contexto dirá qual das duas encaixa melhor:

    Os propósitos de Deus não se modificam, revelam-se. Às testemunhas da realização desses propósitos se admite que façam escolhas (aqui realizar significa atualizar, em oposição à potencialidade dos propósitos).
    Tais escolhas passam a ser condicionantes da forma (não da essência) pela qual os propósitos divinos haverão de revelar-se (tornar-se atuais). Daí que as escolhas combinem-se em novas tessituras, à medida que se revelem os planos de Deus, de tal forma que estes se realizem, não independentemente ou apesar daquelas, mas nas condições de contorno por elas estabelecidas dinamicamente.
    Foi o que entendi de "woven into the purposes of God".

    Uma Testemunha não se encontra fora ou separada, não é objetiva nem independente. Sua (tua) presença mesma carreia inúmeras possibilidades, e suas (tuas) escolhas mudam a forma como nós conhecemos a história. Tais escolhas são urdidas em tessituras sempre cambiantes, à medida que se desvelam os planos divinos.

    Com o necessário desconto pelo vocabulário pedante, certamente melhorável, faz algum sentido?
     
    < Previous | Next >
    Top